Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Tatiana Carvalho
Tatiana Carvalho
19 Jun, 2018 - 12:12

As 7 piores ideias para sair de uma situação de dívida

Tatiana Carvalho

Estas são as piores ideias que alguém pode ter para sair de uma situação de dívida. Não descure as suas finanças pessoais.

As 7 piores ideias para sair de uma situação de dívida

Contrair uma dívida pode ser preocupante, mas tomar a decisão de sair desta situação pode ser um dos fatores determinantes para uma mudança significativa na vida de uma pessoa.

Quem decide liquidar as dívidas precisa de ter em mente que o compromisso com esta decisão pode significar sacrifício, mas é totalmente possível de ser feito. Mais do que saber o que é preciso fazer para pagar o que deve, é necessário entender todos os erros que deve evitar cometer.

7 piores ideias para se sair de uma situação de dívida

1. Manter os mesmos hábitos

banco

Todos possuem hábitos: de comer nos mesmos lugares, de comprar alimentos nos mesmos supermercados e de conduzir sempre o mesmo carro. É natural que seja assim, hábitos trazem a garantia de uma vida mais confortável e menos sujeita a surpresas desagradáveis.

O problema é que estes mesmos hábitos podem acabar por custar mais caro no final do mês e, se não forem revistos, talvez seja mais difícil sair da situação de dívida. Prefira refeições feitas em casa, do pequeno-almoço à marmita do almoço, evite saídas à noite dispendiosas e organize o seu lazer.

2. Tentar sair da dívida sozinho

bank

Tentar calcular e planear um orçamento sozinho pode ser complicado. Peça ajuda a especialistas, sejam eles amigos ou parentes. Pode procurar um contabilista ou até uma financeira para diversificar as opções.

3. Optar pelo crédito pessoal sem entender as consequências

credito

Existem dívidas que quando são pagas de uma só vez ficam menos complicadas para o orçamento, e existem ainda as dívidas que não podem ser parceladas. Para estes casos, uma das opções é solicitar um crédito pessoal, que pode permitir que tudo seja pago de uma só vez.

No entanto, um crédito pessoal exige compromisso, pois ele também precisa de ser pago. Antes de correr para contratar um, entenda os detalhes do contrato para não criar uma bola de neve de dívidas.

4. Não manter um orçamento realista

budget

Seja realista com as suas possibilidades. Crie um orçamento mensal que possibilite pagar as dívidas e manter as suas despesas básicas. Se se comprometer a pagar mais do que pode, provavelmente irá aumentar o problema.

5. Tentar pagar todas as dívidas de uma só vez

Tem mais do que uma dívida? Não tente dar conta de todas de uma só vez. Defina prioridades e resolva uma de cada vez. Assim é possível manter a organização e o orçamento em dia.

6. Não manter um fundo para emergências

Sempre, em todos os momentos, não importa o que aconteça, mantenha um fundo financeiro para emergências. Continue a colocar de lado um montante para imprevistos. Quando estiver a pagar a dívida pode ser que a quantia seja menor, mas ainda assim não pare de realizar esta reserva. Pode ser importante no futuro.

7. Parar de fazer contribuições importantes

Em hipótese alguma torne a dívida algo tão grande que o impeça de contribuir para o seu plano de reforma, segurança social ou plano de saúde. Tais contribuições devem ser consideradas como despesas básicas e mantidas mensalmente e anualmente, quando aplicável.

Veja também: