Assunção Duarte
Assunção Duarte
11 Mai, 2020 - 12:10

Zoom versus Teams: qual a melhor plataforma para o teletrabalho?

Assunção Duarte

O Zoom tem o melhor desempenho na experiência de utilização. O Teams integra a mais famosa ferramenta de trabalho do mundo. Zoom versus Teams, quem ganha?

Zoom versus Teams no teletrabalho

O confronto Zoom versus Teams coloca frente a frente um gigante do mercado tecnológico, como a Microsoft, e um recém chegado ao mercado, como a Zoom Video Communications. Fundada em 2011, esta empresa norte americana viu o seu serviço de vídeo conferência Zoom saltar para a ribalta durante este período de isolamento social, decretado um pouco por todo o mundo para fazer face à pandemia do novo coronavírus.

Embora não sejam conhecidos número oficiais para os seus atuais utilizadores, a verdade é que esta foi a aplicação mais descarregada nas appstores oficiais durante as primeiras semanas da pandemia da COVID-19 e é já o símbolo de um nova cultura de vida feita online. Em poucas semanas a app passou de uma aplicação utilizada pelos mais jovens para agendar festas e concertos, para ser utilizada por muitas empresas e escolas, numa transição feita à pressão para tentar manter o mundo a funcionar.

Esta vertiginosa ascensão acabou por arrastar a start-up para os escândalos das falhas de segurança já bem conhecidos dos grandes nomes da tecnologia. A insegurança provocada por essas falhas, levou o mundo a virar-se para alternativas aparentemente mais seguras, sendo o Teams da Microsoft o que mais se destacou ao ganhar rapidamente terreno junto das instituições de ensino.

A própria segurança do Teams também já levou um abalo, sendo que ambas as empresas garantem estar em cima dos problemas que vão acontecendo. Se tem dúvidas entre escolher um ou outro, compare e perceba qual pode ser melhor opção para a sua empresa num verdadeiro Zoom versus Teams.

Zoom versus Teams: que opção tomar?

Escolher Zoom ou Teams

Recursos: Teams acena com o Office 365

Os recursos oferecidos por ambas as plataformas são muito similares no que diz respeito aos serviços essenciais que se esperam de uma plataforma de videoconferência para teletrabalho. Ambas possibilitam a realização de reuniões online, partilha de ecrã, chamadas e conversa por mensagem. Explore em pormenor as suas diferenças aqui

A grande vantagem do Teams nesta área dos recursos é que integra as equipas de trabalho com as suas contas Microsoft e o Office 365. Se a sua empresa já trabalha com este software da Microsoft e se ele é parte fulcral do seu funcionamento, o Teams é a escolha certa porque dá continuidade aos hábitos de colaboração, de backups ou pesquisa de arquivos que já existiam nas suas equipas de trabalho.

Mas se a Microsoft não for assim tão essencial no funcionamento da sua empresa, vale a pena espreitar a soluções de integração que o Zoom também já oferece (Slack, Gmail por exemplo). 

Experiência de utilizador: Zoom é fácil e imediato 

O que arrastou o Zoom para a ribalta foi a sua simplicidade de utilização. Face ao Teams, os utilizadores do Zoom podem em menos tempo, sem qualquer tipo de formação ou suporte dos departamentos de tecnologia da informação da empresa, gerir as suas reuniões e o seu trabalho online.

O Teams será sempre um desafio maior porque os utilizadores vão ter de interagir em diferentes canais e equipas de trabalho e incorporar as ligações às aplicações do Office 365. Não é nenhum desafio intransponível, mas para empresas com colaboradores e fornecedores que prezam a simplicidade e o imediatismo, o Zoom é a melhor opção.

mulher em teletrabalho
Não perca Trabalho pós-pandemia: trabalho presencial ou teletrabalho?

Custos: versão gratuita do Zoom com limitação 

Neste nosso Zoom versus Teams, ambas as plataformas disponibilizam versões gratuitas cujos serviços podem ser complementados com planos pagos. O Teams começa numa versão básica por 4,20€ por utilizador mês, tendo o seu plano Premium o custo de 10,50€ por anfitrião. Comparável ao plano Pro do Zoom, que custa 13,99€ e é o primeiro plano pago disponível depois da versão gratuita. Os planos empresariais seguintes têm preços semelhantes nas duas plataformas e rondam os 19€ por utilizador.

De ressalvar uma nota negativa para a versão gratuita do Zoom, que tem como limite para o tempo de reunião de 40 minutos, e uma nota positiva para o Teams, cuja versão básica a empresa tornou gratuita para as empresas e instituições no sector da educação.

Os alunos e os educadores de instituições de ensino elegíveis, podem atualmente inscrever-se gratuitamente no Office 365 Educação, que inclui o Word, Excel, PowerPoint, OneNote e agora o Microsoft Teams. Se a sua empresa é uma escola, esta é sem dúvida a melhor opção.

Utilize ambos e ao mesmo tempo

Para algumas empresas a solução não é bem um Zoom versus Teams, mas sim combinar os dois para situações de trabalho diferentes. Até porque pode pagar uma das soluções e utilizar a versão gratuita da outra. O Teams pode ser assim a opção certa para a colaboração interna, rentabilizando as funções de gestão da colaboração de equipas, e o Zoom ser o indicado para lidar com o exterior, desde clientes a fornecedores ou convidados. Assim pode gerir de forma compartimentada quem acede ao quê nos seus canais de comunicação.

Mas se ainda tem dúvidas o melhor é experimentar as versões gratuitas de cada uma das plataformas antes de se comprometer. E não se esqueça que o mundo da videoconferência não se esgota nestes dois serviços.

Talvez valha a pena explorar outras plataformas como por exemplo o Webex da Cisco, muito utilizado pelas universidades, ou o TeamSpeak, uma plataforma de comunicação de voz que garante baixa latência. Tudo depende dos objectivos e do sector de atuação da sua empresa. Zoom versus Teams: ficou elucidado?

Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins.