Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Cátia Tocha
Cátia Tocha
20 Ago, 2018 - 11:50

Fundo de maneio: como aplicá-lo na vida familiar

Cátia Tocha

Saiba tudo sobre o fundo de maneio, um conceito empresarial que pode e deve ser também aplicado na sua vida familiar, principalmente em tempos de crise.

Fundo de maneio: como aplicá-lo na vida familiar

O conceito empresarial fundo de maneio é usado para denominar a capacidade de uma empresa para garantir a sua atividade com toda a normalidade e a curto prazo.

Em Portugal, existem várias empresas que pagam tarde e a más horas, o que provoca graves problemas na gestão de tesouraria das mesmas. É para contornar estas situações complicadas que as empresas devem ter o fundo de maneio, evitando assim o endividamento.

Perceba melhor o objetivo deste fundo, que, além de ser essencial para as empresas, também pode e deve ser aplicado na sua vida familiar.

Fundo de maneio: qual a sua importância numa empresa?

fundo de maneio

O que é?

O fundo de maneio, nome dado ao valor dos ativos correntes deduzido dos passivos correntes, é o montante necessário para que uma empresa seja capaz de garantir o exercício normal da sua atividade.

Na maioria das empresas, este fundo é igual ao valor das dívidas a receber de clientes, dos inventários e ainda dos meios financeiros líquidos deduzido do valor a pagar a fornecedores.

Para que serve?

O fundo de maneio, que permite medir o equilíbrio patrimonial da empresa, serve para que a firma enfrente qualquer tipo de emergência ou perdas sem ter de abrir falência. Este tipo de fundo pode ser calculado como sendo o excedente dos ativos sobre os passivos a curto prazo.

O seu uso é muito importante quando se quer realizar a análise interna de uma empresa, ao fornecer informações sobre a dimensão da mesma, além da sua eficiência operacional e o capital necessário para mantê-la em funcionamento.

Muitas das empresas que não têm fundo de maneio correm o risco de ir à falência, devido à ausência de liquidez. Mas se tivessem este fundo, conseguiriam criar dinheiro e lidar com os atrasos nos pagamentos por parte dos clientes.

Exemplo da utilidade deste fundo

Imagine que uma empresa estava à espera que um cliente importante fizesse um pagamento de elevada quantia este mês, mas que tal não aconteceu devido a um imprevisto.

Esta empresa ficará numa má situação se não possuir um fundo de maneio elaborado consoante as suas necessidades. É necessário que a tesouraria esteja sempre bem planificada para que, no caso de haver falhas de pagamentos por parte dos clientes, não fique comprometido o cumprimento das obrigações legais e contratuais da empresa.

É por isso que ter este fundo é muito importante para assegurar sempre o equilíbrio financeiro de uma empresa e da sua viabilidade a curto prazo.

Como calcular o fundo de maneio

O fundo é calculado através da diferença entre o valor do ativo circulante e o valor do passivo circulante de uma empresa: Fundo de Maneio = Ativo Circulante – Passivo Circulante.

Ou seja, este fundo é avaliado pela diferença entre as quantias que a empresa espera converter em dinheiro no prazo de um ano (ativo circulante) e as despesas que a empresa tem de pagar nesse mesmo período de tempo (passivo circulante), como salários, impostos, encargos sociais, empréstimos bancários e dívidas a fornecedores.

Existem variáveis que podem influenciar o cálculo do fundo de maneio, como os prazos de pagamento e os prazos médios de recebimento, entre outros.

Cada empresa tem determinadas necessidades, por isso o valor deste fundo varia consoante as mesmas. Até dentro da mesma empresa esse valor pode variar ao longo do ano.

Fundo de maneio positivo e negativo

Nas situações em que o ativo corrente é superior ao passivo corrente, trata-se de fundo de maneio positivo. Ou seja, a empresa tem mais ativos líquidos do que dívidas com vencimento a curto prazo.

Se o ativo corrente for menor do que passivo corrente, estamos perante um caso de fundo de maneio negativo, o que significa que existe um desequilíbrio patrimonial. No entanto, isto não quer dizer que a empresa esteja próxima da falência ou que tenha interrompido os seus pagamentos.

Ainda assim, o fundo de maneio negativo requer a necessidade de aumentar o ativo corrente para que se torne positivo e volte assim a trazer maior estabilidade à empresa. Este aumento pode ser efetuado através da venda de parte do ativo imobilizado ou não corrente, com o objetivo de obter o ativo disponível.

Fontes do fundo de maneio

  • Venda de ativos fixos;
  • Venda de obrigações;
  • Operações normais;
  • Empréstimos bancários;
  • Reembolso do imposto sobre o rendimento;
  • Participações de fundos dos proprietários;
  • Utilidade sobre a venda de valores negociáveis.

Como limitar o investimento em fundo de maneio

Uma empresa pode tomar várias medidas ao ver-se na situação de crescimento das necessidades deste fundo, com o objetivo de reduzir assim o investimento, entre elas:

  • Aumento dos valores e dos prazos de pagamento;
  • Descontos de pronto pagamento;
  • Melhoria dos processos produtivos;
  • Diminuição dos prazos e dos montantes de recebimento;
  • Redução das quantidades e dos valores em stock;
  • Venda de mercadorias em consignação.

Aplique este conceito empresarial na sua vida familiar

fundo de maneio

Como já percebeu, o fundo de maneio é essencial para uma empresa, podendo a ausência do mesmo ser fatal para o negócio caso esta não se consiga recuperar das dívidas e de outras despesas que tenha acumuladas.

E porque não aplicá-lo também à sua vida familiar? Em tempos de crise, é muito importante que tenha uma espécie de fundo de maneio, ou seja, vá pondo sempre de parte algum dinheiro todos os meses para juntar o máximo possível e ter um bom montante para usar em caso de necessidade futura.

Imagine que fica sem emprego durante algum tempo ou que surge um imprevisto a nível de saúde, ou qualquer outra situação inesperada, em que seja necessário ter dinheiro para conseguir ultrapassar esse problema. O fundo que criou irá ajudá-lo nessas alturas mais delicadas.

O recomendado é que tenha um fundo cujo valor seja cerca de quatro a seis vezes superior ao orçamento mensal disponível do agregado familiar, para ser capaz de conseguir ultrapassar dificuldades futuras.

Veja também: