Publicidade:

6 estilos de liderança que deve conhecer

Existem estilos de liderança com metas distintas, de acordo com os objetivos de cada equipa. Sabe distingui-los e aplicá-los? Descubra tudo aqui.

6 estilos de liderança que deve conhecer
Estilos diferentes para objetivos diferentes

O contexto empresarial em que uma determinada equipa de trabalho está inserida determina os estilos de liderança necessários ao bom funcionamento do grupo, de forma a atingir determinados objetivos.

Hoje em dia, líderes qualificados são já uma obrigação numa corporação e não é estranho ouvir falar em cursos e formações que ajudam a formar líderes natos em gestores de qualidade. O assunto é sério, por isso, não se engane: gerir um grupo de pessoas não é fácil, requer disciplina e capacidades de comunicação assertiva fortes.

Mas, antes de descobrir mais sobre o assunto, sabe responder qual é o objetivo de um líder? Nó ajudamos: é, sem dúvida, conduzir a sua equipa aos melhores resultados possíveis.

Mas, afinal, como um bom líder faz isso? Um só estilo e liderança funciona para todos? O estudo dos recursos humanos defende que existe a necessidade de compreender as diferenças entre os tipos de líderes e a quem se aplicam. Selecionamos seis perfis, e incluímos na descrição as várias vantagens e desvantagens de destaque.

Estilos de liderança: quais são?


ALT estilos de lideranca

Um líder é-o sempre: quer num contexto pessoal, quer num organizacional. Em comum, os  líderes devem ser capazes de acompanhar, motivar e gerir as suas equipas eficazmente.

É importante distinguir que, num contexto empresarial, um líder nem sempre é um gestor ou gerente. Existem líderes em todos os setores da organização, que atuam nestes estilos. Fique atento.

1. Liderança autocrática

Neste estilo de liderança, o líder exerce um nível elevado de poder sobre os membros da sua equipa. É um movimento que não dá oportunidade aos membros da equipa de apresentar ideias ou opiniões para o bem comum. Este estilo não é o mais recomendado, visto estar na base de um possível nível de insatisfação – e consequente desmotivação da equipa, com a perda de criatividade dos seus elementos.

Contudo, se as vantagens do controlo se sobrepuserem às desvantagens, o estilo de liderança autocrática pode ser eficaz.

2. Liderança carismática

Dentro dos estilos de liderança, a liderança carismática define-se por um estilo de liderança transformacional. O líder carismático injeta grandes doses de entusiasmo na equipa e é participativo, motiva a inovação e a criatividade dos membros.

O risco deste estilo de liderança é que o líder tem tendência a acreditar mais em si próprio do que na equipa, e o sucesso de um projeto pode estar comprometido se estiver completamente dependente da presença do líder carismático.

3. Liderança participativa

Este estilo de liderança implica que a decisão final acerca de um projeto parta tanto do líder, como dos membros do grupo de trabalho. Estamos perante um dos estilos de liderança mais democráticos. Isto resulta num aumento da satisfação por parte dos colaboradores, assim como uma motivação para o trabalho.

4. Liderança transacional

Como o nome indica, este estilo implica que, no início do projeto, se chegue a um acordo entre líder e colaboradores: a equipa obedece completamente ao líder e, em troca, vai decorrer uma transação como recompensa do esforço e obediência. Desta forma, abre-se também um caminho ao contrário: há punições para a desobediência ou falhas no plano de trabalho por parte dos colaboradores.

É considerado que a liderança transacional não é a mais satisfatória, mas que acaba por ser a mais eficaz para projetos a curto prazo. Apesar de apresentar limitações em termos de criatividade, é mais um estilo de gestão do que de liderança – e é, ainda, muito utilizado.

5. Liderança transformacional

Aqui estamos perante um verdadeiro líder que inspira os membros da sua equipa perante uma visão partilhada dos objetivos a cumprir e das recompensas que podem existir. Este estilo de liderança prima por ser visível e comunicativo, entusiástico e motivador e por valorizar o trabalho de equipa.

A equipa responde positivamente a um estilo de liderança dinâmico e competitivo. A desvantagem é que, por vezes, um líder transformacional precisa do apoio de um líder ou gestor mais transacional, com mais atenção ao detalhe e aos pequenos pontos diários do plano de trabalho.

6. Liderança Laissez-faire

Já ouviu falar na expressão “laissez faire, laissez passer”? Este estilo de liderança, caracterizado por esta expressão francesa, descreve um líder que deixa a equipa prosseguir com o que fazem.

Aqui é desejável que o líder e a equipa sejam pessoas experientes, com um espírito de iniciativa inato. O líder deve apenas controlar o que é conseguido no final. Pode ser uma faca de dois gumes, caso não haja controlo suficiente.

Veja também:

Júlia Rocha Júlia Rocha

Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Porto, sempre se deu bem com os livros, teclados de computador e canetas. A importância da palavra escrita num mundo tecnológico, aliada à história, ao cinema, literatura e televisão, são os seus maiores campos de interesse.