Inês Pereira
Inês Pereira
26 Jul, 2019 - 10:16
Os maiores mitos sobre networking

Os maiores mitos sobre networking

Inês Pereira

Que a criação de uma rede de contactos é muito importante para a carreira já não é uma novidade. Mas sabia que existem verdadeiros mitos sobre networking?

O artigo continua após o anúncio

Conseguir o cargo que quer na empresa é só o primeiro passo para estabelecer a sua carreira. É importante que compreenda que o sucesso depende de muito mais do que chegar a horas e cumprir os prazos definidos para as tarefas, e as relações profissionais são um bom exemplo daquilo que pode ser verdadeiramente valioso. Ora, de certeza que o conceito de networking já não é uma novidade para si. Mas já conhece os mitos sobre networking?

A questão das relações em contexto profissional é um dos temas mais debatidos atualmente. Toda a gente reconhece a importância de as estabelecer mas, infelizmente, poucos serão aqueles que dominam esta arte com mestria. Acontece que estes relacionamentos têm características específicas e se não as conhecer não conseguirá tirar partido de nenhuma parceria.

Para lhe facilitar a vida e garantir que arrasa no networking, vamos desmistificar este tema e esclarecer todas as dúvidas. Conheça todos os mitos e sinta-se mais à vontade para colocar em prática as suas skills de comunicação.

Os 5 mitos sobre networking que tem mesmo de conhecer

os mitos sobre networking que tem de conhecer

Por esta altura já deve ter pedido a conta à quantidade de vezes que ouviu o termo. Se o decompusermos e o traduzirmos, ficamos com algo como uma “teia de trabalho“, que é, no fundo, aquilo que conhecemos como os nossos contactos profissionais. Por vezes podem demorar vários anos a ser conquistados e, por esse motivo, devem ser bem valorizados e preservados.

Muitas são as pessoas que desdenham este conceito e questionam a sua legitimidade. Contudo, não deve deixar que estas opiniões o intimidem ou moldem o seu pensamento, já que as parcerias laborais podem fazer muito pela sua vida profissional e progressão de carreira. Para que não restem dúvidas, é importante corrigir algumas perceções erradas sobre a arte do networking.

1. Não preciso de networking porque tenho um bom emprego

Este é um dos mitos sobre networking mais generalizados, mas a verdade é que não podia estar mais errado. A ideia de que o a criação de uma rede de contactos é desnecessária ou até reprovável quando se tem um bom emprego pode sair-lhe cara.

As relações laborais são um investimento a longo prazo, pelo que podem ser úteis a qualquer momento. Assim, considerar que só deve valorizá-las quando está desmotivado com o seu emprego ou quando está desempregado é uma má prática e pode prejudicá-lo quando de facto precisar destas parcerias.

Por outro lado, não deve também assumir que este investimento é sinónimo de falta de competência da sua parte. Lembre-se de que é importante anunciar as suas capacidades como se de uma ação de marketing se tratasse. É crucial fazer com que as pessoas se lembrem de si no momento certo.

O artigo continua após o anúncio

2. Vou parecer interesseiro

Contrariamente à visão oportunista que a maior parte das pessoas tem quando se fala em estabelecer uma rede de contactos profissional, o networking deve ser olhado como uma espécie de negociação. Acontece que a parceria, muito provavelmente, não será benéfica apenas para si, pois deve ser uma situação em que ambos ganham.

Como em qualquer outra relação, para que se estabeleça uma verdadeira ligação e um contacto duradouro, é necessário que esteja disponível e que demonstre genuíno interesse em ouvir o outro. Neste sentido, não se tratar de oportunismo ou de uma atitude interesseira, já que falamos de uma colaboração mútua.

3. Basta trocar cartões de negócios

Se pensa que o networking assenta unicamente na troca de cartões de contactos em eventos está muito enganado. O resultado será apenas uma pilha de pequenos cartões na sua secretária que de nada lhe valerão.

Para criar, de facto, uma relação profissional com alguém e ser mais tarde recordado é necessário interagir com as pessoas e mostra-se disponível para futuros encontros ou oportunidades. Converse, partilhe experiências e mostre-se interessado naquilo que as pessoas têm para lhe dizer. E, se possível, procure evidenciar as suas mais-valias.

4. As redes sociais são suficientes

“Tenho várias ligações no Linkedin e no Facebook“. Ora, pensar que isto é o suficiente é um grande erro. Passar horas em frente a um computador a adicionar desconhecidos numa rede social, mesmo que profissional, não é fazer networking.

Uma boa rede de contactos estabelece-se através da interação presencial. É necessário que se relacione verdadeiramente com as pessoas e tenha conversas frente a frente com elas. Por esse motivo, não deve evitar os encontros presenciais, até porque este contacto pode ajudá-lo a ser mais criativo e produtivo.

5. Sou tímido e não conseguirei estabelecer contactos

É um facto que a timidez dificulta o relacionamento com desconhecidos. No entanto, não pode nem deve ser motivo para pensar que é incapaz de estabelecer uma rede de contactos sólida e valiosa. Este é verdadeiramente um dos principais mitos sobre networking e do qual se deve afastar.

Fazer networking significa, acima de tudo, estar disposto a ouvir as outras pessoas e ter interesse nas suas conquistas, especialmente porque pode aprender bastante sobre a sua área profissional. Assim, o facto de ser reservado pode até ser utilizado a seu favor, uma vez que terá maior aptidão para se focar naquilo que têm para lhe dizer em vez que monopolizar a conversa.

O artigo continua após o anúncio

Agora que já conhece alguns mitos sobre networking não pode, nem deve, deixar-se por eles influenciar. Ter uma boa rede de contactos é uma mais valia e está ao alcance de todos.

Veja também