Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
31 Dez, 2016 - 11:01
9 sítios que tem de conhecer antes que desapareçam

9 sítios que tem de conhecer antes que desapareçam

Mónica Carvalho

A lista de sítios que tem de conhecer antes que desapareçam é mais extensa do que possa imaginar. Descubra os locais que estão a ser mais afetados pelas alterações climáticas.

O artigo continua após o anúncio

O mundo está cheio de sítios que tem de conhecer e cuja beleza e encanto são de cortar a respiração. Contudo, as mudanças climáticas são mesmo um grave problema que a humanidade enfrenta e que poderão levar ao desaparecimento de muitos desses locais.

As mais belas paisagens do mundo e os lugares mais mágicos criados pela natureza estão verdadeiramente em perigo pela intervenção do Homem. Os efeitos do aquecimento global colocaram muitos dos sítios que tem de conhecer em listas de perigo. O seu desaparecimento é eminente e pode acontecer em apenas algumas décadas.

9 sítios que tem de conhecer antes que desapareçam

1. Mar Morto

mar morto

Fonte: Max Pixel

O Mar Morto está a desaparecer a uma proporção de um metro por ano. A sua quantidade de água disponível já equivale a um terço do que outrora já existiu. A construção de barragens, de reservatórios de água, a extração dos reconhecidos terapêuticos minerais deste local dificultam, e muito, que o Mar se reabasteça só por si. A este ritmo, o Mar Morto desaparecerá em 2050.

2. Picos da Europa

O pico da Europa que se espalha por vários países está a perder a sua magnificência. Com o aumento das temperaturas médias, verifica-se o derreter contínuo de gelo que diminui o espaço físico ocupado pela cadeia montanhosa. Algumas cadeias hoteleiras, preocupadas com esta questão, começam já a pensar em planos alternativos revendo as suas estratégias de marketing e focando-se nos tratamentos de spa e noutras atividades ao ar livre que não dependa da neve.

3. Grande Barreira de Corais

barreira


Situa-se na Austrália e é a maior do mundo, repleta de vida marinha que atrai milhões de turistas todos os anos. Mas tudo isto sofre uma grande ameaça: o aumento da temperatura dos oceanos provoca danos significativos nos corais que levam à sua morte. Estudos recentes apontam para que 90% da Grande Barreira de Corais esteja já afetada de alguma forma pelo problema.

4. Amazónia

Esta é a maior floresta tropical do mundo, cobrindo 40% do território sul americano. Os turistas encontrarão araras vermelhas e rãs azuis venenosas convivendo lado a lado com jaguares, onças e preguiças, numa quase perfeita harmonia. Mas este é um dos sítios que tem de conhecer antes que desapareça, já que as alterações climáticas tornaram esta floresta num habitat muito fragilizado. As secas extremas deixaram algumas espécies de árvores muito danificadas e vulneráveis.

5. Veneza

veneza


Quando pensa em Veneza pensa em romance, passeios em gôndolas, verdade? Tudo isto poderá brevemente fazer parte do passado, já que o aumento do nível dos oceanos provocará inundações nesta cidade italiana.

O artigo continua após o anúncio

6. Maldivas

Plantadas em pelo Oceano Índico são o palco de férias inesquecíveis e de luas de mel paradisíacas. No entanto, um problema grave já referido neste artigo, o aumento do nível das águas, poderá levar ao desaparecimento das ilhas que compõem as Maldivas.

7. Alasca

alasca


Tem o dobro do tamanho do Texas e muita aventura para oferecer. O Alasca é um dos estados americanos mais bonitos, mas enfrenta já grandes erosões costeiras e diminuição da quantidade de gelo, provocando deslizamento de terras semelhantes a terramotos.

8. Napa Valley

É uma das zonas vinícolas mais conhecidas em todo o mundo e os seus vinhos ocupam sempre lugares de topo em qualquer concurso. Mas a qualidade do produto está a ser severamente afetada pelas alterações climáticas, seja pelos longos períodos de seca, seja pela chuva torrencial que por vezes se faz sentir.

9. Bombaim

mumbai


Bombaim é a casa de mais de 18 milhões de pessoas e, como tal, uma das cidades mais populosas do mundo, que também consome mais energia e que continua a apostar em construir edifícios na linha marítima. A vida humana fica assim colocada em perigo com o aumento do nível dos oceanos. Em apenas algumas décadas toda a cidade poderá ficar submergida.

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp