Teresa Campos
Teresa Campos
25 Nov, 2021 - 23:06

6 tipos de ansiedade infantil: causas, sintomas e como lidar

Teresa Campos

A ansiedade infantil tem várias causas e manifesta-se de diferentes maneiras. Saiba como lidar com esta perturbação.

criança com ansiedade infantil

A ansiedade não é, em si, uma doença, mas sim uma reação a uma possível ameaça ou perigo. Porém, quando falamos em ansiedade infantil, referimo-nos a uma ansiedade que prejudica o bem-estar e o dia a dia da criança.

Ao contrário do que se possa pensar, a ansiedade infantil é relativamente frequente e pode interferir no desevolvimento, aprendizagem e relações dos mais novos. Assim, se não forem devidamente tratadas, estas complicações podem agravar-se já na idade adulta. Saiba mais.

6 tipos de ansiedade infantil

Importa explicar que a ansiedade infantil pode apresentar-se sob diferentes formas que devemos conhecer e distinguir.

adolescente com ansiedade infantil

1. Fobias

Os medos fazem parte do crescimento das crianças. Recear algo não é, em si, negativo. Porém, este pode ser um problema quando o receio se converte numa fobia, ou seja, num medo exagerado e incontrolável.

As fobias podem ter as mais diferentes origens (escuro, animais, barulhos,…) e podem condicionar em muito a vida da criança.

2. Ansiedade de Separação

Neste caso, este género de ansiedade manifesta-se quando a criança fica sozinha ou é afastada dos adultos que tem como referência (mãe, pai, avó,…).

Se de forma moderada esta reação pode ser considerada normal, importa ter em conta que, em algumas crianças, o afastamento dos pais é algo de muito doloroso para elas, suscitando medo e nervosismo.

3. Ansiedade Generalizada

Há crianças que não se coneguem abstrair de um problema ou preocupação, mesmo quando estão nas aulas ou a brincar com os colegas. Nestes casos, a gestão dos afazeres pode ser um desafio e o dia-a-dia pode tornar-se em algo doloroso e penoso para a criança.

4. Pânico

Algumas crianças podem ter crises de ansiedade tão intensas e profundas que acabam por desenvolver ataques de pânico.

Nessas situações, as crianças podem manifestar dificuldades em respirar, sentir as pulsações aceleradas e demonstrar dificuldade em explicar o que estão a experienciar.

5. Perturbação Obsessivo-Compulsiva

As crianças com este problema revelam pensamentos, sentimentos e comportamentos que não sabem justificar, mas que não conseguem eliminar da sua mente.

Geralmente, tratam-se de pensamentos negativos, que a criança tenta contrariar através da adoção de obsessões ou compulsões, isto é, ações que a criança tem de fazer para se sentir bem.

6. Stress Pós-Traumático

Muitas vezes, a ansiedade expressa pela criança tem origem em algum episódio que a marcou negativamente. Quanto mais traumático for esse acontecimento, mais difícil será para a criança superá-lo. É este o caso dos acidentes ou dos abusos, por exemplo.

Causas da ansiedade infantil

Como já adiantámos, são vários os motivos que podem explicar o desenvolvimento da ansiedade infantil. Entre os fatores de risco podem estar aspetos:

  • biológicos;
  • ambientais (familiares, experiências de vida, aprendizagens e questões cognitivas);
  • individuais;
  • genéticos;
  • de temperamento.

Sintomas da ansiedade infantil

Os sintomas associados à ansiedade infantil são muito diversos e apenas devem servir de sinal de alerta quando se manifestam de forma prolongada, durante várias semanas, afetando negativamente o bem-estar e o quotidiano da criança.

Os sintomas de ansiedade infantil podem, ainda, ser dividos em quatro grupos: emocionais, físicos, comportamentais e pensamentos.

Emocionais

  • Tristeza
  • Medo
  • Preocupação
  • Sentimento de culpa
  • Sensação de não ter valor
  • Alterações repentinas de humor

Físicos

  • Dificuldade em adormecer ou sono agitado
  • Agitação
  • Mãos e pés frios ou suados
  • Sensação de “borboletas no estômago”
  • Náuseas
  • Alterações gastrointestinais
  • Tensão muscular

Comportamentais

  • Choro
  • Isolamento
  • Evitar novas atividades
  • Estar sempre zangada
  • Problemas de atenção, concentração, memória e tomada de decisão

Pensamentos

  • Auto-crítica constante
  • Pessimismo
  • Perda de confiança e de auto-estima

Tratamento para a ansiedade infantil

Quando há suspeitas de que a criança pode sofrer de ansiedade infantil, então importa levá-la a um especialista que, nomeadamente através de terapia, seja capaz de resolver este problema.

Basicamente, ao mudar o modo como a criança pensa, é possível contribuir para controlar a sua ansiedade. Assim, é fundamental exercitar o pensamento positivo, ajudar os mais novos a compreenderem e a processarem as suas emoções, assim como dar-lhes ferramentas para aprenderem a lidar melhor com a ansiedade.

Sofre de ansiedade? Já existe uma associação para o ajudar
Veja também Sofre de ansiedade? Já existe uma associação para o ajudar

Como o adulto deve lidar com a ansiedade infantil?

Pais, educadores, familiares e professores devem estar unidos e criar uma rede de apoio e de suporte para as crianças que sofrem de ansiedade infantil, pois só assim é possível que elas superem este problema.

Eis algumas dicas do que deve fazer:

  • Transmita confiança à criança e mostre-lhe como ela é capaz de superar os seus medos e ansiedades e ser bem sucedida nessa luta;
  • Aceite as dificuldades e as limitações que a criança pode ter naquele momento;
  • Mantenha-se paciente, resiliente e não desista, mesmo que as melhorias demorem a aparecer;
  • Valorize as conquistas que a criança for alcançando;
  • Elogie e reforce as qualidades da criança;
  • Converse com a criança, ouvindo-a e demonstrando-lhe o seu apoio e preocupação.
Veja também