André Freitas
André Freitas
28 Jun, 2019 - 16:17
Citröen C4 Cactus: conheça ao pormenor o crossover da Citroen

Citröen C4 Cactus: conheça ao pormenor o crossover da Citroen

André Freitas

Experimentamos o renovado Citroen C4 Cactus, o pequeno crossover familiar da marca francesa. Conheça este carro ao detalhe e saiba qual é o nosso veredito.

O artigo continua após o anúncio

A Citröen renovou o C4 Cactus. No final de 2018, a marca francesa lançou uma nova versão deste carro, e como este se trata de um dos automóveis mais procurados do mercado português, fomos experimentar quais são os argumentos da Citroen para tentar destronar o Renault Captur no topo da tabela dos crossovers mais vendidos.

Desde os primeiros tempos que a Citroen sempre foi pioneira no que toca ao desenvolvimento de suspensões, garantindo que os seus clientes ficam satisfeitos com a experiência de condução, tendo em conta claro a relação qualidade/preço, assumindo-se esta marca francesa como uma das mais confortáveis do segmento médio.

Mas, será que este renovado C4 Cactus manteve as mesmas características de habitabilidade, praticalidade e conforto que pautaram a geração anterior? Será que continua a ser uma referência no seu segmento e que quiçá, poderá tornar-se o crossover mais vendido em Portugal?

Citroen C4 Cactus: a nossa análise a olho clínico

1. Design e qualidade

Tendo em conta o aspecto geral do renovado C4 Cactus, esta nova versão acaba por ser um pouco mais “normal” e talvez menos… “extraterrestre”.

Devido à nova grelha frontal e aos faróis traseiros bipartidos, mas com o dobro do tamanho, este novo Cactus assume-se como sendo um carro mais dinâmico, quadrado e “musculado”. Mas ainda assim, continua a ser facilmente identificado como um C4 Cactus.

Entrando mais em detalhe, na parte exterior, os “air pumps” são agora mais reduzidos e estão escondidos na zona inferior. Isso não nos permite estacionar o carro em locais tão apertados, uma vez que as portas já não se encontram tão protegidas.

A qualidade dos materiais no interior não é brilhante, mas é típica de um carro de um preço muito razoável.

O volante não desperta um bom “feeling”, é muito fino e nem é revisto a pele. Em contrapartida, temos um tablier forrado a um material bastante suave, bem como o apoio do braço na porta. Destacam-se ainda as tiras nas portas que servem para fechar e abrir a porta.

O artigo continua após o anúncio

Relativamente à informação do veículo, existe um conta quilómetros 100% digital. No que diz respeito ao infoentretenimento, o sistema utilizado é exatamente igual ao que encontramos nos veículos do mesmo segmento do grupo PSA.

Na nossa opinião, o ecrã é um demasiado pequeno, lento e não é muito responsivo. No entanto, está “ok” tendo em conta o segmento e o preço do carro.

2. Condução

c4 cactus suv
Fonte: Citröen

Como já referido, o objetivo principal desta marca francesa é providenciar um carro que não defraude as expectativas do cliente tendo em conta a relação qualidade/preço. E pela nossa experiência de condução, podemos claramente afirmar sim. Como sabemos, a Citröen foi a pioneira no que toca a suspensões confortáveis, criando o primeiro carro da história com suspensão hidráulica. E este C4 Cactus não é exceção.

A suspensão deste mini SUV garante uma condução incrível e de qualidade, que aliada ao conforto providenciado pelos bancos extremamente esponjosos, permite que quase nem se dê conta das irregularidades da estrada.

Porém, no que à suspensão diz respeito, nem tudo é positivo. Isto porque para conduções mais dinâmicas e rápidas, esta acaba por não ter a melhor performance. Para poder ser tão confortável precisa ter muito curso, e isto pode dar uma sensação de insegurança e instabilidade na condução do carro.

Relativamente a esta caixa de velocidades automática de 6 velocidades que equipa a versão ensaiada, não podemos dizer que seja a mais requintados. Ainda assim, sempre que conduzimos a velocidades reduzidas ou em autoestrada, as passagens de velocidades e os barulhos do motor são quase imperceptíveis.

3. Conforto e espaço a bordo

c4 cactus suv interior
Fonte: Citröen

No interior, tanto na parte frontal como traseira, o conforto é garantido devido à espuma de alta densidade utilizada nos bancos.

Tendo em conta a nossa experiência, não é exagero, nem mentira, dizermos que estes bancos são quase tão confortáveis como os que temos em casa. A espuma de alta densidade adapta-se à forma do seu corpo, e garante-lhe uma posição confortável.

O artigo continua após o anúncio

O espaço na parte traseira não é abundante, sobretudo para adultos. Para maximizar o espaço nesta parte do carro, a Citröen optou por colocar alguns compartimentos em zonas da porta que lhe permitem guardar o telemóvel, a carteira e até uma garrafa de água de 1,5 l.

Se na traseira o conforto dos bancos já era bom, o que dizer da parte dianteira? Estes bancos são quase umas poltronas. Aqui, já há espaço suficiente para o condutor, seja ele de estatura baixa ou alta.

Relativamente à bagageira, a capacidade é de 358 L, que se estende para um máximo de 1170 L (com os bancos rebatidos).

4. Segurança

De forma a maximizar a segurança de todos os que andam no carro, e também na estrada, há diversas tecnologias que podem equipar este pequeno familiar.

Estamos a falar de tecnologias como: active safety brake, alerta de faixa de rodagem, sistema de controlo de ângulo morto, entre outros.

Estas tecnologias vão facilitar a sua condução, e ajudar a prever situações que podem ser potencialmente perigosas.

5. Motorizações

A versão testada nesta review do C4 Cactus estava equipada com um motor 1.5 a diesel com 130 cv de potência, e uma caixa de velocidades automática de 6 velocidades.

Pode também optar por um motor 1.5 a diesel, mas com apenas 100 cv de potência e uma caixa manual de 6 velocidades.

O artigo continua após o anúncio

Se é daqueles que faz poucos kms anualmente, as versões a gasolina poderão ser uma boa opção. Nesta vertente, tem disponíveis 2 opções:

  • motor 1.2 com 110 cv de potência e uma caixa manual de 6 velocidades
  • motor 1.2 com 110 cv de potência, mas com uma caixa automática de 6 velocidades

6. Consumos

Os consumos da versão ensaiada não são tão baixos quanto estávamos à espera. É verdade que não são assustadores, mas esperávamos que fossem inferiores.

A marca anuncia um consumo de 4,5 l aos 100km. Todavia, ao longo da nossa review C4 Cactus nos 260 km percorridos, a média de combustível por cada 100 km nunca foi inferior aos 5,8 l.

É verdade que o test drive ao C4 Cactus ocorreu sobretudo em estradas citadinas e de montanha. Para além disso, também fomos testando a resposta da caixa automática aos diferentes desafios que lhe colocamos.

Assim, e tendo em conta estes fatores, sabemos que podemos baixar um pouco os consumos, mas nunca para os 4,5 l que a Citröen anuncia.

7. Preço

Há 2 versões distintas para o C4 Cactus, e cada uma delas pode ser equipada conforme as suas necessidades. Como tal, estas versões têm preços distintos.

Para a versão de entrada na gama, ou seja, a “Feel“ com um motor 1.2 a gasolina com 100 cv de potência, o preço começa nos 17.500€.

Os preços para a versão “Shine” começam nos 18.500€. Esta versão é equipada de base com o mesmo motor da versão anterior. No entanto, esta versão é acompanhada de mais equipamento (Android Auto, Apple CarPlay, sensores de estacionamento, câmara de marcha atrás e ainda cruise control).

Na nossa opinião, se vai comprar a versão base deste modelo, opte pela “Shine” devido aos equipamentos adicionais. Certamente irão tornar a sua relação com o carro melhor e facilitar o seu quotidiano.

A versão testada, que é a “Shine”, com um motor 1.5 diesel de 120 cv de potência e uma caixa automática de 6 velocidades, custa 25.000€.

Consideramos que o preço é um bocado desajustado e desadequado para aquilo que são as pretensões deste carro. Este é um carro de entrada na gama, um compacto familiar que nos permite ter uma condução mais elevada, mas que não é premium.

E ao optar pela versão diesel com a caixa automática, o preço do carro já sobe para valores não tão simpáticos. Então, para nós, só faz sentido optar por esta versão se fizer perto dos 20.000 km anuais.

De outra forma, o gasto superior que vai ter em adquirir a versão diesel não será compensado.

5 aspetos que mais gostamos

  1. Assentos com espuma de alta densidade para conforto e suporte incrível
  2. Sistema de controlo de tração inteligente com 5 modos de condução
  3. Botão SOS
  4. Travão à moda antiga
  5. Pneu suplente em dimensões iguais às dos restantes

5 aspetos que menos gostamos

  1. As janelas de trás não podem ser abertas
  2. Espelho de cortesia do condutor sem luz e o passageiro nem espelho tem
  3. Apoia braços inútil porque está mal localizado
  4. Reconhecimento por voz nunca funciona
  5. Mostradores digitais com pouca informação (ex: este nunca mostra as rotações)

Veredicto final

Ao longo desta review do C4 Cactus foram várias as características que nos impressionaram neste crossover, tais como: conforto de condução, quantidade e qualidade equipamento a bordo, espaço interior, consumos e andamento.

Se estiver à procura de um carro para a família, ou simplesmente de um carro com um bom espaço, e tem um orçamento de aproximadamente 20.000€, o C4 Cactus na versão a gasolina e com caixa manual, é sem dúvida um carro que deve considerar.

No compito geral, este SUV é, e continua a ser, uma referência no seu segmento e uma ótima opção se estiver no mercado à procura de um Crossover e faz sobretudo percursos citadinos.

Veja também