Maria Graça
Maria Graça
14 Fev, 2024 - 15:18

Castro de São Lourenço: passeio por construções milenares

Maria Graça

A riqueza natural de Esposende não deixa ninguém indiferente quando se sobe ao povoado arqueológico do Castro de São Lourenço.

Castro de São Lourenço

O Castro de São Lourenço, em Esposende, representa um povoado fortificado, onde foram encontrados vestígios que recuam ao século IV a.C. 

As escavações arqueológicas feitas na região revelaram a existência de núcleos habitacionais com casas que terão sido construídas desde o século II a.C., e que estão agora a ser recuperadas pela Câmara Municipal de Esposende.

Esta intervenção contempla a reconstrução de cinco habitações, pertencentes a dois núcleos habitacionais, assim como a reconstituição dos telhados das casas castrejas.

Os edifícios foram reconstruidos maioritariamente com a pedra das campanhas de escavação, obedecendo ao desenho dos seus alicerces, recuperados nas intervenções arqueológicas. 

Este povoado, inserido no Monte de São Lourenço e abrangendo as freguesias de Vila Chã e de Esposende e Marinhas e Gandra, é também um local de beleza paisagística, com uma vista única vista para a área envolvente e o oceano Atlântico.

Castro de São Lourenço: passado e presente

O Castro de São Lourenço serve como um importante testemunho do passado castrejo comum à região a norte do Vouga no litoral, e à província de Trás-os-Montes e Beira Alta no interior.

O povoado castrejo surge entre o século VII e VI a.C., iniciando-se entre século V e IV a.C. a construção das primeiras casas em pedra, de forma redonda e que viriam a ser cobertas com palha e outros elementos vegetais.

O número de casas edificadas aumentou no século II a.C., o que levou, na viragem do milénio, a uma grande remodelação e construção de novas habitações. Estas novas construções eram organizadas por núcleos familiares.

Juntamente com as casas redondas, foram igualmente identificadas construções de forma retangular que se acredita estarem ligadas a atividades artesanais e administrativas. Esta alteração pode estar relacionadas com a influência romana no castro e com a adaptação a novas realidades e a novos modos de vida.

O povoado era protegido por um sistema defensivo composto por três linhas de muralhas que rodeavam o lado nascente. Um fosso terá sido construído entre a Idade do Ferro e o período Romano, sofrendo reformulações posteriores.

Durante o trabalho arqueológico, foram encontrados bastantes tesouros, nativos ou romanos. Entre eles, destacam-se os conjuntos de moedas de prata romanas.

Grande parte da riqueza encontrada está hoje exposta no Museu Municipal de Esposende. No rés-do-chão do museu, encontra-se a Sala dos Azulejos, um espaço destinado a exposições temporárias, e no primeiro e segundo andares um espaço dedicado à cultura e ao património locais.

Vista do castro de São Lourenço
Há vários percursos para caminhadas em redor do Castro de São Lourenço

O que fazer?

Na área envolvente ao museu, irá encontrar uma zona de refeições, um uma área florestal e o Centro Interpretativo de São Lourenço, que pode visitar gratuitamente.

O Centro Interpretativo exibe alguns achados arqueológicos, um documentário e um filme infantil sobre o passado do lugar. Constitui também o ponto de partida do percurso pedestre do Castro de São Lourenço, mas antes de dar corda aos sapatos, não deixe de subir até à capela de São Lourenço, cujo miradouro oferece vistas sobre o mar, a foz do Cávado e a planície costeira.

Bem perto do Castro de São Lourenço pode também explorar quatro castros bem conhecidos: o Castro de Neiva, o Castro de Carmona, o Castro de São Roques, e a Citânia de Santa Luzia.

Percurso pedestre do Castro de São Lourenço

Este percurso pedestre tem início no Castro de São Lourenço e tem como objetivo aliar a prática desportiva ao património histórico.

Numa caminha com paisagens únicas, no planalto de Vila Chã, irá descobrir monumentos milenares e heranças deixadas pelo Homem, em tempos anteriores aos castros.

Numa extensão de quase 10 quilómetros, este percurso sinalizado inclui a passagem por matas e florestas de pinheiro-bravo, giestas e urzes, áreas agrícolas e vinhedos, onde coabitam raposas, gatos-bravo, javalis, gaios, águias redondas, lebres e esquilos.

Terminado o passeio, reponha energias energias na natureza e faça um piquenique no parque de merendas.

Veja também

Artigos Relacionados