Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Ana Graça
Ana Graça
18 Jun, 2018 - 16:01

Bebé prematuro: tudo o que os pais precisam de saber

Ana Graça

Um bebé prematuro é aquele que nasce antes do tempo e que, por isso, é mais vulnerável. Fique a conhecer os fatores de risco para um parto prematuro.

Bebé prematuro: tudo o que os pais precisam de saber

A duração normal de uma gestação é de 37 a 42 semanas. O bebé prematuro é aquele que nasce antes das 37 semanas. O nível de prematuridade é posteriormente definido, tendo em conta a idade gestacional e o peso do bebé.

O que é um bebé prematuro?

Prematuridade segundo a idade gestacional

a) Prematuro pré-termo limiar: bebés nascidos entre as 33 a 36 semanas de gestação e/ou com um peso entre 1500g e 2500g;

b) Prematuro moderado: bebés nascidos entre as 28 e 32 semanas de gestação, com um peso entre 1000g a 2500g;

c) Prematuro extremo: bebés antes das 28 semanas de gestação, com um peso inferior às 1000g.

Prematuridade segundo o peso à nascença

a) Prematuro de baixo peso: com menos de 2500g;

b) Prematuro de muito baixo peso: com menos de 1500g;

c) Prematuro de extremo baixo peso: com menos de 1000g.

bebé prematuro é mais vulnerável

9 sinais de imaturidade que caracterizam um bebé prematuro

É importante que os pais estejam preparados para lidar com os sinais de imaturidade que caracterizam estes bebés e que os tornam muito mais vulneráveis, e também que se rodeiem de toda a ajuda médica e familiar de que necessitem.

1) Baixo peso;

2) Pele fina, brilhante e rosada, por vezes coberta por lanugo (penugem fina);

3) Veias visíveis sob a pele;

4) Pouca gordura;

5) Cabelo escasso;

6) Cabeça grande e desproporcionada em relação ao resto do corpo;

7) Músculos fracos e atividade física reduzida (tende a não elevar os braços e as pernas);

8) Reflexos de sucção fracos ou inexistentes;

9) Respiração irregular.

Causas do parto prematuro

Apesar da intensa investigação, ainda não são completamente conhecidos os mecanismos causadores do parto prematuro. Contudo, já é bem conhecida a associação de alguns fatores de risco ao parto prematuro.

Acredita-se que a causa da prematuridade não se deve apenas a um único fator, mas sim a um conjunto deles.

Principais fatores de risco

a) Gravidez gemelar;

b) História de um parto prematuro anterior;

c) Idade da grávida (abaixo dos 19 e acima dos 40 anos);

d) Comportamentos de risco por parte da grávida (consumo de tabaco e/ou drogas; inexistência ou baixos cuidados pré-natais);

e) Infeções (nomeadamente, pneumonias, pielonefrite e apendicite aguda);

f) Hemorragia vaginal (causada, por exemplo, pelo descolamento de placenta);

g) Problemas ginecológicos (nomeadamente, malformações uterinas e fibromiomas);

h) Fatores psicológicos (stress materno; depressão pré-natal e atitudes negativas face à maternidade).

Relação dos pais com o bebé prematuro

Contacto entre pais e bebé prematuro

Durante a gravidez, os pais vão idealizando o seu filho perfeito e, ao mesmo tempo, sentindo receio de que possa surgir algum problema inesperado. Quando o bebé nasce dá-se o confronto entre o bebé que foi idealizado e o bebé real. Este confronto é maior nos casos do nascimento de um bebé em risco.

Os pais são frequentemente confrontados com a situação de internamento do bebé prematuro (de forma mais ou menos prolongada) e, posteriormente, reagem e adaptam-se ao comportamento de interação do filho e à forma como este vai cumprindo as suas tarefas de desenvolvimento.

Após o choque e o medo iniciais, é importante que os pais passem por um processo de adaptação e aceitação e se preparem para apoiar o seu bebé.

A presença dos pais junto de qualquer bebé é fundamental, mas torna-se ainda mais importante quando falamos de um bebé prematuro. A forte proximidade entre pais e bebé contribui para o bem-estar do bebé e para a sua recuperação.

Veja também: