Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
13 Jan, 2022 - 16:41

Válvula EGR: tudo o que deve saber

Afonso Aguiar

A válvula EGR tem como objetivo eliminar as partículas que não foram tratadas na primeira fase e diminuir a poluição. Saiba como funciona.

válvula egr nos carros

De forma resumida, a Válvula EGR é uma componente da mecânica automóvel de um motor a diesel ou a gasolina muito útil para que as marcas cumpram com os requisitos da União Europeia relativamente a emissões de gases nocivos, uma vez que recicla-os internamente, reaproveitando-os e voltando a usá-los.

No entanto, para outros, principalmente nos veículos a diesel, é apenas uma complicação desnecessária que não só limita a potência do automóvel, como também aumenta a probabilidade de ter gastos extra na sua carteira, uma vez que tem propensão a “avariar-se”.

Embora as duas opiniões sejam válidas e legítimas dependendo dos argumentos utilizados a definição esmiuçada do que é a Válvula EGR não é assim tão redutora.

O que é a Válvula EGR?

A válvula EGR tem por objetivo estabelecer a ligação entre o coletor de escape com o da admissão e voltar a introduzir os gases nocivos nos cilindros para dar origem a um novo ciclo. Esta componente automóvel funciona de forma inversamente proporcional ao acelerador. Ou seja, quando carrega totalmente no acelerador ela fecha-se. Por outro lado, se não estiver a carregar no pedal, ela vai abrir-se totalmente.

O processo é simples: quando o ar chega à admissão, este é comprimido e canalizado para o sistema de escape. Contudo, a válvula, aproveitando os gases, reconduz à admissão uma parte dessa quantidade de gases. Estes acabam por novamente queimados pela combustão. O intuito é eliminar as partículas que não foram tratadas na primeira fase e assim diminuir a poluição.

Os diferentes tipos de válvulas

Do ponto de vista técnico, há dois tipos de válvulas diferentes. As mais antigas são comandadas por vácuo. Ou seja, existem um pequeno tubo vazio conectado ao coletor de admissão ou a uma bomba de vácuo, caso seja motor a gasolina ou a diesel respetivamente que abre a válvula em função da carga exercida sobre o motor (a pressão ou não do pedal do acelerador)
por vácuo ou eletronicamente.

No caso das válvulas mais modernas existe um motor elétrico que, recorrendo à informação da centralina, através de sensores como a vários sensores como a temperatura do óleo, o líquido de refrigeração, a pressão de admissão envia um sinal de abertura ou fecho à Válvula EGR.

carro que aqueceu
Veja também O carro aquece? Saiba porquê e como deve atuar

Problemas com a válvula EGR

A maior parte dos problemas relacionados com a válvula EGR devem-se acumulação de sujidade na mesma. Ainda assim, além disso, também a potência pode ser afetada.

Isso deve-se ao facto de, quando utilizados em temperatura muito elevada, os gases de escape aumentam a temperatura do ar de admissão. Consequentemente, o ar de admissão perde densidade e também diminui a quantidade de oxigénio que entra no motor.

Ora, o motor para desenvolver toda a sua potência necessita da quantidade ideal de oxigénio. Menos do que isso e irá desenvolver menos. Alguns sistemas de EGR possuem um radiador ou permutador do calor, ou em alguns casos, nos motores sobrealimentados, adaptam o intercooler. Mas nem todos.

Porém, a sujidade é efetivamente o maior problema das válvulas EGR, principalmente nos motores a diesel mais propensos a acumulaão de resíduos) e nos circuitos citadinos, caracterizados pelos típicos para-arranca.

Devido a uma maior alternância entre o pedal do travão e do acelerador, sendo que este último é menos vezes pressionado a fundo, a válvula EGR é mais vezes acionada e os gases que resultam da combustão do gasóleo começam a deixar resíduos sólidos na válvula acabando por obstruí-la.

Por essas razões, muito procuram anular a válvula EGR, desliga-la do sistema. No entanto, apesar de esse ato aumentar a potência do veículo, o mesmo vai poluir mais e corre-se o risco de ver o carro não passar na inspeção periódica obrigatória.

Para limpar a válvula EGR costuma ser necessário recorrer a um especialista. O custo costuma rondar os 30 euros, mas também pode tentar fazê-lo caso seja uma pessoa com alguns conhecimentos.

Veja também