João Barbosa
João Barbosa
14 Dez, 2014 - 08:30
3 sinais de descontrolo na gestão do seu dinheiro

3 sinais de descontrolo na gestão do seu dinheiro

João Barbosa

O descontrolo na gestão do seu dinheiro pode estar aí à porta. Para evitar riscos, conheça três grandes sinais de descontrolo financeiro. O seu dinheiro é precioso e tem de o preservar

O artigo continua após o anúncio

Temos focado recentemente em conteúdos sobre formas de enriquecer e de ganhar mais dinheiro. Acreditamos que todos podem ter dinheiro, atingir a sua riqueza e melhorar a sua vida financeira. Para facilitar este caminho é necessário manter um grande controlo das suas finanças pessoais e existem sinais de alerta para o descontrolo financeiro.
 

Conheça os três principais sinais de alerta:
 

Ausência de um fundo de emergência:

A falta de poupança é um sinal de grande perigo. A generalidade dos consultores em finanças fala da necessidade de ter uma reserva de dinheiro para fazer face a imprevistos e emergências. Aliás, muitos problemas financeiros graves surgem pela ausência de poupanças de montantes reduzidos. Imagine o que faria se tivesse de ir com o seu filho ao dentista ou se tivesse de mudar o pneu ou a bateria do automóvel se não tivesse uma poupança? Provavelmente tinha de pedir emprestado a um familiar, amigo ou mesmo a uma instituição financeira. Com a democratização dos cartões de crédito… o caminho ficou “facilitado”.
 

Sugestão de atuação — Pode parecer impossível mas faça uma análise cuidadosa do seu orçamento familiar e encontre pontos de redução de custos, orientando esse valor para uma poupança. Por exemplo, opte por ir menos uma vez por semana almoçar fora com os colegas. Está a poupar sensivelmente €25 todos os meses…
 

TOME NOTA:
Não tem um fundo de emergência? Tem atrasos nos pagamentos de gastos essenciais? Paga prestações financeiras com novos créditos? Provavelmente tem a gestão do seu dinheiro em descontrolo.

Pagar prestações de crédito com novos créditos:

O segundo sinal de alerta de descontrolo financeiro consiste na utilização de novos créditos para pagar as prestações de créditos que tem atualmente. Este sinal consiste na famosa e terrível espiral de sobreendividamento. Por exemplo, contrair uma dívida num cartão de crédito para pagar a prestação do seu empréstimo pessoal. Pode achar que ao fazer isto não está a correr num risco tremendo mas está, na prática, apenas a empurrar o problema para o mês seguinte. Nessa altura, não só terá de pagar a prestação antiga como pagar a nova prestação… e com juros crescentes.
 

Sugestão de atuação — Se está nesta situação poderá tentar optar pela consolidação de créditos ou pela renegociação dos seus créditos. Em ambas as alternativas consegue reduzir as suas prestações, em média em 30%-40%. Não sendo fácil é uma possibilidade que deverá agarrar e explorar até ao máximo das suas possibilidades.
 

Atraso no pagamento de gastos essenciais:

Um último sinal que indicia que provavelmente irá precisar de apoio financeiro consiste nos atrasos de pagamento de gastos essenciais. Por norma, os gastos com a água, luz ou gás são os gastos prioritários. Atrasos nestes pagamentos dizem-lhe que estará em grave risco financeiro. Que precisará de intervir rapidamente.
 

O artigo continua após o anúncio

Sugestão de atuação — Para controlar todos os seus gastos terá de ser muito rigoroso e ter um orçamento familiar bem montado e alimentado regularmente. O dinheiro é como a água, escapa-nos por entre os dedos e temos de o controlar bem para o preservar no nosso bolso.
 

Apresentámos-lhe alguns sinais de descontrolo. Com grande probabilidade não vivencia estes problemas mas nunca será demais estar atento. O dinheiro é uma realidade complexa mas cuja gestão pode ser simples… bastam algumas regras e muita disciplina!
 

Veja também:

Partilhar Tweet Pin E-mail WhatsApp