Márcio Matos
Márcio Matos
22 Mai, 2019 - 11:39
Caminhadas: um saltinho ao parque da Senhora do Salto

Caminhadas: um saltinho ao parque da Senhora do Salto

Márcio Matos

Portugal está repleto de cantinhos surpreendentes que urge descobrir e a Senhora do Salto é um deles. Fique a saber por que vale a pena ficar a conhecê-la.

O artigo continua após o anúncio

O parque da Senhora do Salto pertence à Rota do Românico e refere-se ao curso do rio Sousa, que segue por entre duas arribas, formando um caminho estreito, conhecido localmente por inferno.

Para além dos atrativos paisagísticos e geológicos, a Senhora do Salto é ainda um destino de eleição para os amantes de desportos de montanha, bem como para os fãs de mitos e lendas, havendo até quem se desloque a este local em peregrinação. Mas sobre tudo isto falaremos em seguida, quando lhe contarmos alguns dos segredos e atrativos da Senhora do Salto.

Um saltinho ao parque da Senhora do Salto

Senhora do Salto

Situado no concelho de Paredes, este núcleo paisagístico fica entre altas serras, interrompidas pelo rio Sousa. Também aqui fica a chamada “Boca do Inferno”, local com caraterísticas geológicas muito próprias e envolto em misticismo.

O parque da Senhora do Salto é um destino muito procurado para vários fins. Além de poder relaxar e descansar, aí é possível praticar BTT, pedestrianismo e fazer rappel e escaladas nas suas escarpas. Nestes percursos, é possível subir ao topo da Serra de Santa Iria de onde se alcança uma vista ampla e magnífica sobre a paisagem circundante.

Esta zona faz parte da Rede Natura 2000, o que significa que os seus habitats e espécies (flora e fauna) se encontram protegidos, sendo possível a observação do falcão peregrino, a andorinha das rochas, entre outros seres vivos raros.

A Senhora do Salto é um dos pontos de destaque da Rota do Românico. Trata-se de um curto lanço do rio Sousa, quando este se aperta entre duas arribas, formando uma garganta à qual o povo se habituou a chamar de inferno.

Lenda

No local, é ainda possível observar uma pedra aplanada com cinco covas. É esta pedra o mote para as lendas que marcam esta zona. Conta-se que foi nessa rocha que um cavaleiro, perseguido por uma lebre ou um veado (encarnação do Diabo), terá caído, tendo sobrevivido por invocação e proteção de Nossa Senhora.

Assim, as ditas “cinco covas” da pedra dirão respeito às quatro patas e ao focinho do equídeo. Diz-se, também, que a pequena capela de Nossa Senhora do Salto tenha sido mandada construir precisamente por este cavaleiro, como agradecimento pelo milagre.

O artigo continua após o anúncio

Se esta lenda lhe parece familiar, talvez se esteja, na verdade, a recordar de um outro milagre, nesse caso ocorrido na Nazaré, segundo o qual Dom Fuas Roupinho, saído do seu Castelo de Porto de Mós, invocou Nossa Senhora para que ela não o deixasse cair precipício abaixo, num momento em que um veado (o Diabo) o conduziu até um penhasco. Também nesta situação a pedra do precipício apresenta marcas que são relacionadas com as patas do cavalo, “travando” a queda eminente.

Senhora do Salto

Como chegar?

Para sermos mais precisos, o parque da Senhora do Salto fica em Aguiar de Sousa. Chegado à localidade, é necessário procurar a sinalética que indica o desvio para o Parque Natural, feito através de uma estrada estreita, de declive acentuado e que segue em direção ao rio.

Aí pode estacionar e, depois, seguir a pé ou para a esquerda, onde se encontram os pilares de betão que sustentam um gigante viaduto, ou para a direita, onde se encontra a Senhora do Salto, propriamente dita. Seguindo este último percurso, é então possível observar o rio a correr, atravessar uma ponte em madeira e alcançar uma pequena cascata entre duas paredes.

Conquistado e curioso acerca dos encantos da Senhora do Salto? Certamente que sim. Então, a nossa sugestão é que aproveite o bom tempo e um dia livre para rumar até Aguiar do Sousa, em Paredes, e visitar este lugar único e repleto de atrativos.

Leve a família e os amigos e, claro, uma merenda, muita água e, claro, se o sol brilhar, não podem faltar chapéus, nem protetor solar. Proporcione a si e aos seus um dia diferente, em plena comunhão com a Natureza e, também, com os mitos e lendas da história local.

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp