Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
12 Out, 2020 - 14:18

3 dias pela Nacional 103: uma roadtrip para descobrir o Norte

Mónica Carvalho

As viagens de carro estão na moda: permitem viajar ao seu ritmo, sem multidões e com toda a segurança que os tempos exigem. Conheça a Nacional 103.

Mapa da Estrada Nacional 103

Bragança e Neiva, em Viana do Castelo, são ligadas pela Nacional 103, uma travessia que permite conhecer a zona Norte de Portugal a fundo.

Esta rodovia liga o interior trasmontano ao litoral minhoto e apresenta um grande potencial turístico, visto que é um trajeto marcado por impressionantes paisagens, monumentos culturais e históricos, barragens e típicas aldeias. Tudo isto nos transporta para uma espécie de realidade alternativa. Um tempo onde a pandemia parece ter feito pausa e nos permite viajar de forma mais tranquila, segura, ao seu próprio ritmo.

A Nacional 103 é, assim, uma linha com curvas e contracurvas que percorre 260 quilómetros e cheia de pontos de interesse:

  • Atravessa os concelhos de Miranda do Douro, Vimioso, Bragança, Vinhais, Valpaços, Chaves, Boticas, Montalegre, Vieira do Minho, Póvoa de Lanhoso, Vila Verde, Braga, Barcelos, Esposende e Viana do Castelo;
  • Permite descobrir várias áreas protegidas: Reserva da Biosfera Transfronteiriça da UNESCO Planalto Ibérico, Parque Natural do Douro Internacional, Parque Natural de Montesinho, Parque Nacional da Peneda Gerês, Parque Natural do Litoral Norte;
  • É uma estrada ladeada por diferentes rios: Douro, Angueira, Sabor, Baceiro, Tuela, Rabaçal, Tâmega, Beça, Rabagão, Cávado, Neiva;
  • Atravessa diferentes serras: Montesinho, Padrela, Larouco, Gerês

Dia 1: Rio de Onor, Bragança, Vinhais

Rio de Onor no ínicio da Estrada Nacional 103
Aldeia de Rio de Onor, perto de Bragança

Começamos, então, esta viagem pelo fim da Nacional 103, mais propriamente em Bragança, onde fica o quilómetro 260: Rio de Onor, vencedor, em 2017, das 7 Maravilhas de Portugal na categoria de Aldeias em Áreas Protegidas.

É uma pequena localidade tipicamente transmontana, com casas de xisto escurecido, varandas de madeira e dois andares (o de cima para a família, o de baixo para o gado). É uma das zonas do país com maior biodiversidade, sendo ali que residem a maior parte dos mamíferos silvestres da Europa.

Em Bragança, aproveite para visitar o Castelo e a torre de menagem, onde reza a lenda que uma princesa apaixonada por um mouro foi feita prisioneira. Poderá ainda visitar o Museu do Abade de Baçal e a Igreja da Misericórdia, caminhando tranquilamente pelas muralhas, percorrendo toda a sua extensão e aproveitando para absorver toda a energia que aquele local histórico tem para transmitir.

O Parque Biológico de Vinhais é mais uma aposta ganha neste roteiro bem português, podendo aí desfrutar de belos momentos em família. Vinhais é conhecida pelas atividades ligadas à agricultura, natureza, gastronomia, destacando-se produtos como a castanha e o porco bísaro, que resultam em pratos cheios de sabor. E, claro, o famoso fumeiro, ou não fosse Vinhais conhecida como “Capital do Fumeiro”.

Dia 2: Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho, Montalegre e Boticas

montalegre
Uma das portas de entrada para o fantástico Gerês

O segundo dia de viagem pela Nacional 103 começa pela Póvoa de Lanhoso, mais propriamente no castelo, onde as ruínas vão resistindo e mostram que por aquelas terras ainda há muito vida para viver.

Este local serviu de ponto de abrigo a D. Teresa, mãe de D. Afonso Henriques, quando, após a batalha de S. Mamede, seguia para o exílio na Galiza. Uma das marcas culturais, artísticas e sociais desta região é a filigrana, uma fina e laboriosa forma de trabalhar o ouro e a melhor forma de a conhecer é visitando o Museu do Ouro, no lugar de Aldeia de Baixo, freguesia de Travassos.

O grande destaque em Vieira do Minho é mesmo a sua incrível paisagem, que mais parecem recortes artísticos ou pinturas de uma tela magnânima. Isto faz com que o concelho seja propício para a prática de desportos outdoor, como a prática de BTT, escalada, caminhadas, trekking… Mas é igualmente uma zona muito rica em património cultural, marcado por uma beleza rústica, e pela simpatia e hospitalidade das suas gentes.

No coração do Gerês

Em pleno Parque Nacional da Peneda Gerês, a vila de Montalegre ainda conserva toda a sua imponência histórica, especialmente quando nos referimos ao castelo construído no séc. XIII, que a colocam como ponto estratégico de defesa do território. Outro ponto de interesse a não perder é mesmo a gastronomia, pois Montalegre é famosa pela produção de enchidos e presunto, ao qual o seu apetite não vai resistir.

A Vila de Boticas encerra em si muitas atividades e locais de interesse, da gastronomia à cultura passando pelo património e natureza. Destaca-se o Centro de Artes Nadir Afonso, um edifício de arquitetura contemporânea que se assume como uma verdadeira homenagem ao artista transmontano com raízes maternas em Boticas. Visite também o Museu Rural de Boticas, para compreender melhor a história do local.  

Dia 3: Braga, Barcelos, Neiva

barcelos

O último dia desta roadtrip pela Nacional 103 passa primeiramente por Braga, onde poderá desfrutar da beleza da cidade, da sua riqueza patrimonial, que alia a tradição à inovação, a memória à juventude, a criatividade ao conservadorismo. Claro que deve visitar o ponto considerado como porta-estandarte da região Minhota, o Bom Jesus – a mais antiga Catedral de Portugal.

Nesse sentido, visitar Braga é quase como fazer uma viagem no tempo, onde a cidade antiga e de tradicional religiosidade convive com a modernidade, empreendedorismos e espírito jovem, que se refletem nos momentos de cultura, comércio, gastronomia, indústria e serviços.

Rumamos em direção a Barcelos, local distinguida internacionalmente com o Prémio Europeu de Destino de Turismo Cultural Sustentável 2019, promovido pela European Cultural Tourism Network, na categoria de Contribuições das Indústrias Culturais e Criativas (ICCs), com o tema “Contribuições do artesanato e da arte popular como caminhos para um turismo mais sustentável”.

Por isso, aproveite uma parte deste último dia para descobrir os encantos naturais do território barcelense, que encanta e desafia, quer pela diversidade da paisagem, quer pela singularidade de alguns locais e espaços como os rios, riachos e ribeiras.

Ligação a Santiago

Chegamos ao fim desta jornada – e ao início da Nacional 103: a S. Romão de Neiva, uma pequena aldeia minhota cuja história se encontra muito ligada à presença dos monges beneditinos, até porque o mais importante monumento aqui existente é o Mosteiro, um templo de sólida estrutura granítica com paredes de três metros de espessura.

Neiva é, igualmente, atravessada pelos Caminhos de Santiago, nomeadamente pelos peregrinos que vêm do Sul. O Mosteiro servia também de alojamento e local de tratamento para quem realizava este percurso espiritual.

Veja também