Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Luís Vicente
Luís Vicente
14 Fev, 2020 - 13:26

As 10 cidades mais baratas da Europa para viajar

Luís Vicente

Para quem gosta de conhecer novos destinos e, acima de tudo, manter o orçamento controlado, apresentamos as 10 cidades mais baratas da Europa.

As cidades baratas para viajar

Os países que não fazem parte da União Europeia, dada o valor baixo da moeda de cada um, formam um excelente conjunto de destinos para quem quer viajar com baixo orçamento e conhecer as cidades mais baratas da Europa.

Além do baixo valor da estadia, restaurantes ou atracções, importa valorizar o que há em cada cidade e por que razão vale a pena visitar.

Assim sendo, em alguns casos, uma viagem somente a um destes destinos será suficiente. No entanto, noutros poderá fazer mais sentido quando integradas numa viagem maior, em estilo interrrail.

A EUROPA LOW COST EM 10 DESTINOS IRRESISTÍVEIS

Belgrado, Sérvia

Aspecto de um vitral em Belgrado

O facto de o Dinar, a moeda sérvia, ter um valor realmente baixo face ao Euro, faz com que Belgrado se apresente como uma das cidades mais baratas da Europa e onde se consegue fazer mais por menos.

Com um valor médio por pessoa muito baixo, é possível usufruir de todas as atracções da cidade, ficar hospedado num hotel acima da média e provar grande parte da gastronomia sérvia.

Belgrado tem uma onda jovem e artística muito presente, com muitas galerias de arte contemporânea e várias cervejeiras tradicionais.

Valor médio por pessoa, por dia: 18 euros

Kiev, Ucrânia

Kiev uma das cidades mais baratas da europa

Não se trata do destino mais turístico – no sentido tradicional – da Europa, mas é sem dúvida uma oportunidade para apreciar a forma de vida do leste europeu.

Sendo Kiev uma das cidades mais importantes ex URSS, a marca soviética naturalmente não desapareceu e é possível ver como a presença no bloco russo moldou a cidade. Pode ainda aproveitar para uma viagem, com os devidos cuidados, a Chernobyl.

Valor médio por pessoa, por dia: 29 euros.

Sofia, Bulgária

Zona histórica de Sofia na Bulgária

Quando se fala em cidades baratas, surge sempre Sofia, uma urbe bastante soalheira e quente, na altura do verão, pelo menos. Vê-se, de grosso modo, num dia, pelo que uma viagem propositadamente à capital búlgara possa não fazer muito sentido.

Contudo, uma passagem para quem está no leste europeu é uma interessante incursão por uma cidade que se faz muito bem a pé.

Valor médio por pessoa, por dia: 48 euros.

Sarajevo, Bósnia & Herzegovina

Ponte em Sarajevo

Uma boa viagem para se fazer com bom tempo, de modo a aproveitar tudo o que a cidade de Sarajevo tem para oferecer, sobretudo ao ar livre. Por isso, no centro histórico da cidade, Baščaršija, há muitos cafés, ruelas e pormenores de arquitectura interessantes e que pedem um olhar atento.

A cidade, fundada pelo império Otomano, tem uma influência turca bastante enraizada, daí a existência de tantas mesquitas. É uma das cidades mais baratas e belas para uma viagem na Europa.

Valor médio por pessoa, por dia: 53 euros.

Riga, Letónia

Praça central de Riga

Com uma vista panorâmica para o rio Duína Ocidental (assim chamado para se diferenciar do russo Duína do Norte), Riga é um atractivo polo cultural e um dos mais acessíveis na Europa.

Além de muitas lojas e restaurantes no centro histórico, conta ainda com uma ‘cidade’ medieval. A Praça Livu é o epicentro social da cidade e se tiver oportunidade pare no café Rigensis.

Valor médio por pessoa, por dia: 62 euros.

Cracóvia, Polónia

Panorâmica de Cracóvia uma das cidades mais baratas da europa

Cracóvia já tinha sido mencionada num outro artigo ao ter sido eleita o melhor destino city-break da Europa, uma votação que tem em conta atracções turísticascomida e bebidaalojamento, acessibilidade, relação qualidade/preço e ‘pouca confusão’.

A quatro horas da capital Varsóvia, há muito para ver em Cracóvia e é possível gastar mesmo muito pouco durante a estadia nesta cosmopolita cidade.

Valor médio por pessoa, por dia: 63 euros.

Ljubljana, Eslovénia

Canal no rio em Ljubljana

Pitoresca, verdejante, limpa, no ‘centro’ da Europa e uma daquelas cidades baratas para um périplo inesquecível. Assim podemos apresentar a cidade de Ljubljana, a capital da Eslovénia, pequeno país entre a Itália, Croácia e Áustria.

O rio Ljubljanica faz parte de quase todos os postais da cidade e a vida cosmopolita e turística flui muito nas suas margens. Cafés, restaurantes, livrarias e museus são algumas das coisas que pode encontrar facilmente na pacata Ljubljana.

Valor médio por pessoa, por dia: 69 euros.

Talin, Estónia

Vista de Talin na Estónia

Há muita arte arquitectónica nas ruas desta antiga república soviética e a cultura não se fica só pelas paredes, uma vez que se trata do epicentro cultural do país.

O melhor para visita Talin é mesmo ‘perder-se’ pelos caminhos da cidade, porque garantidamente vai dar com os monumentos mais interessantes como a Catedral Ortodoxa Alexandre Nevsky; e centros cosmopolitas como a Praça Raekoja.

Valor médio por pessoa, por dia: 71 euros.

Atenas, Grécia

Pormenor do Parthenon em Atenas

Atenas tem claramente duas faces e é indissociável o contexto económico recente: há muitos edifícios devolutos e outros tantos por construir, sendo que por vezes a cidade parece abandonada.

Contudo, o melhor de Atenas é mesmo muito bom: a história, a arte, os monumentos e tudo o que ainda subsiste de uma das mais importantes civilizações do mundo.

Jantar num restaurante com rooftop com vista desafogada para a Acrópole é um plano que tem de experimentar e, como a capital grega faz parte da lista das cidades mais baratas, não é assim tão caro.

Valor médio por pessoa, por dia: 72 euros.

Budapeste, Hungria

Parlamento da Hungria em Budapeste uma das cidades mais baratas da Europa

É estranho ser o parlamento a imagem mais icónica de uma cidade mas a verdade é que a fotografia do Parlamento Húngaro, iluminado à noite, com o Danúbio a seus pés, é um excelente cartão de visita para a cidade de Budapeste.

O nome da cidade é resultado da aglutinação, quer gramatical quer territorial, das regiões de Buda e Pest. A primeira fica do lado esquerdo do rio, é uma zona mais tranquila e familar; como atracções, conta com o Castelo de Buda.

Já a zona de Pest é a mais movimentada, com um ritmo nocturno acelerado e é deste lado do Danúbio que fica o Parlamento.

Valor médio por pessoa, por dia: 75 euros.

Veja também