Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
24 Ago, 2022 - 11:46

6 tipos de sapatos prejudiciais para a sua saúde

Catarina Milheiro

Já refletiu sobre os tipos de sapatos que fazem mal à saúde? Saiba o que não deve calçar e evite possíveis complicações e mal-estar.

Tipo de sapatos que prejudicam a saúde

Todos nós sabemos um dos tipos de sapatos que fazem mal à saúde são os típicos saltos altos, principalmente quando não têm qualquer tipo de compensação. Mas serão eles os únicos?

A verdade é que há alguns tipos de sapatos que não são de todo recomendados se queremos manter a nossa saúde e bem-estar em dia. E se têm os pés largos, por exemplo, sabe que eles nunca ficam tão confortáveis quando calça um sapato de bico fino.

Ninguém gosta de passar um dia inteiro com uma enorme sensação de desconforto e até dor nos pés. Sapatos apertados e que não se adequam ao nosso pé podem causar dores, bolhas e outras feridas.

Por isso, antes de comprar os seus próximos sapatos, atente naqueles em que não deve de todo apostar.

6 tipos de sapatos que fazem mal à saúde: mude já hoje

1.

Sapatos de bico fino

Um dos tipos de sapatos que fazem mal à saúde é precisamente este: os de bico fino. Não há dúvidas que são lindos, mas quando os calçamos os nossos pés sentem-se ligeiramente desconfortáveis logo de imediato.

No fundo, não só deixam os pés apertados, como ainda fazem pressão nos dedos – acabando por poder causar danos a longo prazo.

Por isso, o ideal é não optar por comprar este tipo de sapatos. E no caso de já ter algum par assim em casa, utilize-os muito raramente (se tiver um evento, por exemplo).

2.

Sabrinas

Pode até parecer estranho, mas as sabrinas e todo o calçado que é totalmente plano, pode fazer mal à sua saúde, prejudicando as pernas sobretudo.

Tal acontece porque o pé fica sem um suporte em arco que exerça pressão sobre a planta do pé. O resultado são as dores nas costas e nos joelhos e possivelmente pés inchados no final do dia.

Se gosta de utilizar este tipo de sapatos saiba que não precisa de os deitar fora! Basta comprar uma palmilha ortopédica e fixá-la na posição dos pés.

3.

Sapatos altos

São muitas as pessoas que adoram utilizar um sapato alto por diversos motivos: ou porque se sentem mais confiantes, ou porque gostam de se ver mais altas ou simplesmente porque se sentem bem a usá-los.

Contudo, a utilização deste tipo de sapatos com frequência pode levar a entorses, dores nas costas e problemas nas unhas e nervos. Para além disto, o risco de se poderem vir a ganhar varizes no futuro é maior.

Para evitar todos esses riscos para a sua saúde, o ideal é usar saltos até 7 centímetros no máximo. E não se esqueça de trocar de calçado se os seus pés começarem a doer muito.

melhores exercícios para a saúde
Veja também Caminhar para perder peso: planos e calendário semanal
4.

Sandálias e chinelos

Quando o verão chega, este parece o melhor tipo de sapatos para calçar. Afinal, as altas temperaturas pedem sapatos frescos. E o lado positivo é que quer as sandálias, como os chinelos são descomplicados.

No entanto, se olharmos com atenção, percebemos que nem sempre são a melhor opção. Isto porque com o calor e dependendo do material de que são feitas, as sandálias ficam muitas vezes a raspar na pele, acabando por causar feridas.

Outro aspeto importante é o facto de que o seu uso excessivo pode provocar o desalinhamento dos calcanhares e dos joelhos (porque os pés não ficam bem apoiados no chão).

Para além disto tudo, as sandálias e chinelos não devem ser utilizados para caminhar por muito tempo. Caso contrário estaremos a esforçar-nos demais para dar a mesma quantidade de passos que daríamos com outro tipo de calçado.

5.

Sapatilhas desportivas demasiado leves

Como o nome indica, este tipo de sapatilhas deve ser utilizado somente para quando está a praticar algum tipo de desporto. Ainda que pareçam confortáveis, se optar por usar sapatilhas de desporto muito leves no seu dia-a-dia saiba que pode magoar os seus pés.

Isto acontece porque elas são flexíveis demais (dependendo do modelo), e acabam por danificar a planta do pé. Em vez disso, opte por umas sapatilhas de desporto com mais firmeza, por exemplo.

6.

Sapatos ou sapatilhas com plataforma

Atualmente há cada vez mais oferta de sapatos e sapatilhas com plataformas cada vez mais altas. Algumas pessoas adoram este tipo de sapatos, mas não fazem ideia do mal que podem fazer à sua saúde.

Todos os sapatos que tenham plataforma não são flexíveis e têm partes bastante duras nos pés. A verdade é que as nossas pernas exigem um calçado mais maleável de forma a que os pés consigam dobrar naturalmente à medida que caminha.

Ora, as plataformas fazem precisamente o oposto: contrariam este movimento natural do pé por serem duras e rasas. Por isso já sabe, o mais indicado é não usar este tipo de sapatos com muita frequência e no caso de utilizar, faça-o por pouco tempo.

Apesar de existirem diversos modelos de sapatos disponíveis no mercado, o importante é conhecer bem os seus pés e o tipo de sapato com os quais eles se dão melhor. E não se esqueça: se o objetivo for estar atento à sua saúde, escolha uns com base no que leu neste artigo.

Veja também