Publicidade:

6 benefícios das atividades extracurriculares

Atividades extracurriculares são uma excelente maneira de ajudar as crianças a organizar o tempo e a desenvolverem competências. Saiba mais.

6 benefícios das atividades extracurriculares
Do desporto à música, passando pelas artes

Está a pensar inscrever os seus filhos em atividades extracurriculares? Da música, ao desporto e às artes plásticas, passando por atividades como o xadrez, o teatro ou cursos de línguas… as possibilidades são imensas. Claro que está sempre dependente da escola ou da oferta de centros de tempos livres na sua zona, mas é fundamental pensar em algum tipo de atividade que ajude as crianças a organizarem o tempo livre. Qualquer que seja a escolha, a opção de apostar em atividades além do tempo escolar tem benefícios comprovados.

O contributo das atividades extracurriculares – não só para as crianças, mas também para adolescentes e, até, jovens adultos – é considerável para um enriquecimento cultural e social, assim como o desenvolvimento do sentido de responsabilidade e organização. Os benefícios para a saúde física e mental são, também, algumas das partes mais importantes.

As atividades extracurriculares não podem, contudo, ser uma obrigação para a criança. Não devem consistir naquilo que os pais consideram próprio para elas, mas antes naquilo que motiva a criança a “abdicar” do seu tempo livre. O mais indicado é que todas as atividades (incluindo horas de televisão e internet) sejam executadas com moderação. Antes de tomarem uma decisão acerca da atividade, saiba se é possível que o seu educando/a experimente algumas, em áreas diferentes, para perceber o que gosta mais.

6 benefícios das atividades extracurriculares


1. Ajuda a melhorar o rendimento académico/escolar

ALT escola

Os programas extracurriculares estão desenhados para ajudar as crianças e jovens a desenvolver capacidades que podem ajudá-los a terem melhores resultados nos estudos. Durante o tempo da atividade, as crianças e jovens desenvolvem capacidades que podem ser úteis em algumas disciplinas e sentem-se mais motivados para estudar, sabendo que têm como recompensa aquela determinada atividade extra à escola – por isso, mais uma vez salientamos: é importante que gostem da atividade.

Está comprovado, também, que quem pratica atividade extracurricular desenvolve capacidades de liderança e organização.

2. Incute nas crianças sentido de responsabilidade e organização

As atividades extracurriculares incentivam a cumprir horários e a honrar compromissos, principalmente quando falamos de atividades de grupo. É preciso organizar o dia entre a escola, as atividades e a família.

3. Ajuda a socializar

Atividades de grupo, desde desportivas a culturais, resultam em novas amizades. Possivelmente, amizades fora do âmbito da escola ou do grupo de amigos habitual.

4. Desenvolvimento de capacidades mentais e físicas

ALT atividades extracurriculares

Praticar desporto, estudar música ou teatro ou ter aulas de desenho são exemplos de atividades que ajudam a desenvolver e a descobrir talentos e paixões. Além disso, elas mantêm corpo e mente sãos e saudáveis, e ajudam a controlar os níveis de energia, afastando comportamentos depressivos e derivados da ansiedade

5. Ajuda à autoestima e sentimento de realização pessoal

As atividades extracurriculares podem ser excelentes no âmbito da saúde mental. Além de ajudarem a reforçar a capacidade de concentração, são um caminho para o sucesso pessoal. Está provado que crianças com perturbações no espetro do autismo, síndrome de Asperger ou hiperatividade, por exemplo, tiram benefícios das atividades extracurriculares a nível social e pessoal, isso por permitirem-lhes um escape para a frustração.

6. Reforço na independência e foco nos objetivos

Aqui entra, novamente, a sensação de dever cumprido e compromisso com o grupo a que pertence. Nas atividade, as crianças e jovens são incentivados a reforçar capacidades de confiança e de independência, sentindo-se produtivas e, consequentemente, mais felizes.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.