Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Márcio Matos
Márcio Matos
06 Out, 2020 - 16:40

Monsanto: a pequena aldeia histórica onde cabe Portugal

Márcio Matos

A Aldeia de Monsanto ficou para a história como a “aldeia mais portuguesa de Portugal”. Vá conhecê-la e perceba por que é que este é um destino encantador.

Casa de granito em Monsanto

A Aldeia de Monsanto é considerada, desde tempos idos, “a aldeia mais portuguesa de Portugal”. Situada na Beira Baixa, fica a 25 quilómetros de Idanha-a-Nova e é servida pelas Estradas Nacionais 239 e 567.

Situa-se nas encostas íngremes de uma colina granítica, onde as as casas se “empurram” entre grandes penedos e há quintais e hortas.

Trata-se de uma aldeia histórica que possui vestígios de presença humana, desde a época do Paleolítico. Bem mais tarde, nos alvores da nacionalidade, a localidade foi doada por D. Afonso Henriques à Ordem dos Templários, após a sua conquista aos mouros em 1165.

O facto de ser um espaço muito bem preservado faz da aldeia de Monsanto um destino apropriado para quem aprecia história e, já agora, sopa de favas e coentros e arroz de coelho, pratos típicos da região.

Monsanto: saiba o que ver e fazer entre penedos e granito

Igreja de Monsanto

Igreja Matriz

Logo à entrada da aldeia, fica a Igreja Matriz, também conhecida por Igreja São Salvador. A sua fachada capta de imediato a atenção, sobretudo pela sua belíssima rosácea.

Tem um portal em arco de volta perfeita, uma moldura com decoração geométrica, encimada por um friso, e a inscrição “San Salvador”, nome do seu padroeiro.

As fachadas laterais possuem vãos manuelinos. Um exemplar arquitetónico com interesse e que enriquece e muito o património da aldeia.

Cruzeiro de São Salvador

Ali bem perto, fica o Cruzeiro de São Salvador, uma coluna octogonal, no topo da qual existe uma cruz de configuração simples. É um local de passagem obrigatória, já que constitui um espaço simbólico da aldeia.

Igreja da Misericórdia

Outra igreja, desta feita a Igreja da Misericórdia que, antes de existir a Igreja Matriz, serviu como igreja paroquial de Monsanto.

Fica no Largo do Pelourinho e também merece uma visita. Neste caso, apresenta marcas do estilo renascentista e é, também, um dos ex-líbris da aldeia.

Rua na aldeia de Monsanto

Torre de Lucano ou Torre do Relógio

Continuando a seguir este roteiro, após a Igreja da Misericórdia, irá passar pela Torre de Lucano ou Torre do Relógio.

Esta é uma antiga torre sineira que exibe uma réplica do Galo de Prata, espécie de símbolo do epíteto conquistado em 1938 por Monsanto, o de “Aldeia mais Portuguesa de Portugal”.

A partir deste local, consegue ter uma vista incrível sobre toda a aldeia de Monsanto.

Miradouro

E, por falar em miradouros, um bom sítio para conseguir captar umas vistas fantástica é num local um pouco acima da esplanada do restaurante Petiscos & Granito.

A partir daí, consegue observar na perfeição a combinação única entre os penedos de granito e as habitações, como um conjunto uno.

Baloiço do Trevim
Não perca Baloiço do Trevim espera por si na Lousã a 1200 metros de altitude

Gruta

Na parte superior da aldeia, existe uma gruta com uma pequena entrada. Trata-se de uma espécie de abrigo na base dos penedos graníticos.

Entrar neste espaço vale a pena, sobretudo para perceber como as rochas se integram na perfeição nas construções desta aldeia que viu sempre na sua geologia um recurso e não um obstáculo.

Penedo do Pé Calvo

Se seguir em direção ao Miradouro do Forno, pode seguir um pequeno trilho de terra batida, através do qual irá encontrar um enorme penedo, o qual é conhecido como Penedo do Pé Calvo.

Este é outro bom local para admirar a paisagem envolvente, havendo até espaço para fazer um piquenique.

Furdas

A caminho do castelo, no topo da aldeia, conservam-se as furdas, as pocilgas que eram usadas antigamente em Monsanto. Apesar de não estarem muito bem preservados, estes espaços refletem a importância do porco como recurso e sustento de uma região, consumidora da sua casa, nomeadamente através dos enchidos.

Castelo de Monsanto

Castelo de Monsanto

O Castelo de Monsanto é de visita obrigatória, mas talvez seja melhor fazer uma refição bem energética, antes de tentar alcançá-lo. Ele está mais afastado do centro da aldeia e a sua subida exige bons pulmões. Em todo o caso, não há melhor miradouro do que aquele, pelo que uma ida até lá é indispensável.

Informações úteis

Onde comer

Além da sopa de favas e coentros e do arroz de coelho, Monsanto reserva, ainda, outras especialidades como bochechas de porco ibérico (medianas) e migas de feijão vermelho.

Se pretender fazer a sua refeição na aldeia, a sugestão vai para a adega típica O Cruzeiro ou para o restaurante Petiscos & Granito.

Como chegar

Se pretende visitar a aldeia histórica de Monsanto, vai mesmo ter de “pegar no carro” e enfrentar cerca de 3 horas de viagem.

Se for de Lisboa, siga pela A1 e A23 e, depois, pelas estradas nacionais N233 e N239 até Monsanto. Se for do Porto, opte pela A1 e A25, seguindo depois para Monsanto via Penamacor.

Veja também