14 formas de poupar no regresso às aulas

Adeus, mergulhos! Olá, calculadora! Está aí o mês de setembro. Sabe como poupar no regresso às aulas? Conheça algumas formas de o fazer.

14 formas de poupar no regresso às aulas
Dicas a não perder

O regresso às aulas representa uma grande parcela do orçamento das famílias. Especialmente se tem mais do que um filho em idade escolar. Não se deixe perder com talões, cartões e promoções, veja as nossas dicas e saiba como poupar no regresso às aulas sem ter grandes dores de cabeça.

Veja 14 dicas essenciais para poupar no regresso às aulas


poupar na volta às aulas

1. Faça uma lista

É a única forma de não se perder nas compras. Faça uma lista com tudo aquilo de que os seus filhos vão precisar neste regresso às aulas. Seja material escolar, roupa, calçado ou livros, não deixe nada de fora. A lista permite poupar no regresso às aulas, pois assim evita fazer compras supérfluas e por impulso. Tem, no entanto, de se esforçar para comprar apenas o que está na sua lista.

Na lista defina também o valor máximo que pretende gastar, e fale com os seus filhos sobre ele. Assim, não só os está a ensinar a poupar, como também vai conseguir ficar apenas pelo essencial.

2. Verifique os armários

Antes de sair para as compras, confirme se não tem em casa algumas das coisas que estão na sua lista. Há sempre um caderno intacto de anos anteriores, esquecido numa estante, ou um lápis de cor aos trambolhões numa gaveta, já para não falar nas dezenas de canetas e lápis oferecidos. Dê uma vista de olhos às gavetas da sua casa, e comece já a poupar.

3. Aproveite os livros dos mais velhos

O Estado ajuda nesta tarefa ao tornar obrigatória a manutenção de alguns manuais escolares durante três anos. Se tem um filho em idade escolar, poupe-se ao choque de comprar os livros todos novos na papelaria e procure saber se não tem amigos ou familiares com filhos um ano mais velhos.

Se o preocupa o estado em que os livros lhe chegam e não quer o seu filho a passear um livro desgastado pela escola, pode sempre forrar a capa de forma original ou deixá-lo colar autocolantes do personagem preferido. Todos sabemos que os livros das crianças não ficam imaculados durante muito tempo e não tarda ninguém percebe que o seu filho não estreou os dele.

4. Organize uma partilha familiar

Os primos não servem só para brincar nas festas e os irmãos mais velhos não servem só para provocar os mais novos. Se há, na família, crianças com idades próximas, organize um convívio e convide os pais a trazerem a roupa que os filhos já não usam. O que não serve a uns pode servir a outros – e quem é pai sabe bem que muita roupa deixa de servir sem nunca ter deixado de ser nova!

5. Aproveite os saldos

Da mesma forma que sabe que regresso às aulas é sinónimo de compras obrigatórias, também as lojas sabem que vai precisar de passear pelas montras. Esteja atento e, quando começarem os saldos e as promoções, ataque: é a hora certa para comprar o que precisa.

Da roupa aos acessórios, do material escolar à tecnologia, pode fazer a lista completa, porque tudo vai baixar de preço. Quando, no final, olhar para as contas, vai ver que a poupança o deixa surpreendido.

6. Aproveite soluções de cashback

Sabia que existem cartões que lhe devolvem uma percentagem do que compra? Sim, são algumas das soluções de cashback mais efetivas do mercado, e podem ajudar a poupar não somente no regresso às aulas, mas durante todo o ano. A lógica é receber de volta parte do valor que gastou em compras.

Uma das grandes novidades do mercado e que vale a pena espreitar, é o bankintercardCom a devolução de 5% do valor mensal gasto nos primeiros 12 meses após a adesão, 10€ máximo por mês, é possível ter de volta até 120€ do valor gasto no ano. Esta é uma solução financeira do Bankinter Consumer Finance em Portugal, e é uma das devoluções mais altas que vai ver no mercado.

Outra das grandes vantagens do bankintercard é que para aderir não é preciso ser um cliente do Bankinter. Além disso, o bankintercard não tem anuidade, a TAEG é de 15,7%, e o limite de crédito é até 6.000€ 

Saiba mais sobre as condições e benefícios do bankintercard >>

7. Distribua as despesas

Se já sabe que produtos vai comprar e já tem noção de que a despesa vai ser grande, evite deixar as compras todas para o mesmo mês, porque já está a ver que vai ficar apertado. O ideal é distribuir as despesas no tempo e ir fazendo as compras à medida que as promoções vão surgindo.

Por exemplo, é comum haver promoções em produtos de tecnologia na altura do verão. Se o seu filho vai precisar de um computador ou de uma máquina fotográfica, porque não comprar logo e evitar somar com as despesas habituais do regresso às aulas?

8. Compare preços e compre online

Esteja atento aos folhetos das lojas (grandes superfícies e lojas da especialidade) e não vá às compras sem analisar qual das lojas e marcas lhe oferece mais vantagens. Tenha presente que várias lojas oferecem descontos exclusivos online, nomeadamente para a compra de livros escolares, que rondam os 10% e os 13%.

A internet é uma excelente ferramenta para poupar no regresso às aulas. Com ela, pode também procurar promoções perto de si que sejam relevantes ao que vai comprar.

9. Compre material de marcas brancas

Vai ter que negociar com o seu filho, nós sabemos. Mas, por certo, conseguirá uma solução de compromisso. Para se ficar por material de marca branca, pode ter que vir a ser original no modo como faz com que os cadernos e os marcadores mais baratos sejam atraentes. Mais uma vez, esta é uma excelente oportunidade para ensinar o seu filho a poupar.

Deve, no entanto, comprar artigos de marca se considerar que estes são de melhor qualidade e vão durar mais tempo. Não vale a pena comprar algo que seja barato, para se estragar no primeiro mês de aulas.

10. Experimente livros em segunda mão

Os livros escolares são a maior carga orçamental no regresso às aulas. Valerá a pena esse investimento? Afinal, findo o ano letivo, serão arrumados e esquecidos no sótão, sem sequer serem consultados para revisões.

Em todos os distritos (exceto na Madeira), há vários Bancos de Livros Escolares, procure o mais perto de si e recolha ou troque livros de forma gratuita. Através do site Reutilizar consegue encontrar bancos perto de si, onde se trocam voluntariamente livros escolares.

11. Peça fatura

Na declaração de IRS, quanto às despesas de educação, pode deduzir 30%, até ao limite máximo de €800, ou de €400 para casais que optem pela tributação separada. Assim, pedir fatura ajuda a poupar no regresso às aulas.

12. Venda o que já não usa

À medida que os seus filhos progridem na escola, há material que deixa de ser necessário, dependendo das áreas que seguem. Pode pegar neste material, e vendê-lo em sites como os já referidos acima, para ter mais algum dinheiro para gastar no regresso às aulas enquanto ajuda outras famílias a poupar.

13. Ajude os seus filhos a reutilizar

A maior parte do material escolar deve durar mais do que um ano letivo, algo que não é difícil de conseguir se o material for estimado, em vez de tratado como descartável.  Se ajudar os seus filhos com o material escolar, pode vir a fazer com que este dure mais tempo nas mãos deles.

14. Analise os resultados

Depois de comprado tudo o que era necessário e de ter cumprido os seus objetivos, está na altura de analisar cuidadosamente as faturas das compras que fez para ver onde poderia ter poupado mais, e que erros cometeu.

Deve, também, perceber que material os seus filhos realmente usam, e o que fica apenas na mochila. Assim, poderá no ano seguinte evitar comprar materiais que não serão usados.

Deixar o seu bolso a salvo durante o regresso às aulas, já viu, é impossível, mas há formas de reduzir o impacto do mês de setembro no orçamento familiar e se souber aproveitá-las bem ainda pode ter boas surpresas em outubro ou novembro. Prepare-se com antecedência, estude as soluções e… boas compras!

Veja também: