Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Pedro Andrade
Pedro Andrade
25 Set, 2017 - 10:51

Cancro do esófago: fatores de risco, sintomas e tratamento

Pedro Andrade

O cancro do esófago tem tido cada vez mais prevalência no mundo ocidental. Saiba quais os sintomas e formas de tratamento.

Cancro do esófago: fatores de risco, sintomas e tratamento

O diagnóstico de qualquer tipo de doença nunca é fácil. Uma rede de apoio forte e de confiança é essencial para ajudar a ultrapassar as alturas mais conturbadas e para arrancar sorrisos, mesmo nos dias mais difíceis. O cancro do esófago, segundo os estudos que têm sido feitos, é 8º com maior taxa de incidência a nível mundial, com países como a China, Índia ou Japão a apresentarem o maior número de casos.

Cancro do esófago: o que precisa de saber

Tipos de cancro do esófago

Existem dois tipos de cancro de esófago que são tratados da mesma maneira:

a) Escamoso: a origem deste subtipo de cancro do esófago acontece no epitélio estratificado, sendo a doença mais comum no tórax e na cervical. Também pode ser chamado de epidermóide, espinocelular, pavimento-celular ou carcinoma pavimentoso.

b) Adenocarcinoma: surge no epitélio da parte abdominal do esófago, perto do estômago.

Quais os factores de risco do cancro do esófago?

Os especialistas falam em diversos fatores. Os mais comuns são o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Quem bebe mais de três bebidas alcoólicas por dia tem uma maior probabilidade de desenvolver cancro do esófago. Se a esta equação juntar o tabaco, o risco aumenta consideravelmente.

Quem sofre de refluxo gástrico também pode desenvolver cancro do esófago, já que o líquido ácido pode provocar danos no tecido do esófago. Nestes casos, o mais comum é o Adenocarcinoma.

Os especialistas referem, ainda, que a idade pode ter um papel preponderante no desenvolvimento do cancro do esófago, já que é mais comum a partir dos 60/70 anos de idade.

De acordo com os últimos dados, o homens têm mais probabilidades de desenvolver cancro do esófago: o risco aumenta três vezes quando comparado com as mulheres.

placeholder-1x1

Quais os sintomas do cancro do esófago?

Ainda que seja difícil detetar este tipo de cancro na fase inicial, já que os sintomas apresentados podem ser semelhantes a outras doenças, esteja atento aos seguintes fatores:

  • Dificuldade ao engolir;
  • Dor torácica;
  • Náuseas constantes;
  • Perda de apetite;
  • Tosse ou rouquidão prolongada;
  • Perda de peso.

Deteção

Como os sintomas do cancro do esófago são muito semelhantes a outro tipo de doenças, a deteção precoce é bastante difícil. Apenas com uma endoscopia digestiva alta é possível fazer o despiste.

placeholder-1x1

Formas de tratamento

O tipo de tratamento a ser aplicado depende do resultado dos exames e do estado de avanço do cancro do esófago. Esta patologia pode ser classificada em cinco formas:

  • Estádio 0: o cancro está apenas circunscrito ao esófago;
  • Estádio I: o cancro já atingiu a submucosa;
  • Estádio II: nestes casos, o cancro pode ter chegado à camada muscular e ter invadido os gânglios linfáticos, pode ter chegado à camada serosa do esófago ou pode, até, ter invadido um ou dois gânglios da submucosa;
  • Estádio III: pode ter chegado a três ou mais gânglios e à traqueia, aorta ou coluna;
  • Estádio IV: o cancro do esófago já se espalhou aos órgãos vizinhos, como pode ser o caso do fígado.

Tendo em conta a fase de desenvolvimento do cancro do esófago, os médicos optam por cirurgia, radioterapia ou quimioterapia (pode ser feitas várias combinações de tratamento, dependendo das necessidades do paciente).

Qual a taxa de sobrevivência?

Infelizmente, a taxa de sobrevivência continua a ser baixa e não tem mostrado sinais de aumento nos últimos anos porque o cancro do esófago continua a ser bastante silencioso, o que dificulta o tratamento precoce e eficaz.

Veja também: