Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
18 Nov, 2019 - 11:47

Conheça as vacinas extra Programa Nacional de Vacinação

Teresa Campos

Saiba quais as vacinas extra programa nacional de vacinação e perceba qual a importância de as tomar, ainda que sem comparticipação.

Menina a tomar vacina

Antes de falar das vacinas fora do plano de vacinação, importa perceber o que é o Programa Nacional de Vacinação (PNV). Este é um programa universal, gratuito e acessível a todos os residentes em Portugal.

Um dos objetivos deste programa é proteger a população em geral de doenças que possam tornar-se uma ameaça à saúde pública e individual e contra as quais já há vacina. Em alguns casos, a administração da vacina oferece imunidade à doença, enquanto noutras situações pode atenuar os sintomas ou efeitos da doença em causa.

Ao longo dos anos, o Programa Nacional de Vacinação tem conseguido eliminar e controlar uma série de doenças, prevenindo assim as repercussões em termos de saúde pública, não obstante a polémica que ultimamente persiste quanto à necessidade, ou não, da vacinação obrigatória.

Não esqueça que em caso de dúvida deve sempre contactar o seu médico ou farmacêutico, que lhe irão prestar todas as informações sobre a validade deste tipo de vacinas.

Vacinas extra programa nacional de vacinação

Menino toma vacina

As vacinas que integram o Programa Nacional de Vacinação são aquelas que são comprovadamente eficazes e seguras e cuja administração garante reais benefícios para a saúde.

Importa dizer que o PNV é revisto e atualizado regularmente, pela Direção-Geral da Saúde (DGS), após análise da Comissão Técnica de Vacinação (CTV). Essa análise tem em conta as vacinas disponíveis e a frequência e distribuição das doenças no nosso país e sua evolução social.

Em 1965, quando o PNV foi criado, ele conferia proteção contra apenas 6 doenças, enquanto que o PNV em vigor (PNV 2017) confere proteção contra 12 doenças.

Algumas das vacinas não incluídas no Programa Nacional de Vacinação, embora confiram proteção a quem as toma, não demonstraram, até à data, proporcionar tantos ganhos na saúde da população como as do PNV.

plano nacional de vacinação: opções extra

Neisseria meningitidis

Esta vacina destina-se ao serogrupo B da Neisseria meningitidis (meningite), em Portugal, o principal responsável pela doença invasiva.

A vacina contra o meningococo B é recomendada pela Sociedade Portuguesa de Pediatria, embora ainda não faça parte do Programa Nacional de Vacinação (exceto para alguns grupos de risco).

Esta vacina previne a doença que causa doença invasiva meningocócica (DIM) e/ou sepsis (infeção generalizada). Ela deve ser administrada por injeção intramuscular, a partir dos 2 meses de idade.

A Bexsero – como também é conhecida esta vacina – pode ser tomada em mais do que uma dose, havendo necessidade de reforço. Para minimizar os efeitos secundários desta vacina, como febre e dor local, deve ser administrado paracetamol, antes ou após a administração da Bexsero.

Outros efeitos secundários frequentes

  • Perda de apetite;
  • Sonolência;
  • Choro invulgar;
  • Diarreia;
  • Vómitos;
  • Erupção cutânea;
  • Irritabilidade;
  • Sensibilidade, tumefação, induração e vermelhidão no local de injeção.

Contra-indicações

  • Hipersensibilidade a algum componente da vacina;
  • Vacinas contra pneumococo serotipo 6B;

Preço: Cada dose desta vacina tem um custo aproximado de 95€.

Rotavírus

Sabia que cerca de 50% dos casos de diarreia nos primeiros anos de vida são causados pelo Rotavírus? Além deste sintoma, é frequente o surgimento de vómitos, cólicas, náuseas, dores de cabeça e/ou febre.

Uma das formas de prevenção destes sintomas é, precisamente, a toma da Rotateq ou Rotarix, em mais do que uma dose, e que pode ser administrada com outras vacinas do Programa Nacional de Vacinação.

Esta vacina não evita a gastroentrite, mas atenua os seus sintomas nos mais novos, principalmente os casos de gastrenterite aguda.

A sua administração é por via oral, até aos 6 meses de vida. Alguns dos seus efeitos secundários mais frequentes são vómitos, diarreia, irritabilidade e febre. Esta vacina está contra-indicada para quem sofre de hipersensibilidade a algum componente da vacina ou tem alergia ao látex (na Rotarix®).

Preços: A RotaTeq® tem um custo aproximado de 51,18€ por dose e implica a toma de 3 doses. A Rotarix® tem um custo aproximado de 71,08€ por dose e implica a toma de 2 doses.

Homem a ser vacinado

Varicela Zoster

Esta vacina destina-se à prevenção da varicela. É recomendada a,

  • Adolescentes sem história prévia de varicela, porque estão mais sujeitos a contrair a doença numa configuração mais grave;
  • Crianças que contactam habitualmente com doentes imunodeprimidos.

A vacina deve ser tomada em duas doses, por injeção intramuscular, a partir dos 12 meses de idade. Os efeitos secundários mais comuns são dor, eritema e edema locais, e/ou rash local ou generalizado e herpes zoster.

Está contra-indicada em caso de reação anafilática prévia, imunossupressão, gravidez, crianças com menos de 1 ano, pacientes com terapêutica crónica com salicilatos, pacientes com tuberculose ativa não tratada.

Preço: Os preços por dose aproximados são de 48,27€, no caso da Varivax®, ou 41,99€, no caso da Varilrix®.

Hepatite A

Esta vacina destinada à prevenção da Hepatite A é especialmente recomendada a,

  • Candidatos a transplante hepático;
  • Hemofílicos; HIV+; DHC;
  • Viajantes para países com endemicidade intermédia ou alta;
  • Adolescentes com comportamentos sexuais de risco;
  • Com contacto próximo com doente com Hep A (profilaxia pós-exposição).

A vacina deve ser administrada por injeção intramuscular, a partir dos 12 meses de idade. As reações mais comuns são de dor, eritema e edema locais, além de queixas sistémicas, como febre baixa e fadiga. A vacina está contra-indica em casos de reação anafilática prévia e em alguns casos de gravidez.

Preço: A Havrix® tem um custo aproximado de 17,71€ por dose, enquanto a Epaxal® tem um custo aproximado de 20,79€ por dose.

HPV

Os homens são o vetor de transmissão do vírus HPV, por isso é aconselhada a sua vacinação, logo a partir dos 9 anos ou, mais tarde, a partir dos 15 anos. Pode ser necessária a toma de 2 a 3 doses.

Preço: A Gardasil® tem um custo aproximado de 160,45€ por dose, enquanto a Cervarix® tem um custo aproximado de 144,41€ por dose.

Há vacinas obrigatórias no Programa Nacional de Vacinação?
Não perca Há vacinas obrigatórias no Programa Nacional de Vacinação?

Gripe

A vacina contra a gripe varia de ano para ano, tendo em conta as estirpes que se prevêem ativas nesse ano. A sua época de vacinação começa no início de outubro. Esta é uma vacina que pode ser tomada a partir dos 2 meses de idade, anualmente, por injeção intramuscular.

Os seus sintomas mais comuns são dor, eritema e induração locais, além de queixas sistémicas, como febre baixa, fadiga, mialgia e arrepios. Esta vacina é contra-indicada em caso de reação anafilática prévia (excipientes ou proteína do ovo), Síndrome Guillan-Barré prévio (em muitas situações) ou gestação inferior a 12 semanas.

Esta vacina é gratuita e já faz parte do PNV dos seguintes grupos de risco:

  • cidadãos com 65 anos ou mais;
  • pessoas residentes ou internadas em instituições;
  • Crianças e adolescentes com doenças crónicas que permaneçam em instituições;
  • doentes integrados na rede de cuidados continuados, doentes que aguardam transplante ou que fazem quimioterapia;
  • pessoas apoiadas no domicílio pelos Serviços de Apoio Domiciliário com acordo de cooperação com a Segurança Social ou Misericórdias Portuguesas e pelas equipas de enfermagem das unidades funcionais prestadoras de cuidados de saúde ou com apoio domiciliário dos hospitais;
  • doentes internados em unidades de saúde do Agrupamento de Centros de Saúde ou em hospitais do Serviço Nacional de Saúde que apresentem patologias crónicas e condições para as quais se recomenda a vacina;
  • profissionais de saúde do Serviço Nacional de Saúde;
  • guardas prisionais e reclusos;
  • portadores de trissomia 21, diabetes mellitus, fibrose quística, défice de alfa-1 antitripsina sob terapêutica de substituição, doença pulmonar obstrutiva crónica, patologia do interstício pulmonar sob terapêutica imunosupressora, doença crónica com comprometimento da função respiratória, da eliminação de secreções ou com risco aumentado de aspiração de secreções;
  • pessoas que fazem diálise;
  • bombeiros.

Preço: Esta vacina ainda não é gratuita para todos os cidadãos. Se não fizer parte dos chamados “grupos de risco”, a vacina tetravalente contra a gripe pode ser adquirida nas farmácias, através de prescrição médica, com comparticipação de 37%, tendo um custo até 7,50€.

NOTA: No caso de querer tomar algumas das vacinas anteriormente enumeradas, informe-se junto do seu médico, centro de saúde e Junta de Freguesia/Câmara Municipal sobre eventuais apoios e comparticipações que a localidade onde reside possa oferecer a quem tem menos recursos e pretende adquirir uma desta vacinas não comparticipadas.

Veja também