Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
André Freitas
André Freitas
30 Out, 2020 - 20:08

O futuro passa pelos carros movidos a energia solar?

André Freitas

O mercado automóvel está em constante procura de novas fontes de energia para impulsionar os carros. Será a energia solar uma fonte rentável?

carros ligados

A crescente preocupação com o meio ambiente e a escassez das matérias primas utilizadas na produção de combustível para os automóveis, impulsionou a procura de novas fontes de energia. Devido a este fator, o mercado automóvel tem-se encontrado numa constante transformação.

Os carros elétricos são já uma realidade e começam, de uma forma significativa, a ganhar quota de mercado. E nem é preciso incluir os híbridos. Os carros 100% elétricos começam a ter cada vez mais adeptos em todo o mundo, e Portugal não é exceção.

Algumas marcas, embora tenham vindo a desenvolver automóveis elétricos, apostam que o futuro serão os automóveis movidos a hidrogénio.

O hidrogénio apresenta diversas vantagens sobre a eletricidade, mas é uma tecnologia que necessita de um maior e mais aprofundado desenvolvimento.

Existem, no entanto, e embora em menor número, outras opções. Um delas, e que utiliza a energia disponibilizada de forma gratuita, infinita e em qualquer lugar, é a energia solar.

Estes carros movidos a energia solar não deixam de ser automóveis elétricos. No entanto, a sua fonte de alimentação, ou uma das fontes, pelo menos, é o sol.

Carros movidos a energia solar

carros inteligentes

São já alguns os protótipos de carros movidos a energia solar desenvolvidos pelos fabricantes automóveis.

Os fabricantes têm que acompanhar as tendências de mercado e as preferências dos consumidores, pelo que a aposta neste tipo de veículos tem sido cada vez maior.

Embora os modelos com este tipo de tecnologia demorem algum tempo até chegarem ao mercado, é de destacar o esforço que tem sido feito no desenvolvimento da mesma.

1. Como funcionam os carros movidos a energia solar

Os carros movidos a energia solar funcionam através da colocação de células fotovoltaicas na estrutura do automóvel, sendo que estas conseguem armazenar a energia emitida pelo sol.

Essa energia é depois armazenada em baterias.

Alguns automóveis utilizam a energia solar como complemento à energia elétrica fornecida em carregamentos através de uma tomada, método de carregamento dos 100% elétricos ou híbridos plug-in.

2. Onde podem ser colocados as células fotovoltaicas 

Estas células fotovoltaicas podem ser instaladas no tejadilho, capot e/ou nas laterais do automóvel.

Ao colocar estes conjuntos de células nas laterais, garante-se uma mais alargada captação de luz e energia.

3. Vantagens dos carros movidos a energia solar

As vantagens deste tipo de veículo são várias.

As mais óbvias, e que estão no cerne do seu desenvolvimento são a proteção do meio ambiente e a procura por outras fontes de energia que não fósseis, limitadas e altamente poluentes.

Mas, é ainda de destacar o facto de que a energia solar ser gratuita, estar disponível em qualquer local do planeta e não ter fim.

Comparativamente aos combustíveis fósseis, utilizar energia solar acaba por ser muito mais barato. Aliás, este tipo de energia não tem custo algum.

Desvantagens dos carros movidos a energia solar

Este tipo de veículos ainda se encontram em fase de desenvolvimento.

Nesta fase, é impossível, ainda, prever os custos associados a estes veículos, nomeadamente custos de aquisição e manutenção.

O desenvolvimento de componentes mais leves que impliquem um menor consumo energético é também essencial.

E não podemos esquecer que estes carros têm também que ter um aspeto apelativo e uma autonomia alargada, ou não serão bem recebidos no mercado.

Exemplos de protótipos ou carros já existentes

toyota mirai

Toyota Prius plug-in

Talvez nunca tenha reparado, mas o Prius plug-in possui, no tejadilho, um painel solar que recarrega a bateria e que permite, dependendo das condições climatéricas, até mais 5 km de autonomia elétrica, diária.

Este painel solar recolhe energia solar gera eletricidade e carrega a bateria do sistema híbrido, tornando o Prius plug-in num veículo autocarregável.

Quando o veículo está parado, o tejadilho solar carrega uma bateria solar intermédia que, quando totalmente carregada, fornece energia à bateria híbrida principal.

Quando o veículo está em circulação, o sistema implementado no tejadilho carrega a bateria auxiliar de 12 volts, colmatando as necessidades de energia de sistemas auxiliares (por exemplo, ar condicionado), permitindo a redução do consumo de energia da bateria híbrida principal.

Este sistema permite, assim, uma maior eficiência do sistema híbrido do automóvel. 

Este veículo possui ainda um Modo de Carga de Bateria em que o motor a gasolina gera eletricidade e carrega a bateria quando o veículo está a trabalhar em modo híbrido.

Lightyear One

A empresa Lightyear, sediada na Holanda, apresentou, em maio de 2019, o seu projeto de carro (Lightyear One) movido exclusivamente a energia solar.

Passamos assim de um híbrido para um 100% elétrico, com a possibilidade da eletricidade ser gerada através de energia solar.

Teremos que aguardar até 2021 para que este automóvel chegue ao mercado ou é, pelo menos, esta a previsão.

No entanto, o projeto é promissor: uma autonomia de 575 km, sendo que este automóvel terá a capacidade de acumular, por hora, energia suficiente para percorrer 12 km.

O Lightyear One terá células fotovoltaicas no tejadilho e capô.

O carregamento poderá também ser assegurado através de uma ligação a uma tomada, já que não é possível garantir que as condições atmosféricas permitam o carregamento do automóvel e que a sua autonomia com esta fonte de alimentação seja suficiente.

Este veículo terá também quatro motores elétricos independentes, um para cada roda.

Promete um carregamento rápido de cerca de 507 km/h e uma aceleração dos 0 aos 100 em 10 segundos.

O preço? Cerca de 150.000€.

Um valor bastante elevado, mas que compensará se o veículo for sempre utilizado consumindo apenas energia solar e o valor da manutenção não seja elevado.

Veja também