Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
08 Mai, 2018 - 15:16

O que fazer no Porto em 2 dias: o tour imperdível na invicta

Mónica Carvalho

É uma das principais cidades do país, famosa pelo vinho e pelos encantos mil. Se dispõe de pouco tempo, revelamos o que fazer no Porto em 2 dias.

O que fazer no Porto em 2 dias: o tour imperdível na invicta

Boa comida, pessoas simpáticas e genuínas, cidade de uma beleza única que não se encontra noutro lado. Prepara-se para se perder de amores por esta cidade com o guia sobre o que fazer no Porto em 2 dias.

A invicta é uma cidade cheia de carácter e personalidade, onde de destaca um sotaque inconfundível e um ambiente de bem-estar que faz qualquer com que pessoa se sinta bem-vinda.

O que fazer no Porto em 2 dias

Dia 1

09h: pequeno almoço no café Majestic. Há quem diga que é o café mais bonito do mundo e, como tal, este espaço emblemático da Invicta é merecedor de uma visita especial, para começar a viagem pelo Porto. Foi fundado em 1921 e apresenta uma atmosfera de requinte e bem-estar, como se fôssemos transportados para outros tempos.

Detentor de uma beleza única e incomparável, o Majestic foi classificado como Imóvel de Interesse Público em 1983 e alvo de algumas intervenções que permitiram a sua reabertura em 1994, continuando a espalhar charme e fascínio a quem o visita, numa clara alusão à Belle Époque.

café majestic

10h: passeio pela Rua de Santa Catarina. Aproveite a abertura dos estabelecimentos comerciais para fazer algumas compras no comércio local de uma das ruas mais emblemáticas da invicta, cuja planificação se deve ao espírito visionário dos Almadas cujas obras de requalificação, na segunda metade do século XVIII, trouxeram à cidade do Porto uma nova luz e perspetiva.

11h: visita à Estação de São Bento. Visitar o Porto e não dedicar uns minutos à estação de comboios de São Bento é, acredite, quase um crime. O átrio merece uns minutos de contemplação, com os seus vinte mil azulejos que retratam a evolução dos transportes e cenas da história de Portugal, da autoria do pintor Jorge Colaço.

são bento

11h30: Capela das Almas. Está atualmente em recuperação, mas vale a pena uma visita a este local que data de início de séc. XVIII. A igreja possui no seu interior azulejos (algo muito comum na cidade portuense), que representam a vida de S. Francisco de Assis e de Santa Catarina.

12h: subir a Avenida dos Aliados – um dos mais importantes arruamentos e que atualmente alberga o edifício dos Paços do Concelho no seu topo, como parte do plano de expansão do centro cívico da cidade, que foi elaborado pelo arquiteto inglês Barry Parker. Chamam-lhe a “sala de visitas” do Porto, pela imponência de todo o conjunto arquitetónico e pelo seu caráter central. É também o destino escolhido pela população para grandes celebrações.

avenida dos aliados

12h30: visitar o Mercado do Bolhão temporário. O histórico e marcante Mercado do Bolhão encerrou recentemente para obras de requalificação, que vão transformar o espaço por completo e cuja inauguração está prevista para 2020. Até lá, e a apenas 200 metros do edifício original, poderá visitar o mercado temporário e viver a experiência junto das vendedoras locais.

13h: pausa para almoço. Aproveite para se deliciar com a famosa francesinha! Não faltam espaços de qualidade para provar este petisco.

14h30: conhecer a Torre dos Clérigos. São 240 degraus até ao topo, numa viagem pouco aconselhada aos claustrofóbicos, mas que vale muito a pena pela vista panorâmica sobre o Porto e rio Douro. A Torre dos Clérigos é uma obra barroca, da autoria de Nicolau Nasoni e foi construída na primeira metade do século XVIII. Poderá ainda descobrir algum do Acervo da Irmandade e a Coleção dos Christus, na igreja da torre, naquela que é uma verdadeira viagem pelo tempo e pelo espaço.

torre dos clérigos

15h30: descobrir o Centro Português de Fotografia. O acesso é gratuito e existem sempre exposições para os espíritos mais curiosos. É um espaço que visa a promoção e valorização do património fotográfico, nomeadamente o tratamento arquivístico de espécies e a gestão da Coleção Nacional de Fotografia.

16h30: lanche na Padaria Ribeiro. É tempo de fazer uma pequena pausa e que melhor opção do a histórica Padaria Ribeiro, fundada em 1878, na antiga Praça do Pão. Aqui destacam-se a tradição e a qualidade dos produtos, provando que a tradição ainda é o que era.

17h: visitar a Livraria Lello. Já se perdeu a conta do número de vezes que esta foi considerada a mais bela livraria do mundo. De tal forma imponente, que deve contar com uma fila considerável para entrar, pois todos querem conhecer o espaço que inspirou J.K. Rowling a criar o ambiente mágico da escola de magia de Hogwarts, da saga Harry Potter.

O atual edifício foi inaugurado em 1906 e distingue-se pela fachada Arte Nova, com apontamentos neogóticos e, no interior, encontrará a famosa escada de acesso ao piso superior, que é, aliás, uma das primeiras construções de cimento armado da cidade do Porto -, e o grande vitral existente no tecto, que ostenta o monograma e a divisa da livraria: “Decus in Labore“.

livraria lello

18h: final de tarde nos Jardins do Palácio de Cristal. Um local perfeito para relaxar depois de um dia de descobertas e aventuras. Os jardins ocupam uma área de oito hectares – um pulmão verde em pleno centro da cidade, e foram projetados no século XIX pelo arquiteto paisagista alemão Émille David. As vistas panorâmicas sobre o rio e sobre a cidade, com miradouros em posições estratégicas são, sem dúvida, o ex libris deste espaço.

jardins do palácio de cristal

Dia 2

09h30: conhecer a Igreja Monumento de S. Francisco de Assis. Este é o principal templo de estilo gótico existente na cidade, cuja construção se iniciou no século XIV, destacando-se o interior em talha dourada, que a levou a ser conhecida como a “igreja de ouro”.

10h: descobrir o Palácio da Bolsa. Aqui localiza-se a sede da Associação Comercial do Porto e é um dos monumentos nacionais da Invicta mais visitados, principalmente pelo famoso Salão Árabe. Uma sala exótica e singular que merece a visita.

palácio da bolsa

11h: passear pela Ribeira até à Ponte Luis I. Deslumbre-se com as vistas para o Rio Douro ao caminhar pela Ribeira – há sempre tempo para as fotografias da praxe, enquanto se dirige até à Ponte Luís I, projetada pelo Eng.º Teófilo Seyrig, discípulo de Eiffel – sim o mesmo Gustave Eiffel e inaugurada em 1886. Uma obra de incrível, cujo arco ainda hoje é considerado o maior arco do mundo em ferro forjado.

ponte luis I

12h30: passeio de Barco pelo Rio Douro. Há muitas empresas na zona da Ribeira e Cais de Gaia a disponibilizar este serviço, pelo que ficará satisfeito com qualquer uma delas. Durante cerca de uma hora irá relaxar embalado pelas ondas de um barco rebelo, antigamente utilizados para transportar as pipas do vinho do Porto, desde o Douro até às caves.

13h30: pausa para almoço num dos muitos restaurante tradicionais no Cais de Gaia.

14h30: visita às Caves de Vinho do Porto com direito a degustação. Mais um ponto de paragem obrigatório numa visita de dois dias à Invicta. Na zona do Cais de Gaia encontrará várias marcas conhecidas, com visitas frequentes e ainda terá a oferta de uma prova de degustação dos diversos tipos de vinho.

cais de gaia

15h30: ver o Douro no Teleférico de Gaia. Com esta viagem poderá ter uma vista privilegiada sobre o rio e a cidade, contemplando a sua beleza e serenidade, bem como visualizar os rústicos telhados das caves de Gaia. No destino, encontrará o Jardim do Morro – mais um espaço obrigatório para as fotografias habituais, após uns minutos de contemplação pela paisagem apaixonante.

jardim do morro

16h30: Casa da Música. Este edifício é um dos mais recentes e marcantes da cidade e foi projetado pelo arquiteto holandês Rem Koolhaas e inaugurado em 2005. É um verdadeiro ícone da arquitetura contemporânea, atraindo visitantes dos mais variados pontos do mundo, também pela programação dinâmica e inovadora.

casa da música

17h30: visita ao Museu de Arte Contemporânea de Serralves e Parque de Serralves. É o mais importante museu de arte contemporânea em Portugal e foi projetado pelo arquiteto Siza Vieira. Localiza-se na Fundação de Serralves e permite a fruição e a compreensão da arte e da cultura contemporâneas.

O dia termina com um jantar num restaurante portuense à sua escolha e boas opções não faltam, dependendo dos gostos e do orçamento disponível. Recomendamos depois uma ida até à Rua das Galerias de Paris, para descontrair um pouco, beber um copo, dançar e conhecer novas pessoas. Sem dúvida, que esta será a melhor forma de se despedir da Invicta.

Veja também: