Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
03 Jan, 2020 - 08:20

Ter telefone da empresa: produtividade ou invasão pessoal?

Mónica Carvalho

Se a uns facilita os processos de trabalho, a outros atrapalha o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Ter ou não telefone da empresa? Saiba tudo.

telefone da empresa

São os trabalhadores de funções de escritório que estão mais habituados a fazer horas extra ou a trabalhar fora de horas e, para isso, em muito contribui ter telefone da empresa.

Se este equipamento pode facilitar e agilizar algumas questões de trabalho por um lado, por outro, acaba por ser uma intromissão da profissão na vida pessoal.

Todavia, é importante que tenha em atenção de que o facto de a empresa disponibilizar telefone da empresa, e outros equipamentos, como portátil, não significa que tem de estar contactável e disponível 24 horas por dia, sete dias por semana. Mas o que é certo é que os colaboradores acabam por levar mais trabalho para casa e trabalhar mais fora de horas, devido, precisamente, à existência destes dispositivos eletrónicos.

Os especialistas de Recursos Humanos e advogados do Direito do Trabalho entendem a utilidade destes aparelhos, mas recomendam a criação de limites na relação entre o trabalho e a vida pessoal, de modo a preservar o respeito pelo tempo de descanso e lazer de cada profissional.

78% dos portugueses trabalha depois da hora

burnout

A consultora de recrutamento Michael Page realizou um estudo sobre o impacto da carreira na vida pessoal dos trabalhadores e concluiu que, num inquérito realizado em 13 países europeus, 78% dos portugueses admitiu trabalhar fora do horário laboral enquanto 61% afiram que o fazem inclusivamente durante o período de férias.

O papel de equipamentos disponibilizados pelas empresas aos trabalhadores, como telefone da empresa, portátil, tablet e até automóvel, também foi abordado e mais de 45% dos portugueses consideram esses aparelhos influenciam negativamente a sua vida pessoal, no sentido de que se sentem na obrigação de, por exemplo, atender chamadas do trabalho independentemente da hora e do dia da semana.

Mas fazem-no, porque, 85% dos inquiridos têm “responsabilidades que os obrigam a estar contactáveis” e 26% disseram que recorriam a esses dispositivos por se sentirem obrigados a tal e por terem receio de que os empregadores valorizassem menos o seu trabalho se não o fizessem.

De todos os países que integraram este estudo, Portugal é o segundo país europeu, depois de Espanha, cujos trabalhadores levam mais trabalho para casa. No que à atribuição de telefone da empresa diz respeito, Portugal aparece em terceiro, depois da Alemanha e de Espanha.

Apesar destes valores preocupantes, 64% dos inquiridos admitiu estar satisfeito com o equilíbrio entre a vida pessoal e o trabalho.

Ter tempo pessoal de qualidade

A sociedade contemporânea em muito depende das novas tecnologias para desempenhar determinadas tarefas e, sem dúvida, que, quando bem utilizadas, realmente facilitam e agilizam processos. O segredo está no equilíbrio. Como consegui-lo? Temos algumas sugestões.

trabalhar no telemóvel

Saber quando tem mesmo de trabalhar

Num mundo ideal ninguém traria trabalho para casa, mas isso não acontece. Todavia nem tudo é urgente ao ponto de não poder esperar umas horas até chegar ao escritório. É importante que saiba essa diferença.

Aprender a delegar trabalho

As pessoas autocentradas têm tendência em acumular todo o trabalho para si, quando estão rodeadas de colegas que poderão ajudar. Para tal, deve aprender a delegar trabalho, até por uma questão de eficiência: ninguém consegue fazer tudo sozinho. Isto é extremamente importante para gerir melhor o tempo de trabalho, bem como o tempo dedicado aos assuntos pessoais.

Estabelecer horários de trabalho, fora do horário de trabalho

Se não tem mesmo outra opção a não ser levar trabalho para casa, então, estabeleça o tempo que deverá dedicar ao trabalho. Permita-se também ter momentos para recarregar energias, descansar, relaxar e divertir-se.

Planear melhor o dia

Ter um dia de trabalho organizado, com uma boa gestão de tarefas, sem procrastinação e sem tempos mortos é meio caminho para não precisar de levar trabalho para casa.

É certo que há dias menos bons, em que não conseguimos ser tão produtivos e a criatividade simplesmente não flui. Acontece e não precisa de se martirizar com isso. Mas são dias excecionais.

Chefiar as pessoas no trabalho, não em casa

Se exerce uma posição de chefia e de grandes responsabilidades, lembre-se que a sua família e amigos também precisam de si e da sua companhia. Por isso, nos momentos em que está com eles, limite-se a ser e a viver e não a assumir a postura de líder que assume no local de trabalho.

Descansar nos dias de folga e nas férias

São cada vez mais as pessoas com dificuldade em desligar do trabalho, mesmo em dias de folga ou de férias. Consultam o email, mandam uma mensagem a um colega a questionar sobre determinado projeto, relembram prazos a cumprir… Isso não é saudável.

Antes estará a sobrecarregar-se de níveis de stress desnecessários e a não aproveitar os momentos para relaxar e descansar.

Dizer que não

Por muito que queria ser prestável e útil e mostrar as suas capacidades de trabalho, não pode realmente estar sempre disponível e dizer sempre que sim a todos os projetos.

São muitas as chefias que acreditam que é tudo possível e os colaboradores acabam por ter receio de dizer que não. Mas nós somos seres humanos e há limites para a quantidade de trabalho que podemos fazer e fazer bem.

Isso não significa que não tem interesse em ajudar a empresa e que não se preocupa com o seu futuro profissional. É exatamente o contrário, visto que um funcionário sobrecarregado é alguém que mais facilmente cometerá erros e que irá fazer um trabalho de qualidade inferior.

Veja também