Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Marvin Tortas
Marvin Tortas
23 Dez, 2018 - 00:00

Conduzimos o novo Honda Civic. Conseguirá dominar o segmento C?

Marvin Tortas

O novo Honda Civic cresceu. Está maior, mais largo e mais baixo, e está interessado em cativar o público mais jovem, mas será que a Honda vai conseguir?

Conduzimos o novo Honda Civic. Conseguirá dominar o segmento C?

O Honda Civic foi lançado pela primeira vez em 1973. 45 anos passaram e foi recentemente apresentada a sua 10ª geração.

Mas, continuará este a ser o melhor utilitário à venda no mercado? Conseguirá o modelo de 2018 continuar a fazer jus ao bom nome do Civic? Será este visual demasiado arrojado para o público mais conservador, ou conseguirá o novo Honda Civic conquistar as gerações mais jovens?

Conheça a nossa opinião neste ensaio detalhado sobre o novo Honda Civic!

Novo Honda Civic

civic
Fonte: Honda

Exterior

Ao longo dos anos a Honda habituou-nos a mudar radicalmente as linhas e as formas do Civic, e da anterior para a atual geração existe uma drástica diferença. 

A dianteira deste carro está mais agressiva, mais dinâmica e mais musculada, e é praticamente consensual que as alterações desta geração em relação à anterior versão do Civic foram muito bem conseguidas.

Já a parte traseira do novo Civic não é tão consensual entre as massas e divide mesmo opiniões: ou se ama, ou se odeia. 

Ainda na parte traseira são visíveis dois spoilers que ajudam a “colar” este carro à estrada, sobretudo quando circula a maiores velocidades. Um está visível na parte superior do tejadilho, e outro está incorporado no vidro traseiro.

Na parte lateral realçam as jantes desportivas e o tejadilho mais baixo que dão a sensação deste carro se tratar de um desportivo nato.

Interior

O exterior impressiona, é um facto, mas é sobretudo no interior deste Honda Civic que somos conquistados por este carro.

Mesmo na versão ensaiada (a Elegante, que é a 2ª mais baixa a nível de equipamento), tecnologia é coisa que não falta, e qualquer aficcionado dos “gadgets” vai achar o novo Honda Civic um verdadeiro brinquedo.

Em relação à geração anterior, praticamente todo o sistema de infoentretenimento foi alvo de uma revolução (no bom sentido claro). Este sistema está agora muito responsivo ao toque, mais orientado para o condutor e bastante mais fácil de usar enquanto se conduz.

E porque falamos de tecnologia, é importante referir que este carro, mesmo nas versões de entrada, já está equipado de série com sensores dianteiros e traseiros, câmara traseira, GPS, sistemas de conectividade com o smartphone como Apple CarPlay ou Android Auto, LKAS (sistema de manutenção na faixa de rodagem), ACC (sistema de anti colisão em cidade), ou cruise control adaptativo.

De série é também o incrível ecrã digital no painel de instrumentos, que tem ótima resolução e mostra toda a informação útil para o consumidor de uma forma muito simples e intuitiva.

Impressiona ainda a qualidade dos materiais utilizados pela Honda na construção deste carro. Os plásticos e a pele utilizados têm um toque digno de uma marca premium alemã, tanto na parte frontal, como na parte traseira. E por falar na parte traseira, espaço é também coisa que não falta ao Honda Civic, quer para passageiros, quer para acomodar bagagens, ou não fosse este ser líder do segmento C no que a espaço para a bagageira diz respeito.

Mas, como será conduzir o Honda Civic? Será que impressiona tanto como o interior e o exterior? Vamos descobrir.

Condução

Antes de falarmos das prestações, falemos da posição de condução do novo Honda Civic. Sobretudo para aqueles que gostam de uma posição de condução bem desportiva, neste carro é possível colocar o assento bem lá para baixo como se estivéssemos num autêntico carro de corridas.

A versatilidade deste carro é tanta que, se quiser também ajustar os bancos e sentir-se como se estivesse a conduzir um SUV também é possível. De realçar que qualquer que seja a posição de condução que escolhemos, o conforto é garantido, não só aquele que é oferecido pelos bancos deste automóvel, mas também pela suspensão utilizada no novo Honda Civic, que oferece a combinação perfeita entre dinamismo e conforto. Para isso, muito contribui o facto deste carro ter suspensão independente também no eixo traseiro, o que permite atacar qualquer curva com alguma velocidade e mesmo assim nunca perder a sensação de segurança e de conforto.

Também a direção do novo Honda Civic é muito precisa. O volante tem uma direção bastante desmultiplicada e apenas dá uma volta para cada lado, o que facilita bastante não só as manobras em cidade, mas também quando queremos conduzir de uma forma mais desportiva não é necessário fazer tantos movimentos com os braços para mudar de direção.

A motorização utilizada na versão ensaiada é a 1.6, diesel de 120 cavalos, a mesmíssima utilizada pelos Honda HR-V e CR-V, carros ensaiados também já ensaiados por nós, e se no CR-V tinha achado este motor totalmente desajustado, no novo Honda Civic esta motorização assenta-lhe que nem uma luva. Graças aos 300 Nm de binário, quase não é necessário recorrer à caixa de velocidades durante a viagem. Caixa de velocidades que por sinal tem umas passagens muito saborosas, com um curso bastante curto e um feeling bastante mecânico.

A Honda anuncia consumos de 3,5L/100km para esta versão, no entanto, durante os quase 1000km que fizemos com o novo Honda Civic, a média ficou-se pelos 4,5L/100km, o que é ainda assim um número realmente impressionante para um carro com estas dimensões e um motor tão capaz.

O sistema de infoentretenimento é relativamente simples de operar enquanto se está a conduzir, estando o ecrã central posicionado de uma forma mais fácil de aceder por parte do condutor, tendo agora botões físicos para ajustar a temperatura do ar condicionado ou o volume do rádio, não obrigando a tirar os olhos da estrada. 

Preços

A versão ensaiada do Honda Civic era a Elegance Navi com o motor 1.6 diesel de 120 cavalos associado a uma caixa manual de 6 velocidades e que tem um preço base de 29 450€. Esta é aquela versão que quererá comprar pois tem todo o equipamento que realmente precisa.

Se pretender a mesma versão equipada com um motor a gasolina 1.0 de 3 cilindros e 126 cavalos de potência, os preços começam nos 26 045€.

Ainda assim, a versão mais barata do Civic custa apenas 23 305€, e mesmo essa já traz algum equipamento de série que lhe permitirá circular muito confortavelmente.

A Honda esmerou-se a renovar o Honda Civic, e aquele que é um dos carros mais vendidos do mundo promete continuar a fazer sucesso nos próximos 4 anos.

Este é um dos segmentos mais competitivos do mercado, e entre o Renault Megane, o Volkswagen Golf ou um Honda Civic, qual preferia? Depois de ter convivido com este Honda durante 1 semana, para mim as dúvidas são poucas: tanto a Renault como a Volkswagen têm que se esforçar muito mais para conseguir oferecer a mesma qualidade por menos de 30 000€.

Veja também