Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
20 Out, 2021 - 09:00

7 dicas para se manter ativo estando desempregado

Catarina Milheiro

Numa altura em que o desemprego atinge números tão elevados, é fundamental manter-se ativo estando desempregado. Saiba como!

https://www.e-konomista.pt/manter-se-ativo-estando-desempregado

Numa altura em que a pandemia e os confinamentos dificultaram diversos negócios, é essencial manter-se ativo estando desempregado.

Ficar desempregado pode ser realmente assustador, mas é crucial que mantenha o foco e tente ultrapassar a situação da melhor forma possível. Mais do que se tornar num candidato a emprego, faça os possíveis para se manter ativo.

Se pensa que ficar em casa a analisar “carradas” de ofertas de emprego e a enviar o seu Curriculum Vitae (CV) e a carta de apresentação de forma desagregada é a resposta para o seu problema, deixe que lhe diga que não podia estar mais enganado.

Fique connosco e conheças as nossas dicas para ultrapassar esta situação.

MANTER-SE ATIVO ESTANDO DESEMPREGADO: 7 DICAS PARA O AJUDAR

Se está neste momento sem emprego, saiba que é extremamente importante manter-se ativo estando desempregado.

De facto, foram vários os profissionais que ficaram sem os seus empregos nos últimos tempos e a verdade é que à medida que o tempo passa, acabam mesmo por já não saber o que fazer perante o mercado de trabalho.

Está na hora de compreender que procurar emprego de forma ativa é muito mais do que enviar currículos atrás de currículos. Até porque limitar-se a enviar candidaturas vai, quase de certeza, levá-lo a cometer os erros mais comuns – por exemplo, enviar candidaturas para vagas que nada têm a ver com o seu perfil e/ou competências.

Mas há pequenos detalhes que podem fazer toda a diferença.

procura ativa de emprego
1

Mantenha as suas competências atualizadas

Além de ser uma boa forma de manter a sua mente ocupada enquanto está desempregado, é também uma forma de garantir que está devidamente preparado a “arrancar a fundo” quando chegar a hora de voltar ao mercado de trabalho.

Como? É fácil! Inscreva-se em formações, workshops, cursos online gratuitos, pós-graduações, leia livros e/ou artigos especializados, o que seja! Possibilidades não lhe faltam.

O importante é que se lembre que o mercado de trabalho (tal como tudo o resto na vida) está em constante mudança e se quer vingar tem que estar a par das tendências e das competências exigidas na sua área de atividade.

2

Invista na formação e arrisque: torne-se freelancer

Manter-se ativo estando desempregado significa, de uma forma geral, não ficar parado ou de braços cruzados. Por isso, lembre-se que esta é a altura certa para colocar em prática todas aquelas tarefas para as quais nunca tinha tempo.

Como já referimos, aproveite para atualizar o seu currículo, fazer um curso online ou investir num workshop na sua área de forma a adquirir novos conhecimentos ou até para reciclar competências que já dominava.

Além disso, fazer algum trabalho como freelancer pode também ser uma boa forma de obter algum rendimento e manter-se ativo enquanto não arranjar um emprego certo. São vários os trabalhos que podem ser feitos neste regime: redação de artigos, serviços de design, edição de imagem, traduções e muito mais.

Contudo, é importante que tenha atenção que no caso de iniciar uma atividade como freelancer a sua situação profissional muda.

3

Faça networking

Desempregado ou não, este não é (nem deve) ser um conceito novo ou desconhecido para si.

A verdade é que atualmente, cada vez mais, ter uma boa rede de contactos pode ser a alavanca que necessita para lançar a sua carreira no caminho do sucesso. Por esta razão é essencial que construa uma boa rede de networking.

Sejam novos ou antigos, todos os contactos podem ser válidos, por isso esteja atento e preparado para criar e/ou fortalecer os seus contactos profissionais. Lembre-se que estes podem ser a resposta para encontrar o seu novo emprego.

E a melhor rede para o fazer é sem dúvida o LinkedIn. Por isso já sabe, adira a esta rede profissional, crie o seu perfil e adicione contactos que o possam ajudar a crescer profissionalmente.

4

Crie uma presença forte online

Estar desempregado não significa que esteja desocupado. Além de ter tempo para apostar em formações ou procurar fortalecer os seus contactos profissionais, tem também mais tempo para se dedicar à sua presença online.

E sabe porque motivo o deve fazer? Cada vez mais, as redes sociais assumem um papel central no mundo laboral, principalmente no que ao recrutamento diz respeito.

Grande parte dos recrutadores tende a pesquisar os candidatos a emprego online, por isso é fundamental que crie bons perfis online, sobretudo no LinkedIn.

5

Siga as instruções atualizadas do IEFP

Se até há uns meses não era obrigado a comparecer numa empresa por ter sido chamado ou por ter recebido uma convocatória de um serviço de formação, agora o cenário mudou.

Assim, se está desempregado e inscrito no centro de emprego e teve indicação para se apresentar numa empresa para responder a uma oferta, saiba que deve fazê-lo normalmente.

Atualmente, a falta de comparência só é justificada se o desempregado estiver em isolamento profilático, pertencer a um dos grupos de risco ou se estiver a acompanhar o filho devido ao encerramento da escola.

Instituto do Emprego e Formação Profissional esclarece que “mesmo durante os períodos em que existe dever de permanência no domicílio, se recebeu uma convocatória de um serviço de emprego ou serviço de formação para uma intervenção a realizar presencialmente deve comparecer, uma vez que estão garantidas todas as condições de higiene e segurança”.

6

Faça trabalho voluntário

Uma boa forma para contornar o desemprego é manter-se ativo através do voluntariado. Faça uma pesquisa das associações onde gostaria de atuar e de que forma.

Ou seja, é importante que reflita sobre as suas competências e de que maneira as pode utilizar para ajudar a associação que escolher para ser voluntário.

Por exemplo: se é da área do marketing, pode optar por fazer voluntariado ajudando uma associação a angariar fundos através das redes sociais. Fique encarregue de algo que domine e ajude de todas as formas possíveis.

O importante é manter-se ativo estando desempregado e claro, obter e consolidar as suas competências – o voluntariado é uma excelente forma para o fazer e ainda tem a oportunidade de conhecer e comunicar com várias pessoas fazendo o bem.

7

Seja ativo e pró-ativo

Estar desempregado não é fácil, especialmente agora, dada a situação que o país atravessa. Mas não desespere! Lembre-se que o desânimo ou a desmotivação (muito normais nestas situações) são os seus piores inimigos.

Tente manter-se positivo e torne-se numa “cara conhecida” dos recrutadores. Não seja apenas mais um candidato, daqueles que envia o CV e fica em casa a aguardar uma resposta.

Candidate-se sim, mas tome a iniciativa de participar em eventos ou formações relacionados com a sua área de atividade. Aqui poderá facilmente conhecer e contactar de perto com os seus potenciais recrutadores. Dê-se a conhecer! Lembre-se que um pouco de proatividade nunca fez mal a ninguém.

Veja também