Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
19 Jan, 2024 - 14:02

Sofre de visão dupla? Entenda o distúrbio oftalmológico

Catarina Milheiro

A visão dupla pode ser um sintoma de doenças graves para as quais deve estar atento. Conheça as causas associadas e proteja a sua saúde.

Se já passou por alguma situação em que visualizou duas imagens de um objeto só, então saiba que esteve perante um episódio de visão dupla, também conhecida por diplopia.

E ao contrário do que se possa pensar, a mesma pode ocorrer quando está apenas um olho aberto (diplopia monocular) ou então, o cenário mais comum: quando os dois olhos estão abertos (diplopia binocular).

Assim, na visão dupla a pessoa vê duas imagens em vez de uma apenas. Ora, isto significa que é um sintoma em que um único objeto é “entendido” pelo cérebro como se tratassem de dois objetos.

E se já ouviu falar em termos como “visão duplicada”, “visão dupla”, “dupla visão”, “imagens fantasmas”, “imagem repetida” ou até “ver duas imagens”, saiba que são as palavras mais utilizadas pelos indivíduos para se referirem à diplopia. Fique connosco e saiba tudo sobre o tema.

Em que consiste a visão dupla?

A visão dupla, também conhecida por diplopia, deriva de duas palavras gregas: “diplous”, isto é, duplos e “ops” que significa olho. E, como sabemos, os nossos olhos são responsáveis pelo sentido da visão, o que nos possibilita ver e observar tudo aquilo que nos rodeia.

Mas para que esse mecanismo funcione sem que existam quaisquer alterações, a imagem que entra pela córnea (membrana transparente que se localiza na parte da frente da íris), deve ser formada na retina.

A verdade é que quem vê não é o olho, mas sim o cérebro – que forma as imagens e determina as relações com a memória. Para além disto, permite que se identifique um objeto que estamos a observar como um copo, um animal ou até uma pessoa.

De uma forma geral, abrir os olhos e focar numa só imagem é algo tão natural em nós que nem nos apercebemos. No entanto, tal deve-se ao facto de as áreas que rodeiam a visão trabalharem em conjunto. Mas, ainda assim, quando um dos componentes do sistema oftalmológico apresenta algum problema, pode ocorrer então a visão dupla.

Quando nos referimos a visão dupla, estamos portanto a falar sobre a condição em que uma pessoa vê duas imagens de um único objeto. No fundo, é como olhar para uma imagem da televisão como se fosse um “fantasma”.

Provavelmente deve estar a questionar-se sobre o que acontece e o fenómeno é simples: cada olho produz uma imagem dos objetos mas o cérebro trata de as unir e de as ver como se fossem uma só. No caso da visão dupla o processo não acontece desta forma. Portanto, na diplopia o cérebro não consegue reunir as imagens e por isso mesmo vê como se fossem duas.

Que tipos de visão dupla existem?

  • Oblíqua: quando ocorre uma distorção com visão dupla horizontal e vertical;
  • Horizontal: a imagem duplicada aparece ao lado da original.
  • Vertical: forma a imagem adicional acima ou abaixo da outra.
  • Cruzada: neste caso, a imagem do olho direito está para o lado esquerdo e vice-versa.
  • Homónima: ao contrário da cruzada, as imagens fantasmas estão projetadas para o lado correspondente do olho.
  • Binocular: quando o problema acontece com os dois olhos abertos, mas deixa de ocorrer com um deles fechado.
  • Monocular: a situação permanece se o outro olho se fecha e é causada por distorções no caminho feito pela luz no olho.

5 causas mais comuns da visão dupla

1.

Estrabismo

Nas pessoas que têm estrabismo, os olhos não estão alinhados. Ou seja, não olham ao mesmo tempo e na mesma direção. Além disso, o mesmo pode ser causado por uma lesão no nervo ou nos músculos oculares.

2.

Proptose

Já ouviu falar em proptose? Por norma, acontece quando o globo ocular está proeminente, fora do seu local habitual. Assim, as causas podem estar relacionadas com lesões na órbita ocular, doenças inflamatórias e até tumores.

3.

Cataratas

As cataratas são um problema que causa visão embaciada. Neste caso, o cristalino fica opaco e as imagens perdem o contraste.

4.

Astigmatismo

Trata-se de uma condição em que existe uma suave curvatura da córnea diferente do normal.

5.

Ceratocone

Neste caso, há uma redução na espessura da córnea, que é empurrada para a frente e forma uma protuberância no globo ocular, com um formato muito parecido ao de um cone.

Quais são os sinais de alerta?

Em caso de suspeita de visão dupla é importante mantermos a atenção voltada para alguns sintomas e características que podem constituir um motivo de preocupação. Fizemos uma listagem para o ajudar a identificar:

  • fraqueza ou paralisia;
  • dor ocular;
  • protusão do olho (proptose);
  • lesão recente na cabeça ou no olho;
  • visão dupla binocular;
  • dormência;
  • problemas na fala ou na linguagem;
  • dor de cabeça;
  • vertigem;
  • alterações da coordenação motora.

Se tem dúvidas, o ideal é conversar com o seu médico e marcar uma consulta no oftalmologista para que possa ser visto por um profissional e para que não existam questões ou problemas mais graves para vir a resolver.

Veja também

Artigos Relacionados