Márcio Matos
Márcio Matos
04 Mai, 2020 - 16:03

Sicília paga aos turistas metade da viagem no outono

Márcio Matos

Uma viagem à fantástica Sicília pode sair mais barato no Outono. Pelo menos é o que pretende a campanha lançada pelos responsáveis da ilha.

Praias da Sicília

Pois é. A Sicília, a fantástica ilha italiana das praias envolventes e da histórica cidade de Palermo, está a pensar levantar-se da crise económica que afecta o mundo em virtude da pandemia da COVID-19 de uma forma original.

Como o turismo é uma atividade nuclear na economia da ilha, os responsáveis políticos lançaram uma campanha em que pagam metade da viagem e uma em cada três noites de estadia aos turistas que visitaram Sicília no Outono.

Com um orçamento global de 50 milhões de euros, a campanha dará ainda aos turistas uma série de vouchers para serem utilizados em atividades culturais ou de vista ao património. O projeto deverá arrancar assim que as fronteiras abram.

Estima-se que a Sicília já tenha perdido qualquer coisa como mil milhões de euros empreitas relacionadas com o turismo desde que a pandemia atingiu com particular violência o território italiano.

Para começar a fazer planos, deixamos aqui algumas das maiores atrações de Palermo, uma cidade cheia de encantos e história.

Palermo: a fantástica capital da Sicília

Igreja na Sicília

1. Casa Professa

Esta igreja é a expressão mais eloquente do barroco siciliano, aqui expresso com grande opulência e esplendor. Encontra-se adjacente à “casa mãe” jesuíta (Casa Professa). A sua construção foi iniciada nos finais de 1500 e concluída em 1636.

O interior é extremamente decorado (aqui trabalharam artistas como Ignazio Marabitti, Pietro Novelli, Vito D’Anna, Giacomo e Procopio Serpotta) e no exterior é possível admirar a estátua de Nossa Senhora do Groto, datada do século XVIII.

2. Museu Genio

Situado, precisamente, junto da Fontana del Genio na Piazza Rivoluzione, entre neste palácio que encanta pela sua riqueza decorativo e frescos dos finais do século XVIII.

Neste espaço, poderá ficar a conhecer uma coleção de mais de 2000 peças de majolica, provenientes maioritariamente do sul de Itália, Campania e Sicília, estando datadas do período que vai do século XVI ao início do XX.

3. Mondello

Palermo também se faz de praia e aqui fica uma de areal límpido e um mar turquesa. Além da beleza da paisagem e da maravilhosa paleta de cores, é possível (e aconselhável) dar um mergulho e nadar naquelas águas, inclusive se se fizer acompanhar por crianças. Mas se não levar fato de banho, não há problema. Um passeio à beira-mar já valerá bem a pena uma visita à Sicília.

tecto pintado em igreja

4. Golfo di Mondello

Esta vila piscatória da Sicília, conhecida como “la piazza” oferece cafés e restaurantes, especialmente de comidas rápidas e de peixe (não fosse uma vila piscatória!). O areal é convidativo e a época balnear funciona de maio a setembro. Nessa altura, há cadeiras, guarda-sóis e barracas para utilizar. A abertura da época balnear é marcada por um Festival Internacional onde são exibidas algumas atividades aquáticas.

5. Massimo

Não pode mesmo deixar de visitar o Teatro Massimo, o maior de Itália e o terceiro maior da Europa (apenas ultrapassado pela Ópera de Paris e pela Ópera de Viena). A grandiosidade, beleza e elegância deste espaço são únicas e, aqui, pode assistir a espetáculos de ópera, ballet e música sinfónica.

6. Teatro Puppet

Desde 2008 Património oral e intangível da humanidade pela UNESCO, aqui é possível assistir a alguns dos melhores teatros de marionetas da Sicília e de todo o mundo. Graças a este Teatro e ao Museu Internacional de Marionetas Antonio Pasqualino, esta expressão artísticas tem ganho dimensão e relevo no panorama nacional e internacional.

7. Palácios Comitini, Sant’Elia, delle Ferrovie e Jung

Numa rota fácil de desenhar no mapa de Palermo e de percorrer, fiquemos a conhecer quatro monumentos importantes da cidade.

  • Os Palácios Comitini e Sant’Elia, ambos edifícios do século XVIII, ilustram e bem, com as suas fachadas majestosas, o espírito e o estilo barroco.
  • Já o Palácio delle Ferrovie apresenta uma outra linguagem de inícios do século XX, com um estilo art déco.
  • Finalmente, o Palácio Jung é um bom exemplar da belle époque, sendo de visita obrigatória o seu jardim tropical.
Catedral de Palermo

8. Catacumbas

Embora possa não ser uma visita para todos na Sicília, suscita certamente curiosidade visitar um local onde se encontram 8000 corpos mumificados, os quais pertenceram a nobres, burgueses e membros do clero que viveram entre os séculos XVI e XIX.

O estado de preservação dos corpos é impressionante e, apesar de muitos considerarem um espetáculo mórbido ou macabro, o que é certo é que é um testemunho dos hábitos e tradições da sociedade de alguns séculos atrás.

9. Palácios Abatellis, Mirto e Steri e Villa Garibaldi, Piazza Marina

  • Palácio Abatellis: este edifício data dos finais do século XV e é um bom exemplo da arquitetura gótica. Também já foi um mosteiro, mas atualmente alberga a Galeria Regional de Arte Moderna. No interior do Palácio, é possível encontrar obras de alguns artistas intemporais, como de Domenico, Antonello Gagini, Filippo Paladini, Antonello da Messina, Pietro Novelli, Antoon Van Dyck, Vito D’Anna, entre outros.
  • Palácio Mirto: Bem no centro de Palermo, fica este palácio que serviu de residência nobre durante vários anos. O edifício data do século XIII, mas foi sendo alterado ao longo tempo. Paralelamente à decoração dos séculos VII e IX, há fontes rocaille e uma série de divisões para visitar e que nos permitem ficar a conhecer melhor os hábitos de vida das famílias nobres.
  • Villa Garibaldi, Piazza Marina: esta villa foi construída pelo arquiteto Giovan Battista Filippo Basile, entre 1861 e 1864 and é dedicada a Giuseppe Garibaldi, celebrando a unificação de Itália. A villa está recheada de plantas exóticas, possuindo a maior árvore da Europa, uma Ficus magnolioide. À noite, a praça oferece uma série de restaurantes e bares, com pratos típicos, vinho e música ao vivo. Aos domingos de manhã, existe um mercado local que vende roupas, livros e outros objetos.
  • Palácio Steri (também conhecido como Palácio Chiaramonte): este edifício foi residência da família Chiaramonte, mais tarde albergou a Inquisição e, atualmente, acolhe serviços da Universidade.

10. Capela Palatina

De visita obrigatória e, para muitos, uma das principais razões para ir até Palermo é, mesmo, esta Capela. Construída entre 1130 e 1143, ela espelha a fusão de várias influências presentes na Sicília como a europeia, siciliana, bizantina e árabe.

A capela apresenta a forma de uma capela ocidental, com três naves divididas por colunas de granito, com capitéis coríntios. De destacar o púlpito gigante em ouro, assim como os mosaicos capazes de superarem alguns dos que se encontram em algumas igrejas de Constantinopla.

11. Mercados e comida de rua

A cidade de Palermo é, também, uma das melhores cidades no que toca à chamada street food. Os mercados Vucciria, Ballarò, Capo e Borgo Vecchio são apenas alguns exemplos dos que pode encontrar em Palermo.

Há uma variedade de aromas e sabores para experimentar e devorar com as mãos, como panelle e cazzilli, pane con la milza, arancine, sfinciuni, stigghiole e polpo bollito. Especialmente importante é o Mercado de Sanlorenzo, com diferentes propostas gastronómicas e cerca de 2800 produtos. O melhor destes mercados é que, não só pode comprar ingredientes para comer, como pode comprá-los e vê-los serem cozinhados no local, segundo as receitas típicas da região.

Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins.