Afonso Aguiar
Afonso Aguiar
13 Jul, 2021 - 12:59

Calibrar pneus: um pequeno gesto para maior segurança

Afonso Aguiar

Com certeza já ouviu o termo calibrar pneus. Na realidade, é algo muito simples e fácil de fazer. No entanto, este ato costuma ser descurado. Descubra mais.

Homem a calibrar pneus

Apesar de possuir um nome técnico bastante “elegante”, calibrar pneus é, em linguagem corrente, algo muito presente no dia-a-dia: colocar a pressão correta nos pneus.

No entanto, apesar de ser de conhecimento comum que é algo bastante importante – afinal os pneus são o único ponto de contacto entre a carroçaria e o chão e a área de contacto é unicamente do tamanho da palma de uma mão – é muitas vezes descurado.

Qual a importância de calibrar pneus?

Como foi dito, a área de contacto entre a carroçaria e o chão é do tamanho de apenas uma palma de uma mão. Isso significa que toda a segurança e conforto da condução está dependente dos pneus. A medição da pressão é feita normalmente, em BAR, mas poderá encontrar locais onde se mede também em PSI.

Estudos indicam que ao longo de um mês os pneus “esvaziam” naturalmente cerca de 0.076 BAR. Ou seja, aproximadamente 0.1 BAR. No entanto, furos, problemas na válvula ou na tampa da válvula poderão aumentar estes valores.

Portanto, apesar da opinião dos especialistas variarem, deve verificar a pressão e, se necessário, calibrá-los, pelo menos uma vez por mês. A própria condução e o estilo mais defensivo ou desportivo costumam diminuir ou aumentar o esvaziar natural da pressão.
Se os pneus não estiverem bem calibrados isso poderá originar:

  • um maior desgaste dos pneus: 20% de pressão a menos origina 20% de menor duração do pneu;
  • aumento do consumo de combustível e de CO2: uma vez que há uma aderência menos eficiente ao solo;
  • menor segurança e conforto na condução: o desgaste e a aderência menos eficiente ao solo provocam menor controlo do automóvel. Além disso, pneus gastos podem aumentar a distância de travagem em 50%.

Qual a pressão correta dos pneus?

Já diz a sapiência popular que “cada caso é um caso”. Ora, também no mundo automóvel se pode utilizar muito essa expressão. Neste caso em específico, cada modelo tem uma pressão diferente. Aconselha-se sempre utilizar a pressão recomendada pelo fabricante. Pode encontrar esses dados no manual do automóvel, ou numa placa de metal na porta do condutor do seu automóvel. Tenha em atenção que alguns fabricantes recomendam valores diferentes para os pneus dianteiros e traseiros.

Apesar disso, em caso de dúvida, se o carro for um citadino ou urbano (geralmente com pesos abaixo dos 1300 kg), então deverá utilizar sempre uma pressão entre 2.2 e 2.3 BAR,sendo que se circular com pouca carga e poucos passageiros deverá utilizar apenas 2.2 BAR, se circular frequentemente com 4 ou 5 passageiros e alguma carga, deverá circular com uma pressão mais alta, 2.3 BAR.

Caso o veículo em questão seja um sedan, um monovolume ou até um SUV, esses valores aumentam para 2.3 e 2.5 BAR, consoante o automóvel esteja mais ou menos carregado.

Calibrar e encher pneus

Como verificar a pressão dos pneus?

Verificar a pressão dos pneus é um ato fácil e pode ser feito em qualquer posto de combustível. A maior parte das pessoas sabe encher um pneu, usando a bomba de ar presente nesses mesmos estabelecimentos. No entanto, a maior parte não sabe que através dessa mesma bomba, consegue verificar a pressão dos pneus.

Para facilitar a vida aos leitores, decidimos efetuar um pequeno guia sobre como verificar a pressão dos pneus:

  • A medição deve ser feita com os pneus frios. Ou seja, sem que os mesmos tenham circulado, recentemente, mais do que três quilómetros;
  • Caso o faça com os pneus quentes, considere que os mesmos apresentarão cerca de 0.3 BAR a mais. Portanto, se tiver de esvaziar ou encher os pneus, tenha esse valor em conta;
  • Chegando ao local, insira a ponta do manómetro na válvula do pneu;
  • O manómetro vai mostra um valor que corresponde à pressão interna em BAR;
  • Não se preocupe com o sibilo que ouve. É apenas o ar a sair do pneu. A não ser que mantenha o manómetro premido contra a válvula durante muito tempo, não se preocupe, que a quantidade de ar que sai durante aqueles um/dois segundos não é suficiente para ter qualquer relevância;
  • Compare a pressão medida com a pressão recomendada;
  • Se a pressão estiver acima do recomendado, deixe sair ar até que elas coincidam. Se estiver abaixo, adicione ar até atingir o valor correto;
  • Caso suspeite que vai ficar com o carro parado muito tempo, encha cerca de 0.2 BAR acima do indicado.

Agora que sabe a importância de calibrar os pneus, assim como a sua importância, não tem mais desculpas para se esquecer de o fazer. Afinal, não só poupa na carteira, ajuda o ambiente, como também aumenta a segurança rodoviária.

Veja também