Marvin Tortas
Marvin Tortas
02 Ago, 2019 - 14:30
Peugeot 3008: Estivemos ao volante do SUV de Segmento C da Peugeot.

Peugeot 3008: Estivemos ao volante do SUV de Segmento C da Peugeot.

Marvin Tortas

A Peugeot é lider nos SUVs no mercado europeu, e o Peugeot 3008 não só é um dos carros mais vendidos em Portugal, como também foi considerado carro do ano em 2017.

O artigo continua após o anúncio

Apresentado ao mundo pela primeira vez em 2008 e em produção desde 2009, o Peugeot 3008 rapidamente se tornou num dos best-sellers da construtora francesa.

Em 2016 foi apresentada a segura geração deste SUV de segmento C, que gradualmente tem conquistado o seu espaço no mercado nacional, mas sobretudo no mercado europeu, onde a Peugeot lidera as vendas dos SUV, fazendo também parte da lista dos 15 carros mais vendidos em Portugal.

Este carro está inserido num dos segmentos mais competitivos do mercado, um segmento onde o líder é o Nissan Qashqai, que em 2018 subiu à segunda posição na lista dos carros mais vendidos no nosso país.

No nosso ensaio, fomos conhecer ao pormenor este carro, gentilmente cedido pelo concessionário Peugeot Filinto Mota de Braga, testando-o em estrada (e fora dela), analisámos o conforto e o espaço interior, e exploramos também as capacidades dinâmicas deste modelo, que estava equipado com a motorização mais recente do grupo PSA (o 1.5 BlueHDi de 130cv), tentando perceber como é que este modelo se compar, por exemplo, com o Kia Sportage, Hyundai Tucson ou o Volkswagen Tiguan.

Peugeot 3008: Um SUV “do futuro”

Análise Exterior

No capítulo estético, certamente os números de vendas não fazem jus ao design deste carro. As “apenas” 204 197 unidades vendidas não são sinónimo da beleza dos traçados que o ar “esculpiu” no Peugeot 3008, sendo este, sem dúvida, um dos SUV de segmento C com um desing mais apelativo e desportivo.

O grupo de óticas dianteiro em tudo se assemelha ao olhar de um felino, sobretudo se optar por equipar o Peugeot 3008 com os faróis LED, onde se incluem os piscas dinâmicos.

Dependendo da versão escolhida, o pára-choques e a grelha frontais também adquirem looks diferentes, sendo a versão topo de gama, a versão GT-Line, aquela que tem as linhas mais sedutoras.

Peugeot 3008
Fonte: Peugeot

Passando para a parte traseira, a temática “animal” continua, com o grupo de óticas posterior a apresentar 3 linhas em LED verticais, tal como se tivessem sido “rasgadas” pelas garras de um leão.

O artigo continua após o anúncio

A somar a tudo isto, existem no exterior deste carro várias linhas que atravessam toda a carroçaria, começando na parte frontal, estendo-se até à parte traseira do carro, beneficiando não só a aparência como a aerodinâmica do Peugeot 3008.

Ainda no exterior, as versões de entrada na gama do Peugeot 3008 contam com jantes de 17” (versão Active), e todas as demais contam com jantes de 18” e vidros escurecidos.

Análise Interior

Peugeot 3008
Fonte: Peugeot

Se no exterior o Peugeot 3008 aparenta ser um carro bem desportivo e dinâmico, essa temática prolonga-se no interior (sobretudo se optar pela versão GT Line, novamente), mas aqui é-lhe adicionado uma generosa dose de futurismo e conforto.

A versão por nós ensaiada era uma versão especial e limitada, a Paris Edition, que em quase tudo se assemelha à versão GT Line, partilhando, por exemplo, os mesmos bancos. Bancos esses que para além de serem extremamente suaves e confortáveis, estando forrados num misto de couro e alcântara, oferecem um ótimo suporte, tanto na zona inferior como na zona dorsal, revelando-se extremamente confortáveis não só em viagens de longa duração, mas também em estradas mais sinuosas.

A título opcional, e por mais 1300€, é possível equipar o Peugeot 3008 com uns bancos ainda mais desportivos, totalmente em couro, e com a função de massagens, tal como aqueles que vimos no nosso ensaio ao Peugeot 508.

Peugeot 3008
Fonte: Peugeot

Não há dúvida que o interior do Peugeot 3008 não só está muito bem pensado, como também muito bem construído. E quando dizemos que o interior deste carro está muito bem pensado, falamos claro da última geração do i-cockpit da Peugeot, no qual a marca do leão investiu vários milhões de euros no seu desenvolvimento.

Este i-cockpit consiste sobretudo na orientação de todos os comandos para o condutor, facilitando assim a sua utilização durante a viagem, recorrendo para isso a um volante de dimensões bem reduzidas, que nos permite ver o velocímetro e o tacómetro (100% digitais em todos os modelos do 3008) por cima do volante, e não entre o volante, como em quase todos os modelos, o que significa que não é preciso retirar os olhos da estrada para consultar as informações.

Peugeot 3008
Fonte: Peugeot

Também o sistema de infoentretenimento neste i-cockpit está totalmente orientado para o condutor, não só pelo facto de estar ligeiramente inclinado na direção deste, como também por existirem alguns botões físicos com atalhos que nos permitem navegar entre as principais funcionalidades deste sistema.

O artigo continua após o anúncio

Embora este posição de condução possa sentir-se algo “estranha” a primeira vez que entramos num dos novos modelos da Peugeot, a verdade é que este requer apenas alguns minutos de habituação, e após algum quilómetros ao volante deste carro somos verdadeiramente cativados pela eficiência deste design.

E quando dizíamos que este Peugeot 3008 estava muito bem construído, falávamos claro da qualidade dos materiais usados pela marca do leão para “forrar” o habitáculo deste SUV.

Praticamente todos os sítios onde tocamos são revestidos em pele ou materiais sintéticos muito suaves. Apenas nas zonas inferiores do Peugeot 3008 encontramos alguns plásticos de sensação mais rija, o que seria de esperar num SUV de segmento C desta gama de preços.

Quanto ao espaço existente a bordo deste carro, nos bancos traseiros, podemos afirmar que 3 adultos conseguem viajar com facilidade, embora confessamos que apenas 2 farão uma viagem muito mais prazerosa. Traduzindo isto em números, caso neste carro viajem 4 adultos de estatura média, o espaço disponível entre os joelhos e o banco da frente para que circula nos bancos traseiros é de sensivelmente 20cm.

Quanto ao espaço para a cabeça, e como a versão ensaiada não estava equipada com teto de abrir panorâmico, é também muito aceitável, existindo cerca de 20cm de espaço.

No que toca a espaço disponível para a bagageira, o Peugeot 3008 é um dos carros mais espaçosos dentro do seu segmento, contando com 520L de capacidade, o que significa que tem 90L a mais que o Nissan Qashqai.

Quanto ao equipamento de série, o Peugeot 3008 é também um carro que contempla bastantes gadgets, mesmo nas versões de entrada na gama, contando por exemplo com vidros traseiros escurecidos, sensores traseiros com câmara de marcha-atrás, Apple CarPlay e Android Auto, AC Automático dual-zone e cruise control. À medida que vamos subindo na gama, o Peugeot 3008 vai surpreendo cada vez mais, e a versão topo de gama, a GT Line, está bem ao nível de uma marca premium alemã no que toca a tecnologia.

Condução

Peugeot 3008
Fonte: Peugeot

A versão do Peugeot 3008 ensaiada pelo E-konomista Motores estava equipada com a motorização mais recente do grupo PSA, o 1.5 BlueHDi de 130 cavalos, que veio substituir o já “velhinho” 1.6 de 120 cavalos, oferecendo assim mais potência, menores consumos, menos ruído, menos vibrações e menos emissão de gases poluentes, e como tal, pagando menos IUC.

O artigo continua após o anúncio

De toda a gama de motores disponíveis no Peugeot 3008, talvez este 1.5 a gasóleo seja aquele que mais se adequa ao mercado nacional (e o número de vendas reflete isso mesmo). E apesar dos números aparentemente modestos para um carro destas dimensões e que pesa mais de 1700kg, a verdade é que graças aos 300NM de binário disponíveis logo a baixas rotações, nunca sentimos que falta pulmão a este Peugeot.

Apesar da versão ensaiada estar equipada com uma caixa manual de 6 velocidades, este SUV da Peugeot pode também estar equipado com a caixa automática de 8 relações do grupo PSA, a EAT8, que mesmo não sendo para nós a caixa mais refinada do mercado, não se comparando por exemplo com a caixa da BMW, Mercedes e claro, a PDK da Porsche, quando utilizada num modo mais normal é bastante civilizada e as passagens entre relações são feitas de forma extremamente suave.

Quanto aos consumos, este é outro dos pontos fortes desta motorização. Percorremos mais de 1000km ao volante deste carro, e numa viagem entre Braga e Coimbra o computador de bordo registou médias de 5.5L/100km. Mas numa condução mais cuidada, e numa versão com caixa manual, acreditamos os valores possam até descer dos 5L.

No que toca ao conforto da suspensão, aquilo que nos apraz imediatamente dizer é que este Peugeot 3008 é um carro tipicamente francês. Com isto queremos dizer que sempre que circulamos numa estrada com o piso mais regular, este SUV parece que “flutua” sobre o alcatrão, mas assim que chegamos a uma estrada mais sinuosa, o comportamento dinâmico deste carro é também assinalável, e a verdade é que o chassis do Peugeot 3008 é bastante bem composto.

Mas para não elevar em demasia as expectativas, convém também deixar claro que sempre que passamos sobre estradas com alguns buracos ou até em paralelo, a suspensão deste Peugeot 3008 não é tão eficaz a absorver os impactos e acabamos por sentir as irregularidades talvez mais até do que gostaríamos. Em suma, é tudo aquilo que esperamos de um carro de segmento C, desta gama de preços.

Um dos “segredos” para este Peugeot 3008 ter um comportamento em estrada tão surpreendente é o facto de usar a mais recente plataforma do grupo PSA, a EMP2, que é também utilizada, por exemplo, pelo DS7 Crossback, Citroen C5 Aircross, Opel Grandland X, Peugeot 5008 ou até mesmo o novo Peugeot 508. Uma plataforma muito bem nascida e que oferece um ótimo casamento entre controlo da suspensão, conforto e dinamismo.

Preços

Peugeot 3008
Fonte: Peugeot

No que toca a preços, talvez aqui resida o facto do Peugeot 3008 estar a perder em vendas para o Nissan Qashqai, porque na verdade, no que toca a equipamento, design e qualidade dos materiais no interior, este Peugeot 3008 é claramente superior em todos os aspetos.

Os preços do Peugeot 3008 começam nos 29 430€ para a versão Active, equipada com o motor a gasolina 1.2 de 130 cavalos e caixa manual.

Se preferir um diesel, os preços começam nos 31 870€ para a mesma versão, mas equipada com este motor.

Se quiser que o seu Peugeot 3008 tenha um andamento digno daquilo que representa o seu design exterior, então terá que optar pela mais potente versão GT Line, equipada com o motor 2.0 BlueHDi de 180 cavalos e caixa automática de 8 relações, que tem um preço base de 47 900€.

Infelizmente, a incidência dos impostos sobre veículos em Portugal eleva o preço dos carros para valores quase irrisórios, e se tivermos em conta que os preços do Nissan Qashqai começam nos 24 000€, e que um modelo equipado com alguns extras custará sempre menos de 30 000€, falamos de uma diferença de quase 5 000€ em relação a uma versão equivalente deste Peugeot 3008.

Veredicto final

Se o Peugeot 3008 vale a pena? Vale, cada cêntimo! Se deve comprar um? Sim, sem dúvida, desde que a sua carteira assim o permita. Se o preço é ajustado àquilo que o carro oferece? Na nossa opinião, sim também. O Peugeot 3008 é melhor em todos os capítulos, inclusive fora de estrada, onde tivemos oportunidade de levar este carro por alguns trilhos e se comportou como um verdadeiro jipe.

É verdade que no capítulo estético (e isto será sempre uma questão pessoal), este carro é provavelmente um dos SUV de segmento C mais bonitos que poderá comprar. É igualmente verdade que o interior deste 3008 está muito bem pensado, muito bem construído e a escolha de materiais é exímia.

Mas num país onde o salário médio ronda os 1000€, uma diferença de preços tão grande pesará sempre na escolha, e é só por isso que o Nissan Qashqai é o 2º carro mais vendido em Portugal e vendeu no último ano o dobro das unidades do Peugeot 3008.

Veja também
Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp