Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Patrick Antunes
Patrick Antunes
27 Set, 2018 - 15:39

Carregar o telemóvel até aos 100%: sim ou não?

Patrick Antunes

Será que pode destruir a bateria por carregá-la vezes a mais, ou por muito tempo? Descubra se deve ou não carregar o telemóvel até aos 100%.

Carregar o telemóvel até aos 100%: sim ou não?

As baterias são realmente um tema entediante para uma conversa de café, até que o seu telemóvel, tablet ou computador portátil começa a mostrar sinais de “bateria viciada”. Aí é que tudo se torna um problema e tentamos perceber porque é que isso acontece. Deve ou não carregar o telemóvel até aos 100%? É o que vamos descobrir.

Quando esses sinais surgem, vivemos com o medo constante de ficar sem bateria do nada. A vida útil de uma bateria é de cerca de 3 a 5 anos. Mas existem algumas formas de aumentar essa esperança de vida.

Alguns fabricantes prometem cerca de 300 a 500 ciclos. A Apple diz que as baterias dos seus portáteis atingem os 80% da capacidade original ao fim de 1000 carregamentos. A partir desse momento, as baterias perdem a capacidade de armazenar energia suficiente para manter o seu dispositivo ligado por muito tempo.

Carregar o telemóvel até aos 100% será uma boa opção?

carregar o telemóvel até aos 100%

Quando deve carregar o seu telemóvel?

A regra para as baterias Li-ion é conseguir manter a sua energia a 50% ou mais. Quando desce dos 50% deve carregá-las um pouco, se conseguir. Já diz o ditado “grão a grão, enche a bateria o papo”. O melhor a fazer é mesmo carregá-la um pouco de cada vez. Mas não a carregue até aos 100%. 

Não vai ser fatal para a sua bateria porque, às vezes, somos forçados a fazê-lo, mas vai diminuir a esperança de vida do seu telemóvel. Por esse motivo, o melhor é deixar a energia entre 40 a 80%.

Devo carregar até aos 100%?

Os fabricantes recomendam carregar a bateria dos 0 aos 100% uma vez por mês. Este processo calibra a bateria, um pouco como se estivesse a reiniciar o seu computador, ou a ir de férias. Mas não deve ser feito todos os dias.

Quase todos os smartphones atuais são suficientemente inteligentes para parar de carregar quando estão com a carga cheia, por isso não há grande risco em deixar o telemóvel ligado à tomada a noite toda.

Mas se tiver uma capa no telemóvel, os fabricantes recomendam que a tire durante o processo. A capa pode sobreaquecer a bateria e causar outros danos que vão tornar a “bateria viciada” o menor dos seus problemas.

Fast Charging ou não?

Muitos smartphone Android vêm com uma funcionalidade chamada Qualcomm Quick Charge, ou no caso da Samsung, Adaptive Fast Charging. Estes telemóveis têm uma código especial localizado num chip (PMIC) que “comunica” com o carregador que está a utilizar e requisita que envie mais energia a uma voltagem superior. Isto pode deteriorar a sua bateria a longo-prazo porque está em constante sobreaquecimento por causa da voltagem acima do pretendido.

O iPhone 6 não tem essa funcionalidade de carregamento rápido, mas mesmo que use um carregador com uma maior voltagem, o PMIC do iPhone é inteligente o suficiente para cortar a voltagem a mais e assim evitar o sobreaquecimento e a possível deterioração da bateria.

Para todos os efeitos, utilize sempre o carregador que vem com o seu smartphone ou outro, desde que aprovado pelo fabricante.

A resposta, então, é: carregue até 100% uma vez por mês e nunca deixe o telemóvel descer dos 20%. Se possível, mantenha a carga da bateria acima dos 50% a todo o momento – é o número mágico.

Veja também