Márcio Matos
Márcio Matos
22 Nov, 2021 - 10:32

Casa de Mateus: visita imperdível a um espaço inesquecível

Márcio Matos

A Casa de Mateus é considerada o Centro de Cultura no Norte do País. Saiba o que pode encontrar neste espaço e agende já a sua visita.

casa de mateus

Se está por Vila Real ou vai até lá, não hesite em programar uma visita à Fundação Casa de Mateus, além das muitas atividades, programas, provas de vinho, cursos e eventos culturais promovidos por esta entidade, visitar este espaço é um verdadeiro deleite para todos os que gostam de viajar no tempo e contemplar a beleza da arquitetura, da arte e, até, da Natureza que estes locais sempre guardam.

De arquitetura barroca de gosto italiano, que terá contado com o contributo de Nicolau Nasoni, a Casa de Mateus denuncia este estilo sobretudo na sua fachada principal e decoração rica. Para ficar a saber mais, deixamos-lhe um pequeno “aperitivo” de tudo o que pode encontrar na belíssima Casa de Mateus.

Casa de Mateus e respetiva Capela: o que não pode perder

Na Casa de Mateus, pode ficar a conhecer várias exposições permanentes, compostas por um conjunto patrimonial e artístico ligado não só à história da família que aqui habitou, como à própria Casa.

O andar nobre funciona assim como uma espécie de museu, onde pode contactar com os mais diversos objetos de interesse.

casa de mateus

Salão de Entrada

Este é um salão ao gosto dos das casas nobres dos séculos XVII e XVIII. No seu teto, são exibidas as armas do construtor da Casa, António José Botelho Mourão . Mais tarde, Francisco de Albuquerque ordenou a realização de outros brasões que representam os ramos Botelho, Melo e Albuquerque.

Salas de Mateus d’Allém

No lado poente da mesma ala, encontram-se 4 quartos da responsabilidade do 3º Conde de Vila Real.

O último quarto preserva o seu teto original, enquanto o segundo conserva um leito de cabeceira recortada e entalhada com um feixe de plumas no remate, datado do período de D. José I. Por outro lado, o primeiro quarto possui um leito de gosto neoclássico, reto e com ornamentos mais sóbrios.

Sala do Tijolo

Nesta sala, destacam-se os retratos de D. João V e de D. Maria Ana de Áustria, assim como as alegorias às 4 estações, datadas do século XVII. Além disso, existe nesta sala um conjunto de contadores em vinhático, sissó e pau-santo, em “estilo português”.

Sala da Loiça Azul

Aqui, funcionava um escritório. A decoração atual conta com os retratos a óleo de toda a família, além de gravuras, aguarelas e fotografias da época.

Existe ainda um piano de mesa dos finais do século XIX, um contador japonês lacado e um armário-copeiro de produção nacional, onde é possível admirar um serviço de mesa em porcelana chinesa.

Sala de Jantar

Por vezes, esta sala ainda é utilizada. Aqui, encontra um grande armário em vinhático e pau-santo maciço, onde estão expostas peças de uma baixela de prata, datada dos séculos XVIII e XIX.

Além disso, na divisão, é ainda exibido um aparelho em porcelana chinesa, um serviço de vidros e de chá e um faqueiro em prata.

A decoração do espaço é composta por pinturas de natureza morta, da autoria dos pintores de Amberes.

Sala Rica

Esta Sala de Visitas requintada e exuberante possui um conjunto de móveis de importação e quadros decorativos e alegóricos da autoria de Pierre Mignard. De realçar o painel em madeira de teca com decoração de placas de tartaruga e madrepérola.

Existem ainda contadores, cofres, tabuleiros de jogo, escritórios e tampos de mesa revestidos com embutidos de madrepérola e tartaruga. De destacar o armário-oratório português, decorado com pintura acharoada de vermelho e motivos dourados.

Sala de Arte Sacra e Sala dos Paramentos

Aqui, encontra-se o acervo das obras de arte sacra, datado dos séculos XVII e XVIII, o qual servia o serviço da liturgia e do culto da Capela de Nossa Senhora dos Prazeres. Entre os objetos a destacar, estão os relicários de prata, provenientes de Roma.

No campo da escultura, são muitas as esculturas da Virgem Maria que podem ser admiradas, merecendo realce as imagens de Nossa Senhora da Conceição, em marfim, de oficina indo-portuguesa; as de Santa Ana ensinando a Virgem a ler; e o Cristo moribundo, cíngalo-português. Existe, ainda, um baixo-relevo da escola de Nuremberga, datado do século XVI e lavrado em mármore.

Na ala seguinte, existe um conjunto de paramentos e de alfaias, como um paramento de pontifical, um jogo de sacras, uma custódia proveniente de Roma, três escapulários da Ordem Carmelita Descalça.

Capela da Casa de Mateus

A construção da atual Capela foi iniciada por António José Botelho Mourão, mas só foi inaugurada pelo seu filho, D. Luís António, em 1759. Ela carateriza-se pela sua monumentalidade e grande coleção de relíquias

A fachada da Capela encontra-se paralela à fachada da Casa. O seu traçado revela uma infuência nasoniana, sentida pelo seu autor, o Mestre José Álvares do Rego.

Neste espaço, encontram-se sepultados: D. Luís António, D. José Maria, o 3º Conde de Vila Real; D. José Luís; e D. Francisco, 6º Conde de Vila Real, 5º Conde de Melo e 3º Conde de Mangualde.

Jardins da Casa de Mateus

Os jardins constituem outro local de interesse da Casa de Mateus. Ao longo do tempo, foram vários os projetos que alteraram esta zona exterior da Casa, sendo um dos mais recentes o que remonta às decadas de 50 e 60, da autoria de Gonçalo Ribeiro Teles.

Além do encanto proporcionado pelas áreas verdes e ajardinadas, vale a pena espreitar o lago, a escultura de João Cutileiro que lá repousa e a fantástica mata de castanheiros e de carvalhos.

Programas de vindimas em Portugal
Veja também Programas de vindimas: quatro quintas para visitar e pisar uva

Como visitar a Casa de Mateus?

Há vários tipos de visita que pode fazer à Casa de Mateus, desde visitas guiadas a visitas livres, sem esquecer as temáticas. Pode ficar a conhecer apenas os jardins ou visitar todo o espaço e até fazer provas gastronómicas.

Os preços divergem em função do tipo de visita e da idade do visitante.

Para mais informações e para agendar a sua visita, clique aqui.

Veja também