Ekonomista
Ekonomista
10 Out, 2019 - 20:00
Dos smartphones para as quatro rodas: conheça o novo carro Xiaomi

Dos smartphones para as quatro rodas: conheça o novo carro Xiaomi

Ekonomista

Saiba como será o novo carro Xiaomi. Conheça a história da marca chinesa de produtos eletrónicos e o seu interesse em apostar de raiz no ramo automóvel.

O artigo continua após o anúncio

A Xiaomi é uma empresa chinesa que se dedica maioritariamente no desenvolvimento de produtos eletrónicos. Sobretudo conhecida pelos seus smartphones de média/alta gama, esta prepara-se para embarcar numa nova aventura de mercado com a promessa e mostrar ao mundo que a marca tecnológica sente-se preparada para competir num mercado bastante competitivo como é o automóvel.

Com uma vasta panóplia de outros produtos eletrónicos, a marca decidiu dar um passo maior e investir em veículos de estrada. Esta promete seguir os mesmos passos lógicos que aplicados no segmento tecnológico, com a apresentação de soluções inovadoras com uma estratégia singular na apresentação de produtos com valores mais competitivos.

Lógico é também afirmar que a Xiaomi não se pode comprometer em demasia em desenvolver um automóvel de raiz e, por isso mesmo, decidira basear-se no modelo Bestune T77 – um SUV compacto produzido pelo fabricante de automóveis chinês Bestune FAW Group.

Ao mesmo tempo, a popularidade da marca pode ser uma estratégia em potenciar os seus novos clientes a adquirir este modelo, assim como um preço competitivo cuja marca já nos habituou com outros produtos vinculados no departamento tecnológica.

Perceba tudo sobre a lógica por detrás de uma empresa que conquistou o mercado através dos seus smartphones e conheça as suas motivações atuais sobre o desenvolvimento do novo carro Xiaomi e quais as suas principais características que a marca chinesa pretende trazer à realidade, por um valor abaixo dos 12.000 €.

Conheça o Bestune T77: o novo carro Xiaomi

Bestune B77
Fonte: Xiaomi/Divulgação  

História da Xiaomi

Fundada e dirigida por Lei Jun, a Xiaomi tem sede em Pequim – na China – e é a 3ª maior distribuidora de smartphones do mundo. A empresa concebe, desenvolve e vende telemóveis, aplicações móveis e aparelhos eletrónicos.

A empresa conta com mais de 5 000 funcionários, distribuídos principalmente na China, Malásia e Singapura. Atualmente encontra-se em expansão mundial, começando a integrar os mercados da Índia, Indonésia e Filipinas.

Com o lançamento do seu primeiro smartphone, em 2011, a Xiaomi conquistou mercado na China continental e começou a desenvolver uma maior e vasta gama de produtos eletrónicos.

O artigo continua após o anúncio

O seu fundador e diretor executivo foi considerado a 6ª pessoa mais rica da China, pela revista Forbes.

De acordo com um estudo da International Data Corporation (IDC), a Xiaomi é também considerada a 3ª maior fabricante de smartphones do mundo, seguida pela Lenovo e a LG (em 4º e 5º lugar, respetivamente). Neste ranking dos maiores fabricantes de telemóveis inteligentes, reinam a Samsung em 1º lugar e a Apple Inc. em 2º.

Em 2014, a empresa tornou-se uma a empresa recém-lançada de tecnologia com mais valor do mundo, após ter recebido um financiamento de 4,1 biliões de dólares, por parte de investidores, que lhe acrescentaram valor e algum prestígio à mistura. A contratação do mérito do designer francês Philippe Starck, foi um plus.

Em 2017, a marca conquistou o 5º lugar no ranking BrandZ como a 5ª marca chinesa com maior presença global, ficando no Top 5 com as marcas Lenovo, Huawei, Alibaba e Elex Tech.

Novo carro Xiaomi

Xiaomi B77
Fonte: Xiaomi/Divulgação  

Com o intuito de continuar na vanguarda e surpreender continuamente os seus utilizadores, a Xiaomi estabeleceu então uma parceria com uma construtora automóvel, com vista a desenvolver aquele que será o primeiro automóvel da marca.

A empresa que já compete ao nível dos smartphones, computadores, scooters, dispositivos de casas inteligentes, pulseiras inteligentes, entre muitos outros produtos tecnológicos, aliou-se à fabricante de automóveis chinesa – Bestune – para iniciar a produção de um SUV que chegará em breve ao mercado.

Preparada para entrar no mundo automóvel, a Xiaomi pretende que a Bestune consiga adaptar o modelo para a realidade da Xiaomi. O automóvel será apresentado sobre a custódia da sua sub-marca – Redmi.

Assim sendo, crê-se que o novo carro Xiaomi seja uma nova versão do SUV Bestune T77, apresentado já no ano passado no Salão Automóvel de Pequim.

O artigo continua após o anúncio

Não foram ainda avançados detalhes do mesmo. Nada se sabe quanto ao design que irá apresentar nem quais as mudanças que possivelmente irão ocorrer sobre o modelo original, mas há quem acredite que o novo carro Xiaomi contará igualmente com a interface MIUI (Mobile Internet UI), bem como as próprias aplicações da marca e a assistente virtual Xiao AI.

Este SUV será personalizado de forma a aproximar os utilizadores da marca e da forma que esta se faz representar nos seus mais variados mercados.

Bestune B77
Fonte: Xiaomi/Divulgação  

O Bestune apresenta-se como um SUV com uma arquitetura compacta, composto por uma motorização 1,2 litros recorrendo a uma caixa  velocidades de 6 mudanças. O novo carro Xiaomi poderá encarnar com as mesmas dimensões: 4 525 x 1 845 x 1 615 mm.

Sobre as motorizações, podemos precocemente assumir que obterá o mesmo do Bestune T77, com 143 cv de potência máxima.

Não se sabe ainda se o novo carro Xiaomi será comercializado na Europa ou na América, mas acredita-se que pode não sair do mercado chinês.

Surpreendente relevante será igualmente o valor comercial. Foi avançado que o preço do primeiro veículo da Xiaomi andará à ronda dos 11 900 €, pois este é o valor que o atual Bestune pratica.

Este SUV promete trazer competitividade ao ramo automóvel, resta confirmar se as características avançadas serão parte dele, mas podemos adivinhar que trará consigo tecnologia surpreendente.

A empresa chinesa quer aplicar no novo carro Xiaomi aquela que considera ser a sua fórmula padrão: qualidade, design agradável e preços competitivos.

O artigo continua após o anúncio

Concorrência

A Xiaomi não foi a primeira nem a única fabricante tecnológica a apostar no mercado automóvel. De fato, a própria gigante Samsung tem também a sua marca de carros desde 1994, focando-se essencialmente no mercado da Coreia do Sul, pelo nome de Samsung Motors.

No ano 2000, a Samsung começou a contar com a parceria da fabricante Renault, o que deu origem à empresa Renault Samsung Motors , também conhecida por RSM.

A fabricante de automóveis sul-coreana RSM comercializa também modelos elétricos e crossovers – uma modalidade crescente especialmente no mercado chines no desenvolvimento e apresentação de modelos 100% elétricos.

Tendo em conta que a Xiaomi vende uma ampla variedade de produtos e que, na sua esmagadora maioria, não chegam fisicamente ao mercado português nem ao mercado europeu, crê-se que o novo carro da marca possa não sair do mercado asiático.

Desta forma, não se pode (ainda) assumir que o novo carro Xiaomi veja a luz do dia na Europa ou na América, mas que o seu preço é altamente competitivo, isso a marca chinesa toma por garantido.

A Xiaomi ultrapassou todas as expectativas dos investidores ao ingressar no mercado automóvel. A mesma apostara sempre em produtos eletrónicos mas também tivera passada pelo ramo têxtil.

Porém, o mercado automóvel foi um passo inesperado para todos os seguidores da marca. Assim sendo, resta apenas aguardar por novidades divulgadas por fontes oficiais da marca sobre o novo Xiaomi e quais as suas perspectivas futuras.

Veja também