Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luísa Santos
Luísa Santos
16 Jul, 2018 - 18:04

Smartphone de 32GB ou 64GB: a diferença compensa?

Luísa Santos

Há diferenças entre ter um smartphone de 32GB ou 64GB? Essa diferença existe tendo em conta o tipo de utilizador que é. Explicamos-lhe tudo.

Smartphone de 32GB ou 64GB: a diferença compensa?

Todas as características de um telemóvel são importantes e desempenham um papel fundamental na definição de preços. Independentemente da marca ou do modelo em causa, todas essas especificações influenciam diretamente o preço praticado, e uma das principais é, sem dúvida, a memória. Ter um smartphone de 32GB ou 64GB é, naturalmente, diferente. Mas tudo depende do tipo de utilização que dá ao telemóvel.

Smartphone de 32GB ou 64GB: qual escolher?

Na maior parte dos casos, a diferença compensa. Deve ter em conta a quantidade de informação que um telemóvel é capaz de armazenar e, dito isto, não pode pensar que só as fotografias é que ocupam e consomem a memória do seu telemóvel. Pelo contrário, esse é apenas um dos muitos componentes que se alojam no espaço de armazenamento disponível do seu telemóvel.

É nesse momento que ter um smartphone de 32GB ou 64GB faz toda a diferença: é que tudo aquilo que instalar no seu dispositivo irá, obrigatoriamente, ocupar memória do mesmo (por mais pequeno que seja o espaço ocupado).

Isso inclui, por exemplo, aplicações que tenha instaladas, fotografias e vídeos, notas e lembretes, contactos e todo o tipo de informações pessoais que tenha guardadas. Todos esses componentes, quando conjugados entre si, esgotam a sua memória.

Assim sendo, e dependendo o tipo de utilizador que é, deve saber que, se apenas gosta de usar apps mais básicas, como são exemplo as de redes sociais ou jogos (simples e pouco pesados), um telemóvel de 32GB irá chegar-lhe.

Contudo, se se considerar alguém que gosta de ter vários jogos instalados (que, por coincidência, são também os mais pesados), bem como uma galeria de fotos e vídeos muito completa, o melhor será mesmo optar por um telemóvel de 64GB.

smartphone

Memória externa

Contudo, existe outro fator a ter em conta para além da memória interna de um smartphone (neste caso, de 32GB ou 64GB): a memória externa, quer ela seja possível de obter ou não.

Se tiver um iPhone, esse upgrade de memória não é possível, já que os modelos da Apple não dispõem de entrada para cartões de memória externos – disponibilizando, por isso, apenas a memória interna do dispositivo.

Por outro lado, se for utilizador de Android, a verdade é que esse incremento já é possível, uma vez que a maior parte dos smartphones que utilizam esse sistema operativo, seja de que marca forem, permitem esse incremento de memória. Nesses casos pode, por isso, inserir cartões de memória de diferentes capacidades (até um limite máximo, consoante o telemóvel), seja quais forem as suas necessidades e o tipo de utilizador que é.

Por isso, e para concluir sobre a diferença entre ter um smartphone de 32GB ou 64GB, é necessário ter em consideração o tipo de utilização que é dado ao telemóvel e, também, o modelo de telemóvel em si.

A diferença monetária compensa se for um applemaniac, já que só poderá recorrer à memória interna do dispositivo. No entanto, o mesmo não acontece no caso dos fãs de Android, já que pode comprar um telemóvel com memória interna mais baixa e incrementar a mesma com memória externa.

A verdade é que o custo de um cartão de memória é inferior à diferença que existe entre um telemóvel com menor capacidade e outro com maior capacidade. Nesses casos, em que o aumento de memória é possível (através de cartões SD), compensa mais investir num telemóvel com menos memória e guardar a informação pessoal (sobretudo fotos e vídeos) num cartão externo.

Veja também