Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Catarina Reis
Catarina Reis
05 Mar, 2018 - 14:09

Storytelling: a competência mais valorizada em contexto profissional

Catarina Reis

Toda a gente adora uma boa história. Mas, no contexto de trabalho, será que resulta? De que forma pode ser aplicado o Storytelling?

Storytelling: a competência mais valorizada em contexto profissional

O termo “Storytelling” refere-se, resumidamente, à arte de contar histórias. Não sendo uma novidade – porque histórias sempre se contaram -, ultimamente o Storytelling tem sido encarado como uma competência de comunicação que pode ser usada em contexto profissional para potenciar resultados pessoais e empresariais. Vamos descobrir mais sobre o assunto?

Importância do storytelling no contexto de trabalho

No mercado de trabalho, esta competência começou por ser mais conhecida nas áreas de marketing e publicidade. No entanto, atualmente estende-se a todos os domínios e setores profissionais, pois a verdade é que não existe nenhuma área de trabalho que dispense as competências de comunicação.

placeholder-1x1

Comunicação com ou sem suporte audiovisual

Contar histórias pode ser muito mais do que simplesmente falar. Os profissionais da comunicação sabem que podem potenciar a mensagem e fazer com que esta tenha um eco emocional mais profundo no recetor, com impacto potencial nas vendas, se combinarem o conteúdo verbal da mensagem com o uso de meios audiovisuais: música ou vídeo. Mas, para contar uma boa história não basta rodear-se de bons meios audiovisuais. Damos algumas dicas a seguir.

3 dicas para ter sucesso como storyteller

Dica#1

Independentemente do contexto ao qual que se aplica, a primeira dica para se ter sucesso como contador de histórias é conhecer bem a sua audiência.

Dica#2

Depois, deverá imaginar como vai contar a história, fazendo os possíveis para relatar uma situação de tensão ou conflito. Por exemplo, imagine que vai contar a seguinte história: “há um ano atrás, descobri que não poderia desenvolver as minhas competências de comunicação se não investisse, primeiro, no acompanhamento personalizado por um coach de voz.”.

Ao desenvolver o seu tema, não deixe de lado as emoções e pormenores de impacto, e não se esqueça que a sua história deve terminar com este conflito resolvido.

Dica#3

E a terceira dica é: ser autêntico. Desta forma, a audiência irá corresponder de forma entusiasta e com paixão, ao identificar-se com a sua história, percebendo-a verdadeira e genuína.

Aspetos a ter em conta

Assim como deve cuidar do conteúdo da sua mensagem, faça questão de se apresentar com uma imagem ajustada ao contexto e aos recetores da mensagem.

A coerência entre o verbal e o não-verbal é fundamental para que confiem em si, por isso, este aspeto deve ser tido em conta. Lembre-se, também, de ajustar o tom de voz que utiliza e a entoação que dá às suas palavras.

Veja também: