ebook
GUIA DO REGRESSO ÀS AULAS
Prático e Descomplicado
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
24 Set, 2021 - 10:30

Tripas à moda do Porto: uma deliciosa receita cheia de história

Mónica Carvalho

Certamente já provou umas belas tripas à moda do Porto, mas será que as sabe confecionar? Partilhamos consigo a história e receita deste prato típico.

tripas à moda do porto

A cidade Invicta tem vários episódios de superação de obstáculos. A origem das tripas marcam a cidade e ficam para a posteridade num prato emblemático como as tripas à moda do Porto.

Falar deste prato é falar da história da cidade, das suas gentes e trazer a tradição para a mesa. Portanto, antes de aprender a confecionar umas saborosas tripas à moda do Porto, prepare-se para saber mais sobre a origem desta iguaria deliciosa.

Mas em primeiro lugar, veja como fazer.

Tripas À moda do porto

tripas à moda do porto receita
Cozinha:típica portuguesa
Tipo:almoço ou jantar
Tempo de preparação:01h00

Ingredientes

  • 1,5kg de tripas, folho e favos de vitela
  • 150g de presunto
  • 100gr de banha de porco
  • 4 cenouras
  • 2 cebolas
  • 1 orelha de porco
  • 1 mão de vitela
  • 1 chouriço
  • 1 lata feijão branco
  • 1 folha de louro
  • 1 ramo de salsa
  • 1 limão
  • 1/2 frango
  • Sal e cominhos, q.b.

Modo de preparação

  • Lavar muito bem as tripas, folhos e favas, esfregando com limão e sal. Deixar em água com rodelas de limão, até ficarem brancas.
  • Cozer as cenouras e todas as carnes.
  • Derreter a banha noutro tacho e alourar a cebola picada, com a folha de louro.
  • Ao refogado, juntar todas as cenouras cozidas, o feijão, as carnes (partidas em pedaços), um pouco de caldo de carne e tempere tudo com cominhos e sal.
  • Permitir que as tripas cozam por 25 minutos, aproximadamente.
  • Polvilhar com salsa picada e servir numa terrina, juntamente com arroz branco.

TRIPAS À MODA DO PORTO: ORIGEM E HISTÓRIA

A cidade do Porto tem uma história vasta e riquíssima, repleta de episódios que honram o país. A lenda dos tripeiros é um deles – nome pelo qual os habitantes da Invicta são chamados. O seu hábito de comer tripas e de fazer das tripas à moda do Porto um prato emblemático que orgulha a gastronomia nacional são duas das suas caraterísticas mais emblemáticas.

A receita, tal como a tradição decreta, implica que as tripas tenham um destaque e uma atenção que mostra o cuidado em tornar comestível algo que poderia ser visto como dispensável. Tornar o desnecessário em algo de extremamente útil e saboroso, implica um processo laborioso e é no desenrolar desse trabalho árduo que se faz magia e se torna o inútil em algo apetitoso.

Ingredientes imprescindíveis

Os ingredientes que integram este prato podem sofrer ligeiras alterações, mas por norma devem estar presentes: salsa, sal, cenouras, cebolas, orelheira, salpicão, carnes, mão de vitela, chouriça de carne, toucinho entremeado, frango, feijão de manteiga, louro, pimenta, banha, arroz branco, entre outros. O que não pode mesmo faltar, é a terrina de barro onde as tripas são servida e que dá aquele ar mais autêntico e sui generis à famosa iguaria da Invicta.

A origem e a lenda

Foi no tempo de D. João I (1415), num período onde o processo de expansão marítima e colonial imperava, quando o monarca organiza uma expedição a Ceuta com o objetivo de conquistar a cidade, que D. João I incumbiu os seus filhos (D. Henrique e D. Pedro) de organizar uma armada poderosa. O Rei gozava de uma relação privilegiada com a cidade e os portuenses.

Henrique, natural do Porto, teve a responsabilidade de preparar embarcações nos estaleiros do Douro (enquanto D. Pedro faria algo semelhante no Tejo). A junção das frotas visava o assalto à cidade de Ceuta.

Ora, a lenda conta que a cidade forneceu tudo o que tinha para que nada faltasse às embarcações, sacrificando-se em nome de D. Henrique. Apenas as tripas restaram e foi com invulgar criatividade gastronómica que se criaram as tripas à moda do Porto. Assim, os habitantes da cidade ficaram com alcunha de tripeiros.

Esta lenda, como muitas outras, possui um fundo verdadeiro. Contudo, como todas as lendas, esta não assegura 100% da verdade não podendo, por isso, ser encarada como um facto histórico. Isto, porque sobre o consumo de tripas, sabe-se que não foi este o único momento em que tal aconteceu, na história da humanidade. Existem relatos de outros episódios históricos, no qual as tripas foram consumidas (pela mesma razão de escassez de alimentos).

Outras lendas sobre outras tripas

A história revela que, no século I a.C., existiam tribos de um povo bárbaro, os suevos, que integravam na sua dieta alimentar tripas de vacas. A gastronomia tradicional da região ainda hoje possui pratos com esse alimento. Este povo atravessou a Europa, em alguns momentos da sua história, chegando mesmo a cruzar o norte da Península Ibérica – os “callos asturianos” são um prato semelhante às tripas à moda do Porto e a estabelecer um reino, do qual a cidade do Porto chegou a ser capital.

Veja também