Márcio Matos
Márcio Matos
25 Abr, 2019 - 01:00
Escapadinha de fim-de-semana: trilho das Fisgas do Ermelo

Escapadinha de fim-de-semana: trilho das Fisgas do Ermelo

Márcio Matos

Fazer o trilho das Fisgas do Ermelo é um ótimo programa para um fim-de-semana a dois ou para uma divertida saída em família. Fique a conhecer este percurso.

O artigo continua após o anúncio

Hoje, partilhamos consigo as principais informações sobre o trilho das Fisgas do Ermelo, um percurso pela serra do Alvão, em que poderá contemplar uma série de belezas e encantos naturais. Cascatas, lagoas e paisagens a perder de vista, num percurso que, apesar de não ser longo, é de dificuldade moderada a difícil.

Tome nota de todas as informações e dicas úteis que lhe vamos deixar sobre o trilho das Fisgas do Ermelo, em Mondim de Basto, e aproveite para fazer este percurso enquanto o tempo não aquece em demasia para estas aventuras na montanha.

Escapadinha de fim-de-semana: trilho das Fisgas do Ermelo

Ermelo

O trilho das Fisgas do Ermelo fica em plena serra do Alvão, no concelho de Mondim de Basto. Circunda as Cascatas do rio Olo e são das mais altas de Portugal, com 200 metros de altura. Por esta e outras razões, este é um dos trilhos mais importantes do nosso país.

Trata-se de um percurso exigente em termos físicos, mas muito compensador, graças à beleza das cascatas, das lagoas naturais e das vistas sobre a Serra do Alvão e o Monte Farinha. Por esse motivo, a sugestão é que comece o trilho cedo e com tempo, para que possa usufruir de tudo sem pressa.

Percurso e direções

Embora difícil fisicamente, este trilho está muito bem sinalizado, o que facilita a execução do percurso, mesmo por quem não é super experiente nestas incursões.

O percurso tem, então, início na aldeia de Ermelo, junto à Igreja Paroquial, podendo estacionar por essa zona. Atravesse a aldeia, observe as suas casas típicas de xisto e ardósia e desça em direção à Ribeira de Fervença. Depois de atravessar a ponte de madeira, siga por uma estrada florestal.

Deste local até ao ponto seguinte, o Miradouro Alto da Cabeça Grande, terá de subir (e  muito!), superando um desnível de 400 metros em 3 km. Esta etapa é das mais exigentes, sobretudo em dias de mais quentes.

Contudo, não deixe de aproveitar o percurso e admirar as magníficas paisagens, observáveis a partir do Miradouro da Lomba do Bulhão, de onde pode avistar os desfiladeiros (Fraga Amarela) e as imponentes Fisgas de Ermelo. Aproveite, também, para descansar, sentando-se nas muitas pedras disponíveis e usufruindo ao máximo da beleza natural e do silência sagrado daqueles espaços.

O artigo continua após o anúncio

O som das cascatas

Chegado ao Miradouro do Alto da Cabeça Grande, delicie-se a ouvir o som das cascatas de Ermelo e a admirar todas a sua beleza. Perto dessa zona, pode ainda ir dar um mergulho às Piocas de Cima, lagoas naturais formadas pelas cascatas e detentoras de uma água cristalina muito convidativa a banhos.

De volta ao trilho, parta agora em direção à zona florestal paralela ao rio Olo. Aproveite as sombras, faça um piquenique e siga pela margem esquerda do rio, passando aldeia de Varzigueto. Depois, atravesse o rio e vá até à Cancela do Miradouro, que oferece uma vista fantástica sobre o Monte Farinha.

A partir deste momento, começa a fase em que a descer todos os santos ajudam e, assim, irá chegar ao Miradouro das Fisgas do Ermelo, onde ficam as cascatas e as suas escarpas verticais. Continue a descer de regresso à Aldeia de Ermelo, tendo cuidado devido ao desnível acentuado e às pedras soltas, existentes pelo caminho.

Ainda antes de concluir o trilho, e se ainda sobrar energia, pode fazer um pequeno desvio até outras piscinas naturais, neste caso, as Piocas de Baixo. Retorne ao percurso e continue a descer até ao rio, atravessando a ponte da Abelheira.

Informações úteis

  • Distância: 12,5 km
  • Circular: Sim
  • Dificuldade: Moderada/Difícil
  • Partida/Chegada: Aldeia de Ermelo (coordenadas GPS N41º21’37” W07º53’21”)

Quando ir?

O trilho pode ser percorrido em qualquer altura do ano, mas na primavera e no princípio do verão as cascatas e as piscinas naturais são particularmente agradáveis não só para admirar, como para se refrescar. O importante é privilegiar um dia de clima ameno e temperaturas agradáveis, sem muito calor.

O que levar?

  • Calçado de caminhada confortável;
  • Comida e bebida, especialmente água e fruta;
  • Saco para lixo;
  • Mochila prática e leve;
  • Protetor solar, óculos de sol e chapéu;
  • Fato de banho e máquina fotográfica (opcional, mas muito útil).
Veja também