Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
09 Nov, 2020 - 10:20

Placas de fogão: conheça as diferentes tipologias

Mónica Carvalho

Indispensáveis para preparar pratos deliciosos, as placas de fogão estão disponíveis em diversos formatos. Conheça melhor cada um.

Placas de fogão

Seja porque precisa de renovar a cozinha ou de substituir um eletrodoméstico avariado vai querer saber mais sobre as placas de fogão, nomeadamente os diferentes tipos que encontra à venda e quais as principais características de cada um.

Assim, irá compreender as funcionalidades de cada tipologia, de modo a tomar a decisão certa para as suas necessidades e espaço disponível, respeitando ainda o orçamento que estipulou para esta compra.

É certo que, atualmente, as placas de fogão vão muito além das tradicionais placas a gás, ainda que muitas pessoas continuem a preferi-las. Por isso, entre neste mundo e torne-se num expert no assunto.

5 tipos de placas de fogão para conhecer

Cada tipologia tem as suas especificidades, vantagens e desvantagens, que podem determinar se é ou não a escolha mais adequada para a sua cozinha. Tome nota.

Placas de fogão a gás

Estas são as placas mais tradicionais e preferidas por quem privilegia cozinhar “à moda antiga”, até porque, defendem, a comida fica ainda mais saborosa.

A temperatura de confeção é fácil de controlar pelo aspeto visual da chama, além de que é um sistema que aquece rapidamente. Além disso, permite a utilização de todo o tipo de utensílios, seja em ferro, inox ou alumínio.

Alguns modelos mais recentes contam já com indicadores LED e de calor residual no painel de controlo, o que fornece um maior conforto e segurança para cada utilizador, visto que pode haver corte do fornecimento de gás caso a chame se apague por algum motivo.

As placas a gás são muito fáceis de limpar e até mais acessíveis no momento da compra, mas também no momento da utilização, visto que o preço do gás é bem mais apelativo do que o preço da eletricidade.

Todavia, a instalação requer algum conhecimento do assunto, pelo que deve ser feita por um profissional. De igual modo, ainda que a limpeza seja fácil é extremamente necessária e minuciosa, de modo a garantir que os queimadores não fiquem obstruídos.

Placas de fogão de vitrocerâmica

Este tipo de placa de fogão é provavelmente o que mais comum nas cozinhas contemporâneas, visto que nos últimos anos têm sido a preferência para equipar esta parte da casa. Isto acontece essencialmente por dois motivos: pelo seu design elegante e contemporâneo, que se enquadra na perfeição em diferentes tipos de cozinha e bancada, mas também pelo preço acessível.

Embora demore a aquecer, o que pode levar a um maior gasto energético, também demora a arrefecer, pelo que o calor residual pode ser determinante para terminar o processo de cozedura.

Outra boa notícia é que podem ser utilizadas com todo o tipo de utensílios de cozinha, bem como são de fácil instalação e limpeza. Basta colocar o produto adequado e limpar com um pano de cozinha. Se, porventura, tiver alguma sujidade mais teimosa, poderá usar um raspador adequado às placas de vitrocerâmica que permite facilmente remover os resíduos incrustados.

Placas de fogão de indução

No que ao aspeto diz respeito, as placas de indução são iguais às placas vitrocerâmicas, mas as semelhanças ficam mesmo por aí.

Possuem uma tecnologia de ponta que faz com que aqueçam rapidamente, o que permite uma poupança de 40% de energia quando comparadas com as placas de vitrocerâmica.

São ainda mais seguras, visto que geram um campo magnético através do uso de potentes ímanes que só se ativam quando entram em contato com um recipiente de fundo ferromagnético. Isto é, se nada estiver em cima da placa, então esta não aquece. Este aspeto tem também um lado menos positivo que é o facto de só se poder usar determinados materiais.

São ótimas de manter e fáceis de limpar, visto que com um simples pano húmido, poderá mantê-la de aspeto impecável, como nova.

Por tudo isto não é surpreendente que as placas de indução sejam mais caras.

Placas de fogão modulares (placas dominó)

As placas dominó são pouco usadas nas cozinhas portuguesas, aliás, até é frequente vê-las nos programas de culinária que nos deixam a suspirar não só com os pratos preparados, mas também pelos materiais, utensílios e equipamentos utilizados.

Por isso, se almeja esse mundo de um verdadeiro chef de cozinha, então, este tipo de placas é bastante útil, porque permite combinar placas elétricas, a gás ou até grelhadores consoante os gostos e necessidades, fazendo assim, as suas próprias combinações.

Em cozinhas pequenas ou espaços de configurações incomuns esta pode ser uma alternativa vantajosa a considerar. Tenha todavia em atenção que apesar de cada módulo ser acessível, quando combinado com outros, poderá ser mais dispendioso do que um modelo específico de placa de fogão.

Placas de fogão mistas

Para quem quer ter mais do que uma alternativa, mas sem necessidade de tão grande modernidade como são as placas dominó, então, as placas de fogão mistas são uma solução. Combinam bocas a gás e elétricas, que poderão ser usadas a seu bel prazer.

Placas de fogão: o que deve ter em conta antes de decidir

Dada a variedade e características específicas, poderá estar indeciso quanto à opção final. Nesse sentido, estas dicas poderão ajudar:

  • Considere o tipo de fornecimento de energia que tem e da qual consegue tirar máximo proveito, seja a gás ou elétrica;
  • As necessidades de uma família grande não são iguais a de uma pessoa que viva sozinha, por exemplo. Pelo que no primeiro caso tudo o que ajude a poupar pode ser útil, bem como o que facilite a vida das famílias;
  • Tenha sempre em conta o espaço que possui na cozinha, tire as medidas necessárias, porque isso poderá condicionar as suas escolhas;
  • Depois de fazer a sua escolha, comece a preparar a lista de refeições deliciosas que vai preparar na sua nova placa de fogão.
Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].