Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
19 Out, 2020 - 14:55

Formula 1: o que há para ver no GP de Portugal 2020?

Marvin Tortas

O duelo entre os pilotos da Mercedes, o incrível Max Verstappen, o prodigioso Charles Leclerc, o jovem trio Albon, Norris e Russel. Tudo isto e muito mais para ver no Grande Prémio de Portugal.

Renault Formula 1

A Fórmula 1 está de volta a Portugal mas dirige-se para o Sul do País pela primeira vez na história. Depois de se ter estreado no Circuito da Boavista em 1958, de uma passagem por Monsanto em 1959, e de ter regressado ao Porto em 1960, a etapa portuguesa da Fórmula 1 deixou de acontecer, também curiosamente, durante 24 anos.

Vicissitudes dos tempos trouxeram de volta a Fórmula 1 a Portugal em 1984 para substituir o Grande Prémio de Espanha, desta feita ao Circuito do Estoril, e foi por lá que durante 12 anos seguidos se realizou o Grande Prémio de Portugal, até à sua derradeira prova, em 1996, ganha pelo Canadiano Jacques Villeneuve.

Guia completo do GP de Portugal 2020

Tudo o que precisa saber sobre a corrida do ano

Muitos desenvolvimentos foram feitos entretanto, sobretudo no que toca à segurança, e o Circuito do Estoril tornou-se obsoleto e pouco seguro para os Fórmula 1 modernos, e é por isso que o moderno traçado do Algarve, o único neste momento em Portugal a receber Grau I da FIA, foi o escolhido para receber a mais importante das competições automóveis.

Os monolugares de 2020 são os Fórmula 1 mais rápidos da história, e têm batido o recorde de tempos em praticamente todos os circuitos por onde têm passado.

Neste momento, o tempo mais rápido em que uma volta ao Circuito de Portimão foi completada cifra-se nos 1:27:987, e foi da autoria de Sebastien Buemi, em 2009, ao volante de um Fórmula 1 da Toro Rosso (atual Alpha Tauri), num teste de pré-temporada, tendo atingido uma velocidade máxima de 359,9km/h.

Os carros de 2020 deverão ser capazes de retirar praticamente 10 segundos a este tempo. Mas para além da velocidade, há muitos outros motivos para ir até ao Algarve ver o Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1.

Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1: a ação em pista

Formula 1

Desde logo, na Alfa Romeo Racing, onde podemos ver o experiente Kimi Räikkönnen, o piloto com mais Grandes Prémios de Fórmula 1 já disputados (completará no GP de Portugal a sua 328ª corrida) e campeão do mundo em 2007, e o seu companheiro de equipa e piloto sob alçada da Ferrari, Antonio Giovinazzi.

Na Haas, a mais recente equipa a ter entrado no campeonato mundial, o francês Romain Grosjean e o dinamarquês Kevin Magnussen tudo farão para tentar escapar aos últimos lugares da grelha e demonstrar à equipa norte-americana que merecem um lugar na próxima temporada.

A Racing Point (futura Aston Martin), equipa comprada e salva pelo milionário Lawrence Stroll, tem sido uma das maiores surpresas desta temporada no que toca a ritmo de qualificação, sendo com frequência o 3º carro mais rápido da grelha. Lance Stroll quererá mostrar as suas valências e justificar que não é apenas o filho do patrão, e Sérgio Pérez, de saída da Equipa, quererá também mostrar que ainda é um ativo válido para as equipas que procuram fechar a sua dupla de pilotos na próxima temporada.

A Williams continua a ser o carro mais lento na grelha e conta com o Campeão do Mundo de Fórmula 2 de 2018 George Russell e com o rookie Nicolas Latifi para continuar a evoluir o carro para a próxima temporada. No Grande Prémio do Algarve, a Williams não deverá escapar dos últimos lugares da grelha, mas na Fórmula 1, as surpresas acontecem, e o facto da pista portuguesa ser desconhecida por parte de todas as equipas poderá jogar a favor da construtora britânica.

A Scuderia Toro Rosso deu origem em 2020 à Scuderia AlphaTauri, que manteve a sua dupla de pilotos de 2019. O russo Daniil Kvyat é mais experiente, mas foi o jovem francês Pierre Gasly que já deu uma vitória esta temporada à equipa italiana, a segunda da história da Scuderia, precisamente no Grande Prémio de Itália, em Monza. Poderá a AlphaTauri conseguir uma nova proeza no traçado algarvio?

Da histórica McLaren chega-nos uma das revelações desta temporada, o britânico Lando Norris, nascido em 1999 e que conquistou o seu primeiro pódio da Fórmula 1 na 1ª ronda de 2020, na Áustria, e Carlos Sainz Jr., filho do campeão do mundo de ralis Carlos Sainz, e que tem já contrato assinado com a Ferrari para 2021, e que conseguiu esta temporada a melhor classificação da escuderia britânica desde 2012, o 2ª lugar, também em Monza. Conseguirá a McLaren fazer mais um brilharete esta temporada, antes de se despedir dos motores Renault e “abraçar” os motores Mercedes?

Red Bull Formula 1

Da Red Bull, equipa tetra campeã da modalidade entre 2010 e 2013, chega-nos o prodígio Max Verstappen, o mais jovem vencedor de um Grande Prémio de Fórmula 1 e tido como o próximo grande campeão do mundo, e muitas vezes equiparado a Ayrton Senna pelo seu estilo de pilotagem, e a Michael Schumacher, pelos seus jogos mentais e pela forma como molda toda uma equipa à sua imagem. Do outro lado da garagem está o tailandês Alexander Albon, que se tem apresentado em bom plano na segunda metade de 2020, tendo conquistado o seu primeiro pódio no Grande Prémio da Toscana. Conseguirá a equipa austriaca travar a hegemonia da Mercedes no Algarve?

Carro da Ferrari de Fórmula 1

A Ferrari está a ter uma temporada para esquecer em 2020 com o seu monolugar a ser, em média, 1 segundo mais lento por volta do que o carro do ano passado, em todos os circuitos. O alemão Sebastien Vettel, tetra campeão do mundo, está de saída para a Aston Martin em 2021, mas quer deixar ainda uma boa imagem na Scuderia Italiana no que resta da temporada, e o monegasco Charles Leclerc é apontado como o próximo campeão da Ferrari e é a grande aposta da Scuderia. Poderá a Ferrari conseguir um pódio no Algarve para alegrar todos os tifosi portugueses?

Carro Mercedes de Fórmula 1

A Mercedes domina a Fórmula 1 desde 2014, com uma taxa de vitórias superior a 90%. O britânico Lewis Hamilton ambiciona igualar os 7 títulos de campeão mundial de Michael Schumacher, e para isso é fulcral conseguir a vitória no Algarve, numa altura em que o seu companheiro de equipa Valtteri Bottas, galvanizado pela vitória no Grande Prémio da Rússia, se aproximou nas constas do campeonato. Para além desta luta interna, o Grande Prémio de Portugal deverá ser aquele onde a construtora alemã vai selar o seu 7º título consecutivo de construtores.

Por fim, a Renault, e após anos mais conturbados a lutar pelo meio da tabela, parece ter um monolugar capaz de lutar por pódios. O francês Esteban Ocon tem oscilado entre altos e baixos esta temporada, mas parece ter encontrado o seu ritmo nas últimas provas. Do outro lado, Daniel Ricciardo, no seu estilo característico, procura despedir-se da Renault com chave de ouro. Ele que vai rumar à McLaren na próxima temporada.

O Grande Prémio de Portugal de 2020 promete grandes duelos em pista, sobretudo no “meio do pelotão”. E embora quase todos possam antever que, em condições normais, a Mercedes sairá vencedora do Algarve, as corridas automóveis são sempre imprevisíveis, e até ao cortar de meta, tudo pode acontecer.

Os ingredientes para um grande espetáculo estão reunidos, e o facto de todas as equipas desconhecerem o “Carrossel do Algarve“, como a Fórmula 1 apelidou ao traçado algarvio, poderá ser o toque que falta para a etapa portuguesa ser uma das melhores corridas da temporada.