Como poupar nas despesas do veterinário: 7 dicas

Para saber como poupar nas despesas do veterinário deverá estar atento às necessidades do seu animal. Siga as nossas dicas.

“sponsored by fidelidade”
Como poupar nas despesas do veterinário: 7 dicas
É fácil! E o seu animal agradece!

É certo e sabido que os animais de estimação são uma fonte de bem-estar. Recentemente, uma equipa de investigadores portugueses descobriu que a adoção de animais ajuda a reforçar os efeitos da medicação em pacientes com depressões graves. Se é capaz de fazer tudo para garantir a felicidade destes seus companheiros e quer saber como poupar nas despesas do veterinário, este artigo é para si.

Como poupar nas despesas do veterinário: as nossas dicas


como poupar nas despesas do veterinário

1. Escolha uma boa alimentação

Assim como os seres-humanos, os animais de estimação necessitam de seguir uma alimentação equilibrada e adequada às suas necessidades e à sua idade. Para garantir menos idas ao veterinário deve estar atento aos alimentos que dá aos seus animais.

Opte por gastar um pouco mais na altura de escolher os alimentos para o seu animal de estimação e poupe, a longo prazo, em idas ao veterinário à conta de doenças relacionadas com o regime alimentar desadequado. Em caso de dúvida, pergunte aos especialistas qual a melhor opção para garantir a boa saúde do seu animal.

Para garantir a máxima poupança deverá estar atento às promoções que são feitas ao longo do ano. Por normal, as grandes superfícies apresentam valores mais em conta, mas também poderá fazer as suas compras nas lojas da especialidade. O melhor mesmo é fazer uma análise de mercado e perceber onde vai conseguir diminuir os custos de determinado produto sem colocar em risco a saúde do seu “patudo”.

Em alguns casos compensa comprar embalagens de grande quantidade e, por isso, esteja atento aos preços praticados. Não se esqueça de procurar ofertas online e de conferir os sites das marcas que costuma comprar: são bastante frequentes as campanhas promocionais e a oferta de alguns produtos.

2. Incentive a atividade física dos seu animal de estimação

Além de uma alimentação equilibrada e adequada à raça e idade do seu animal de estimação, deverá ainda incentivar o seu companheiro de quatro patas a exercitar os músculos.

Leve-os a passear regularmente, brinque com eles e promova um estilo de vida saudável. Dessa forma vai poupar nas idas ao veterinário e terá ao seu lado um animal bem mais feliz.

3. Confira as doenças mais comuns do seu companheiro

Esta é uma das melhores formas para descobrir como poupar nas despesas do veterinário. Se quer evitar preocupações constantes, pesquise tudo sobre os problemas de saúde mais comuns da raça do seu animal de estimação.

Sabe-se, por exemplo, que alguns gatos têm propensão para desenvolver a Síndrome Urológica Felina (falamos de problemas nos rins) e que diversas raças de cães não se hidratam muito de forma espontânea, o que vai obrigá-lo desenvolver estratégias para garantir que o seu companheiro não sofre desnecessariamente e, na maior parte das vezes, por desconhecimento.

Se seguir esta dica estará sempre atento aos sinais de alerta e vai evitar despesas avultadas (e desnecessárias, na maioria dos casos) ao longo de toda a vida do seu animal.

4. Garanta as idas regulares ao veterinário

Os especialistas aconselham as idas ao veterinário duas vezes por ano. Estas consultas regulares vão ajudá-lo a prevenir um sem número de problemas que, a longo prazo, significam grandes despesas.

Como diz o ditado, “mais vale prevenir do que remediar” e, por isso, não se esqueça de cumprir com esta recomendação. O seu animal (e a sua conta bancária) agradecem.

5. Prepare a sua casa para a chegada do novo “inquilino”

Se quiser ter um animal de estimação deve começar por certificar-se de que a sua casa está preparada para a chegada do novo membro da família.

Na maior parte dos casos nem se apercebe, mas portas e janelas que se abrem facilmente podem ser um perigo para os animais mais ariscos. O mesmo acontece com algum tipo de vedações, que não apresentam nenhum tipo de segurança para os seus companheiros de quatro patas.

Mas há mais: mantenha medicamentos e produtos tóxicos (detergentes, lixívias e afins) longe do alcance dos seus animais e não se esqueça de garantir que os alimentos para os seres humanos ficam bem longe da vista dos animais lá de casa.

6. Saiba mais sobre consultas a baixo custo

Bem sabemos que as idas ao veterinário, apesar de serem essenciais, podem ser caras. Assim sendo, lembre-se que organizações como a União Zoófila ou a Associação Midas praticam preços mais em conta (para sócios e não sócios).

Se não vive por Lisboa, tente informar-se junto de alguns hospitais veterinários ligados a faculdades da especialidade. O serviço é de excelência e o preço compensa.

7. Conheça os seguros de saúde

Até há pouco tempo não era possível deduzir as despesas com animais no IRS. Hoje em dia, a situação é bem diferente e já é possível deduzir 15% do valor gasto nas seguintes atividades veterinárias: cuidados médico-veterináriostratamentos cirúrgicosprocedimentos de diagnósticotransporte de animais doentes e rações e alimentações específicas para os casos em que é seguida uma dieta especial e prescrita pelo médico veterinário.

Já o limite à dedução de despesas com animais no IRS foi estabelecido nos 250€ por ano.

Como poupar nas despesas do veterinário: dica final

Temos uma última dica para garantir que não terá dificuldades em garantir uma vida saudável e feliz ao seu animal de estimação. Escolha o seu “companheiro de casa” de acordo com o seu orçamento.

Se tiver pouco dinheiro para gastar poderá optar por animais de porte pequeno (tartarugas, peixes ou até mesmo pássaros). Se preferir um cão ou um gato lembre-se que a despesa associada é sempre mais alta. Pode, ainda, passar pelo canil ou gatil da sua área da residência: os animais já estão esterilizados e vacinados (em alguns casos, podem já trazer identificação eletrónica).

Veja também: