Publicidade:

Project Athena: portáteis com baterias de longa duração

A Intel, famosa pela produção de processadores para computadores, quer dar início a uma nova era no mercado: os portáteis com baterias de longa duração.

Project Athena: portáteis com baterias de longa duração
O projeto está a ser desenvolvido pela Intel

Se tivermos em consideração outros dispositivos móveis, a verdade é que, ainda hoje, os computadores portáteis são os aparelhos que menos autonomia têm. O Project Athena, criado pela Intel, quer revolucionar a capacidade dessas baterias, prometendo portáteis com autonomia até 9 horas de utilização real.

Project Athena: portáteis com baterias mais potentes


A Intel apresenta o projeto como uma verdadeira inovação e novidade no mundo dos computadores. Por muita autonomia que prometam, a verdade é que a duração das baterias desses dispositivos nem sempre corresponde ao esperado.

De facto, a maior parte das marcas faz o cálculo da autonomia com base em portáteis que, em certas alturas, têm o “modo avião” ativado, o que não permite que os computadores sejam utilizados na sua máxima eficiência. Por esse motivo, a quantidade de bateria utilizada não é tanta como se os portáteis tivessem esse modo desativado.

É precisamente por essa razão que a Intel quer inovar ao lançar o Project Athena, um conceito que se preocupa em desenvolver computadores portáteis com baterias que duram até 9 horas de utilização real. Isto significa que, idealmente, o utilizador poderá ter abertas aplicações mais pesadas, ver filmes em streaming e até jogar jogos com gráficos complexos – tudo isto em simultâneo.

Mais rapidez

Na base do Project Athena está, também, a vontade de produzir computadores mais rápidos em todas as fases de utilização. Isso inclui, obviamente, o arranque, que está a ser melhorado para Intel para que demore apenas escassos segundos.

O mesmo acontece com a ligação à Internet e a utilização de outras aplicações. Um dos objetivos principais deste projeto é a produção de computadores muito mais rápidos que, simultaneamente, não comprometam a utilização das baterias.

Mais bateria, mais funcionalidades

A ideia não passa só por ter portáteis com mais autonomia, mas sim pela otimização de todas as funcionalidades inerentes a um componente como a bateria. O Project Athena prevê, por isso, que seja possível ter computadores com 4 horas de autonomia com apenas 30 minutos de carregamento. Para além de uma conectividade muito mais rápida, espera-se uma utilização otimizada com base numa bateria inteligente.

A Inteligência Artificial, que faz parte de praticamente todos os smartphones mais recentes, será também incluída nos portáteis com bateria de longa duração. Essa tecnologia, quando aplicada à bateria propriamente dita, vai analisar a utilização dada ao computador por determinada pessoa e, por sua vez, vai perceber qual a melhor forma de funcionar.

Assim, estará a poupar autonomia em períodos de utilização menos intensos, sobrando energia para as alturas de maior utilização – tudo isto através da Inteligência Artificial.

processador intel

Fonte da Imagem: Intel/Divulgação

Novo design e construção

A Intel está a trabalhar em computadores que, para além de mais potentes internamente, serão igualmente distintos na parte exterior. Segundo a multinacional norte-americana, estão a ser desenhados portáteis muito mais finos e leves – ainda mais que os ultrabooks que se podem encontrar atualmente no mercado.

Para além da inclusão da Inteligência Artificial de uma forma transversal, a todo e qualquer componente dos novos computadores do Project Athena, outras tecnologias serão incorporadas, tais como o controlo por voz, a possibilidade de usar o ecrã como touch e ainda a inclusão de pens para melhorar a utilização dos aparelhos.

Em entrevista ao The Verge, Josh Newman, responsável pelo projeto, justificou a nova abordagem e explicou que a Intel quer eliminar, definitivamente, os discos HDD em detrimento dos SSD, algo que possibilita a produção de computadores muito mais finos e leves.

Newman avançou ainda que os novos aparelhos já deverão integrar o WiFi 6, nova e mais rápida tecnologia de conectividade à Internet sem fios. A par disso, o responsável do Project Athena acrescenta que os portáteis também serão compatíveis com a rede 5G dos novos smartphones, que devem chegar ao mercado a partir de 2020.

Preço e lançamento

Não há ainda uma data definida para o lançamento dos portáteis do Project Athena. Sabe-se, no entanto, que a novidade deve chegar ao mercado em meados de 2020, pelo que resta esperar que todas as funcionalidades já avançadas pela Intel se juntem a outras por anunciar.

Quanto ao preço, seria de julgar que, componentes avançados e inovadores, se traduzam num preço mais alto e equivalente ao de computadores premium. No entanto, tudo indica que o Project Athena quer atingir um mercado diferente e disponibilizar a inovação a todos os consumidores.

Por isso, a barreira dos 800€ por produto não deverá ser ultrapassada, ainda que a Intel não tenha confirmado quaisquer valores. Contudo, a vontade de desenvolver portáteis que aguentem horas de utilização real é muito maior para a conhecida fabricante tecnológica, pelo que o objetivo final é que os portáteis estejam ao alcance (monetário) de todos os consumidores.

Veja também:

Luísa Santos Luísa Santos

Licenciada em Ciências da Comunicação - Jornalismo, Mestre em Multimédia, cantora sem diploma nas horas livres. Trabalha atualmente em Marketing e Comunicação, é viciada em redes sociais e fervorosa adepta do desenrasque.