Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Márcio Matos
Márcio Matos
15 Jan, 2020 - 15:10

Veneza: viagem à cidade das gôndolas, da arte e dos canais

Márcio Matos

Veneza é uma cidade mágica. Dona de uma beleza única, é preciso tempo para conhecê-la bem e por dentro. Planeie connosco a sua visita.

Praça de São Marcos em Veneza

Veneza é um destino de sonho para muitas pessoas, conhecida pelos seus canais e gôndolas, e tida como uma cidade romântica e ótima para descobrir a dois. Contudo, podemos arriscar dizer que a maior parte das pessoas que ambiciona ir a Veneza não imagina a riqueza e diversidade de património que ali vai encontrar.

É que nesta cidade há uma malha de canais, ruas, pontes e edifícios que importa visitar e que roubam a nossa atenção, muitos deles Património Mundial. Desta forma, é caso para dizer que em Veneza tudo é belo e surpreendente e que a única forma de a conhecer verdadeiramente é ir explorando cada palmo de chão.

Assim, da famosa Praça São Marco à ilha de Murano, tudo ali contribui para a faceta artística e intemporal de uma cidade que se vai revelando a cada visita…

Roteiro pelos principais encantos de Veneza

1. Praça São Marcos

Uma praça imponente que é, até hoje, um dos cartões de visita da cidade italiana, sendo que a sua construção teve início no século IX. É um dos espaços centrais, a partir do qual se consegue ter uma vista panorâmica sobre uma série de atrações, como o Grande Canal, o Palácio Ducal, a Basílica de São Marcos, a Torre do Relógio, a Antiga Procuradoria, a Ala Napoleónica, o Campanário de São Marcos e a Biblioteca Marciana.

Catedral de Veneza

2. Basílica de São Marcos

Uma catedral magnificente, quer no exterior, quer no interior, com a sua dimensão impressionante, constituindo um símbolo importante da arte bizantina em Itália. Trata-se de um local de passagem obrigatória que não deixa nenhum visitante indiferente.

3. Campanário

É o edifício mais alto de Veneza, com cerca de 98,5 metros de altura, com o campanário original construído entre os séculos IX a XII, tendo sido reconstruído no início do século XX. Assim sendo, suba ao topo, e terá uma vista panorâmica incrível sobre o Grande Canal, a Praça São Marcos e a Lagoa.

4. Palácio Ducal

Um palácio monumental que data do século XIV/XV e que conta com uma enorme dimensão e riqueza. Por isso, representa o melhor da arquitetura gótica e uma visita guiada a este espaço é demorada, mas vale cada minuto, já que permite ficar a conhecer um itinerário secreto, que passa por pequenas celas, a Sala dos Inquisidores, espaços de controlo e poder, entre outros.

5. Ponte dos Suspiros

Só o nome é pura poesia e esta ponte faz a ligação entre o Palácio Ducal e o antigo Presídio (Prigioni Nove), sendo queo seu nome está associado precisamente a este último edifício e ao tempo em que os prisioneiros ali suspiraram pelo dia da sua liberdade. Até porque era dali que vislumbravam a cidade pela última vez, antes da reclusão.

6. Mercado de Rialto

O Mercado de Rialto (rio alto) é outro dos espaços centrais de Veneza. Como tal, para ficar a conhecer bem os hábitos e modos de vida dos venezianos, nada como visitar este mercado entre terça e sábado e experimentar os seus peixes, polvos, lulas, mariscos, mas também legumes, frutas e flores. Aqui, as memórias olfativas e auditivas que vai guardar serão inesquecíveis, acredite.

Catedral de Florença
Não perca Florença, uma caixa de jóias em forma de cidade

7. Cannaregio

Para continuar a descobrir mais, não só sobre o património de Veneza, mas também sobre as suas gentes e modos de vida, nada como visitar um dos seus bairros. Trata-se de uma área residencial, onde consegue participar na realidade do dia a dia veneziano.

vista sobre os canais de Veneza

Vá até lá ao sábado ou ao domingo e verá os venezianos nas suas atividades de fim de semana, como por exemplo a limpar o barco, a passear pelas “Fondamenta” com carrinhos de bebé ou a estender a roupa. No entanto, é uma zona menos turística, mas com muitos restaurantes e osterias para petiscar.

8. Casa del Tintoretto

É impossível visitar Veneza sem ficar a conhecer a casa do famoso pintor veneziano maneirista do século XVI, Tintoretto. No local, pode ficar a conhecer antigas máquinas de impressão e técnicas de impressão em madeira, gravuras, entre outros tipos de gravações.

9. Murano

Murano é uma ilha veneziana muito conhecida por ser o centro da indústria vidreira, desde a época medieval, e possui várias pequenas ilhas, ficando a apenas 15-20 minutos do centro de Veneza. Assim, passeie pelas suas ruas e deixe-se encantar pela técnica vidreira e pelos maravilhosos produtos que ela é capaz de originar.

Imagem de Murano

10. Torcello

É uma das ilhas mais antigas da Lagoa de Veneza, calma e pequena, situando-se a 10 quilómetros da Praça São Marcos. Trata-se de um local excelente para descansar e usufruir da Natureza e por aqui pode encontrar muitos pescadores.

11. Lido

E quem disse que não é possível ir à praia em Veneza, quando o Lido fica a 20 minutos de vaporetto da Praça São Marcos. Trata-se da ilha que acolhe a Bienal de Veneza e o Festival Internacional de Cinema, com areal, resort, golfe e casino.

12. Gastronomia

Se está em Itália, nada como comer pizzas, certo? Não! Errado, em Veneza, deve sim aproveitar para experimentar o peixe, o marisco, os petiscos e umas pequenas sandes com queijo e mortadela. Assim, as pastas e os risottos são deliciosos e privilegiam ingredientes como tomate, queijo, beringela e baccalà Mantecato, uma espécie de bacalhau amanteigado.

Ainda há outros pratos típicos que também deve provar, como seppie col nero (chocos com tinta em risotto ou pasta), sardelle in soar (sardinhas marinadas em cebola) e caparossoli in cassopipa (marisco com salsa).

Contudo, e não só no que respeita à gastronomia, mas também em relação a tudo o resto, é importante lembrar que Veneza não é, propriamente, uma cidade barata. Por isso, se ponderar os gastos despendidos em alimentação, transportes, entradas em museus e monumentos, a média de custo diário deverá rondar os 40€/50€.

Veja também