Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
João Abreu
João Abreu
28 Dez, 2018 - 00:00

Quanto custa manter um carro elétrico?

João Abreu

Desde os custos de compra, aos custos de abastecimento, passando pela manutenção, saiba quanto custa manter um carro elétrico e faça contas. Tome nota!

Quanto custa manter um carro elétrico?

Embora já não seja uma novidade para alguns, há ainda uns quantos condutores mais céticos que procuram descobrir quanto custa manter um carro elétrico, a fim de tirarem as suas conclusões e saberem se vale a pena o investimento, neste segmento de veículos.

Com vista a responder a todas as questões relativas aos custos inerentes a um veículo elétrico, procuramos reunir informações sobre os valores de compra, de abastecimento/carregamento e de manutenção. Fique esclarecido através do guia proposto sobre quanto custa manter um carro elétrico.

Afinal, quanto custa manter um carro elétrico?

carros elétricos

Os carros elétricos têm vindo a ganhar cada vez mais adeptos em Portugal, havendo provas de que, só entre 2016 e 2017, a venda dos mesmos duplicou. E, em 2018, já foram vendidos mais elétricos, do que na soma dos últimos 7 anos.

Por serem associados aos baixos consumos, é percetível que todos os condutores tenham curiosidade em perceber melhor todos os gastos inerentes a este grupo de veículos e saber, afinal, quanto custa manter um carro elétrico.

Custo de compra

De acordo com dados da Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP), o preço dos carros elétricos mais baratos à venda em Portugal, oscilam entre os 8040€ e os 39.500€.

10 carros elétricos mais baratos, à venda em Portugal

  1. Renault Twizzy: 8.040€
  2. Smart ForTwo EQ: 19.650€
  3. Volkswagen E-UP: 27.769€
  4. Nissan Leaf: 29.300€
  5. Peugeot I-ON: 30.390€
  6. Renault Zoe: 30.410€
  7. Citroen C-Zero: 30.647€
  8. KIA Soul EV: 30.890€
  9. Peugeot Partner Tepee Electric: 31.765€
  10. Hyundai Ioniq Electric: 39.500€

Os preços já bem acessíveis são um bom motivo para justificar a crescente e, até, exponencial venda dos carros elétricos em Portugal, em 2018. Contudo, é ainda de referir que, ao longo do ano, o Governo manteve os incentivos para a aquisição dos veículos elétricos, o que reforça a vontade dos condutores em adquirir um modelo amigo do ambiente. As candidaturas a esses benefícios podem ser feitas online, no portal do Ministério do Ambiente.

Quanto custa manter um carro elétrico

carregar elétricos

Incentivo do Governo 

Comprar um carro elétrico é alvo de incentivos financeiros, por parte do Estado. Se, anteriormente, o Governo comparticipava a compra de veículos elétricos, com a obrigatoriedade da entrega de um veículo com mais de 10 anos; desde 01 de janeiro de 2017, o incentivo fixou-se nos 2.250€ para quem vá adquirir um veículo novo, 100% elétrico.

Nestes incentivos do Governo, estão incluídos veículos automóveis ligeiros de passageiros e de mercadorias novos, sem matrícula e exclusivamente elétricos, que pertençam às categorias M1 e N1, e estejam devidamente homologados.

Estes incentivos, não incluem a compra de carros 100% elétricos que tenham passado por algum processo de legalização de importação. Nestes casos, a lei proíbe a atribuição do incentivo.

Note que o incentivo do Governo abrange unicamente 1000 veículos. Portanto, se deseja adquirir um elétrico e este incentivo lhe soa como uma motivação extra, formalize o seu pedido com alguma rapidez, pois os pedidos ficam ordenados por data e hora de submissão dos mesmos.

Passos para a formalização do pedido

Os referidos incentivos do Governo para a aquisição de carros elétricos podem beneficiar:

  • Pessoas singulares: 2250€
  • Pessoas coletivas (até 5 unidades): 11.250€

A submissão pode ser feita online, através do site Fundo Ambiental e, aquando da candidatura, o contribuinte deve apresentar:

  • Cópia dos documentos de identificação;
  • NIF;
  • Certidão de não dívida perante a Autoridade Tributária e Segurança Social;
  • Fatura proforma ou proposta de compra e venda do veículo a adquirir, em que conste o nº de chassis;
  • Formulário online;
  • Se se tratar de locação financeira, deve apresentar uma cópia da minuta do contrato.

Após a submissão, o beneficiário será notificado, por e-mail, da confirmação da submissão do seu pedido, datado e com a hora. Caso o direito ao incentivo lhe seja reconhecido, o pagamento do mesmo será feito via transferência bancária, para a conta do mesmo.

Custos de abastecimento

O preço dos carregamentos entra também na equação face à questão “quanto custa manter um carro elétrico?”.  Nesta equação, entram diversas variáveis que estão relacionadas com o local onde os condutores carregam os seus elétricos. É óbvio que, se abastecer em casa, os custos serão diferentes do que fazer o carregamento num posto indicado para o efeito, por exemplo.

Inicialmente, o custo médio para percorrer 100 km com um elétrico podia rondar os 2€, enquanto um carro a diesel gasta cerca de 7€ e um a gasolina cerca de 12€, para percorrer a mesma distância. Ora, desde 01 de novembro de 2018 que entraram em vigor novos custos para carregar carros elétricos. Desde esta data, Portugal está sob um período transitório para a nova lei, que entrará em vigor, na íntegra, em 2019.

Com estas novas implementações, aplicadas aos carregamentos PCR (nos pontos de carregamento rápido), carregar um elétrico em 30 minutos, para o correspondente a 100 km, pode variar entre 3,44€ e 8,97€.

Atualmente, carregar um elétrico já é um serviço pago e varia de posto para posto, sendo que há apenas um que não acresce ao preço do serviço, taxas. Se procura preços mais económicos, na Prio poderá carregar o elétrico por 3,44€ (em carregamentos de 30 minutos, correspondentes a 100 km), sem nenhuma taxa adicional. Na Galp, o valor sobe para os 5,28€, ao passo que, num posto Cepsa, ao valor do carregamento, acrescem 4,50€ de taxa, o que eleva o preço do carregamento para 8,97€.

Já em casa ou no trabalho, carregar um elétrico pode ser bem mais económico e é possível através de uma tomada convencional. Para tal, os proprietários dos elétricos devem contratar uma taxa especial, designada Taxa de Veículo Elétrico (2.O DHS). O custo desta taxa varia consoante a hora do dia em que são feitos os carregamentos.

O período mais caro é compreendido entre as 13h e as 23h, abrange 10 horas e é designado como P1 ou período de pico. Nestes horários, o preço do kWh é de 0,13€.

O período intermediário vai das 23h à 01h e das 07h às 13h, designa-se por P2 ou período do vale, e despende, por kWh, 0,07€.

Para economizar, procure carregar o carro no P3 ou período do supervalle, um período de 6 horas que é o mais barato e que corresponde ao preço de 0,064€ por kWh.

Quanto aos custos de manutenção dos carros elétricos propriamente ditos, pode dizer-se que, a longo prazo, acaba por fazer uma boa aquisição, pois a manutenção, além de não ser extremamente dispendiosa, é simples de ser executada.

Um carro elétrico não requer uma manutenção frequente do motor, nem as tradicionais mudanças de óleo. A arquitetura do motor elétrico não reúne a complexidade do motor a combustão e, desta forma, um elétrico apenas requer mudanças pontuais e muito específicas de condução, como questões hidráulicas muito simples. São exemplos destas mudanças básicas, a mudança do óleo dos travões e/ou do filtro do habitáculo, devido à utilização do ar e do ar condicionado.

Como se pode conferir, se procurava respostas sobre quanto custa manter um carro elétrico, essa questão envolve um leque de variáveis e muitas são as considerações a ter. Avalie os quilómetros que percorre, em média, por ano e perceba se esta é ou não uma opção viável para si.

Veja também: