Catarina Milheiro
Catarina Milheiro
21 Fev, 2018 - 15:00

Carta de recomendação: tudo o que deve saber

Catarina Milheiro

Se necessita de uma carta de recomendação de uma entidade patronal anterior, ou de alguém a quem prestou serviço, saiba como deve proceder.

pessoa a escrever uma carta de recomendação

Uma carta de recomendação bem redigida e devidamente estruturada pode constituir um fator muito importante na aquisição de um bom posto de trabalho.

Efetivamente, trata-se de um documento que pode abrir muitas portas a novas oportunidades promissoras na sua carreira. Saiba, pois, do que se trata e como pode proceder para conseguir uma.

Para tal, leia a informação que apresentamos de seguida relativamente a este assunto.

CARTA DE RECOMENDAÇÃO: TUDO O QUE PRECISA DE SABER

O que é uma carta de recomendação?

Uma carta de recomendação é um documento escrito e emitido por quem trabalhou diretamente consigo, ou seja, uma entidade patronal ou outra a quem já prestou um determinado serviço.

Trata-se de um documento no qual estão descritas todas as suas competências e características, através do qual o ex-empregador demonstra o quão ficou satisfeito com a sua prestação.

Em alguns casos, a carta de recomendação pode ser mais detalhada e abordar projetos específicos onde o ex-colaborador teve a oportunidade de atuar e trazer resultados quer para a empresa, como para o profissional.

Portanto, é um documento que para além de descrever todas as suas capacidades técnicas e o seu perfil enquanto profissional, acaba também por funcionar como algo credível e confiável para a entidade que pretender contratá-lo.

jovem a ler uma carta de recomendação

Para que serve esta carta?

A verdade é que o mercado de trabalho está em constante mudança. Com o aumento de profissionais nas mais diversas áreas de trabalho, as empresas têm vindo a receber cada vez mais currículos e candidatos interessados e disponíveis para abraçar novos desafios.

O que acontece em algumas empresas é o facto de quererem avaliar as informações que foram disponibilizadas ao longo do processo de recrutamento. Falamos da validação de informações no CV e de conseguirem ainda obter a perceção de profissionais que já trabalharam com o candidato em questão.

Ou seja, a carta de recomendação foi uma das maneiras que as empresas encontraram, para serem o mais assertivo possível quando o assunto é a contratação de novos profissionais. Desta forma, conseguem conhecer ao máximo os seus candidatos antes sequer, de os contratarem.

Como a deve solicitar?

No caso de estar a fazer parte de um processo de seleção e a empresa em questão solicitar uma carta de recomendação, a melhor solução será mesmo contactar ex-colegas de trabalho e pedir uma carta de recomendação sobre o tempo em que trabalharam juntos.

Partindo do princípio de que tem uma boa relação com a pessoa a quem vai pedir a sua carta de recomendação, solicite-a diretamente, falando com a pessoa em causa e explicando o quanto seria importante para si.

Tenha a certeza de que se trata de alguém que sabe avaliar o seu trabalho de forma eficiente e de forma justa, pois só dessa forma a carta de recomendação será uma mais-valia.

Como deve ser redigida?

Antes de mais, a carta de recomendação deverá ser, como qualquer documento, bem escrita, através do uso de uma linguagem cuidada e respeitando as regras da língua de forma primorosa. Veja, de seguida, um exemplo de uma carta de recomendação:

“Ex.mos Senhores,

Venho por este meio comunicar o meu apreço pelas qualidades profissionais de… (colocar o nome da pessoa que se recomenda). Nos últimos tempos, tive a oportunidade de testemunhar o trabalho desenvolvido pela…. (colocar o nome da pessoa que se recomenda) enquanto desempenhava funções como… (especificar as funções).

Durante este período de tempo, pude constatar o seu empenho, dedicação, competência e esforço em todas as tarefas que tinha a seu cargo. Devo ainda destacar o facto de que foi sempre uma pessoa cumpridora de todos os prazos estabelecidos, mostrando também uma enorme motivação e disponibilidade.

Desta forma, estou certo de que será uma excelente aquisição para qualquer empresa ou entidade patronal.

Melhores cumprimentos,
(assinar)”

FORMAS ATUAIS DE UMA CARTA DE RECOMENDAÇÃO

Como sabemos, existem inúmeros exemplos de cartas de recomendação espalhadas pela internet, sendo que umas nos parecem mais credíveis do que outras.

É importante que compreenda que existem também diversos modelos de cartas de recomendação dependendo do seu objetivo, isto é, da vaga à qual se candidata. Por exemplo:

  • Carta de recomendação genérica;
  • Recomendação de um colega com que já trabalhou;
  • Carta de recomendação de um supervisor ou gestor de equipa;
  • Carta de recomendação académica.

Como pode ver, existem diversos tipos de cartas de recomendação, as quais devem corresponder a critérios um pouco diferentes umas das outras.

Atualmente, para além da convencional carta de recomendação, as recomendações e referências no Linkedin têm também um papel fundamental no processo de recrutamento.

Qual é a importância das recomendações e referências no Linkedin?

De um modo geral, estas recomendações e referências no Linkedin funcionam como um acelerador de confiança. Ou seja, nos dias de hoje este é provavelmente um dos métodos mais eficientes para as empresas e profissionais no mercado de trabalho.

Se até há uns anos as empresas tinham a necessidade de contactar as organizações em que os candidatos já trabalharam, hoje em dia o cenário está um pouco diferente. No momento em que têm de contratar novos profissionais, as empresas valorizam bastante as referências e recomendações no perfil do candidato.

Por isso, se está à procura de emprego é essencial que se mantenha ativo na sua rede profissional e que peça a ex-colegas ou ex-professores da universidade algumas recomendações no Linkedin. Este tipo de aspeto, pode fazer toda a diferença no momento em que estiver a concorrer com outros profissionais.

O Linkedin atualmente é uma das principais ferramentas para uso profissional e é de extrema importância que tenha um perfil potencializado – não só para a utilização na procura de oportunidades, como também para um aumento da sua visibilidade enquanto profissional.

Veja também