Marvin Tortas
Marvin Tortas
09 Nov, 2018 - 10:28

Híbrido ou Diesel? Veja o comparativo que vai ajudar a decidir qual é o seu carro ideal

Marvin Tortas
Patrocinado por:

Será que compensa mais comprar um carro híbrido ou diesel? Saiba os prós e contras de cada modelo e faça a sua escolha.

Híbrido ou Diesel? Veja o comparativo que vai ajudar a decidir qual é o seu carro ideal

Se está no mercado à procura de um carro novo, depois de decidida a marca e o modelo chega a hora de escolher também a motorização. Cada vez mais, as marcas estão a apostar nas motorizações híbridas para fazer concorrência às motorizações a gasolina ou gasóleo. Mas se é uma pessoa que faz muitos quilómetros por ano, as suas opções só se podem resumir a uma destas duas: híbrido ou diesel? Qual será a melhor e mais vantajosa para si. Veja este comparativo e saiba qual é o seu carro ideal.

Entre um híbrido ou diesel, podemos afirmar que ambas as opções são bastante semelhantes no que toca a consumos e no que toca a manutenção, mas existem várias diferenças entre ambas as versões, e é exatamente isso que lhe vamos mostrar neste comparativo.

Híbrido ou Diesel: como escolher

Híbrido ou Diesel? Veja o comparativo que vai ajudar a decidir qual é o seu carro ideal
Fonte da imagem: Toyota/Divulgação

Antes de mais, comecemos por contextualizar o que é exatamente um híbrido. A palavra híbrido define um veículo que utiliza dois tipos de motores para se mover, no caso, um motor a combustão e um elétrico. Dentro das categorias dos híbridos existem dois tipos: os plug-in, que necessitam de uma ligação a uma tomada para recarregarem as baterias, e os self-charging, que utilizam o motor a combustão para as recarregar.

Cada um destes tipos de carros tem as suas vantagens e desvantagens, nomeadamente no que se refere à autonomia elétrica e longevidade das baterias.

Vamos, então, avaliar as diferenças que existem entre um híbrido e um diesel, a nível de potência, de consumos, de emissões e de preços para que possa avaliar qual é a melhor opção para si.

Até 30 de novembro: Toyota oferece condições especiais de retoma na troca por um híbrido

Potência

É verdade que hoje em dia existem carros a diesel com motores V6 e V8 (e até V10 e V12, embora mais raros) que produzem facilmente mais de 400 cavalos de potência e têm a força de um trator, sendo capazes de impulsionar qualquer SUV até aos 300km/h sem o mínimo esforço. No entanto, os carros mais comuns utilizam motores de cilindradas mais reduzidas e têm capacidade de, normalmente, 1.4 ou 1.6L, debitando entre 90 a 120 cavalos, em média.

Os carros híbridos utilizam essencialmente as mesmas motorizações a combustão que os carros diesel, mas contam com a potência extra fornecida pelas baterias (na ordem dos 50 cavalos de potência), que permitem aos carros híbridos não só ter uma aceleração mais rápida (graças ao binário instantâneo do motor elétrico) como uma potência combinada maior que os carros a diesel.

É uma falácia afirmar que os carros a diesel são mais potentes que os carros híbridos quando apenas temos em consideração os mais potentes sedans ou berlinas de outras marcas.

No global, e tendo em consideração todos os carros existentes no mercado, os 3 modelos mais rápidos atualmente em produção (Ferrari LaFerrari, McLaren P1 e Porsche 918) são também eles híbridos, e todos têm potências superiores a 900 cavalos. Mas voltando ao mundo real, nos carros para uso quotidiano, chamemos-lhe assim, os carros híbridos têm mais potência que os carros diesel, sendo por isso mais rápidos.

Consumos, prestações e emissões

Qualquer carro poderá consumir muito ou pouco, dependendo das suas expectativas, de onde o usa e sobretudo da forma como o usa.

Para efeitos de comparação e para sermos factuais, tomemos como exemplo dois carros híbridos que existam tanto numa versão diesel como numa versão híbrida. Escolhemos como exemplo o Toyota Auris.

A versão diesel do Toyota Auris está equipada com um motor de 1.4L de 90 cavalos de potência. Este carro tem uma velocidade máxima de 180km/h e cumpre dos 0 aos 100km/h em 12,5 segundos. A Toyota anuncia consumos de 3,4L/100km percorridos e uma emissão de gases de 89g de CO2 por cada quilómetro percorrido.

A versão híbrida deste mesmo carro conta com um motor de 1.8L a gasolina associado a um motor elétrico e debita no total 136 cavalos de potência. O Auris Híbrido tem também uma velocidade máxima de 180km/h e cumpre dos 0 aos 100km/h em apenas 10,9 segundos. Para a versão híbrida a Toyota anuncia consumos de 3,4L/100km e uma emissão de gases poluentes de 82g de CO2 por quilómetro.

Apesar da versão híbrida ser bastante mais potente e mais rápida, não só é capaz de consumir menos combustível para andar o mesmo número de quilómetros como também existe uma clara redução da emissão de gases poluentes.

Obviamente, e sabemos por experiência própria, que os carros híbridos quando conduzidos de uma forma mais agressiva vêm os seus valores de consumo dispararem, tornando-se menos eficientes do que os carros a diesel, mas tudo isto têm uma explicação.

O motor a combustão dos carros híbridos é um motor a gasolina, e quando aceleramos de uma forma mais brusca este está em funcionamento mais vezes e durante mais tempo, e como sabemos, a gasolina é menos eficiente no que toca a rendimento do que o gasóleo. Mas ainda assim, numa condução ponderada respeitando os limites de velocidade, um carro híbrido é bastante mais eficiente que um carro a gasóleo, quer em aceleração, quer em consumos, mas sobretudo em emissões de gases poluentes.

Preços

Talvez este seja o ‘calcanhar de Aquiles’ dos carros híbridos. Por enquanto, as baterias são caras, e este é sem dúvida o fator que faz com que esta tecnologia seja mais cara do que a tecnologia diesel.

Tomemos, novamente, o mesmo exemplo do Toyota Auris. Os preços da versão diesel começam nos 21 965€, ao passo que os preços para a versão híbrida começam nos 22 865€.

Apesar de existir uma diferença de 900€, é importante referir que as versões a diesel apresentam valores mais baixos porque são versões mais “despidas” de equipamento. É certo que com essa diferença pode abastecer quase 650L de gasóleo, mas se optar por versões equivalentes, as diferenças de preços situam-se na casa das dezenas de euros.

Se não percorrer muitos quilómetros, talvez optar pela versão diesel seja o mais vantajoso para si. No entanto, com um híbrido, quantos mais quilómetros percorrer mais conseguirá poupar, e embora Portugal seja um país pequeno, em média os portugueses percorrem 20 000km por ano, e essa distância é mais do que suficiente para justificar a opção pelo híbrido.

No final de contas, o que podemos constatar? Deve optar por um híbrido ou diesel? Tudo depende de si: da forma como conduz, dos quilómetros que percorre anualmente e se os faz em cidade ou fora de cidade. Cada caso é um caso, mas o diesel tem os dias contados na Europa, e se quiser comprar um carro a pensar no futuro e em proteger o ambiente, o híbrido será sempre a melhor escolha.

Descubra quanto vale o seu carro e troque por um híbrido Toyota. Simule

Veja também