Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Teresa Campos
Teresa Campos
10 Set, 2019 - 11:12

Cifose: a ‘corcunda’ pode ser tratada

Teresa Campos

A cifose não é mais que um desvio na coluna e a boa notícia é que tem tratamento. Saiba como combater essa pequena, mas incomodativa, ‘corcunda’.

cifose

A cifose ou hipercifose como, por vezes, também é conhecida provoca uma curvatura no pescoço, ombros e cabeça, visível e notória a olho nu. Habitualmente, apelidada de “corcunda”, este problema na coluna tem tratamento o que não só é importante em termos estéticos, como de saúde e conforto do indivíduo.

Este desvio na coluna provoca, muitas vezes, dor e incómodo, pelo que dependendo do nível de gravidade, deve ser tratado, seguindo as recomendações de um ortopedista. Se suspeita que sofre deste problema, fique a saber quais as medidas e passos a dar.

Cifose: acabe com as dores e trate já do seu desvio na coluna

corcunda

A cifose ou hipercifose dorsal carateriza-se por um desvio anterior na coluna, que faz com que o indivíduo apresente o pescoço, os ombros e a cabeça inclinados para a frente. Popularmente, este problema na coluna é apelidado de “corcunda”.

Em alguns casos, este desvio na coluna é, ainda, acompanhado de outros problemas como hiperlordose e escoliose. Daí, a importância de consultar um ortopedista capaz de avaliar o ou os problemas em causa e quais as melhores formas de tratamento para cada caso.

Tipos de hipercifose: congénita, adquirida ou postural

  • Congénita: quando o indivíduo já nasce com essa deformidade na coluna. A tendência é para que, com o passar do tempo, o problema piore e a cirurgia seja a opção mais indicada.
  • Adquirida: surge devido a doenças como osteomielite, osteoporose ou traumatismos;
  • Postural: aparece devido a maus hábitos posturais, sendo possível a sua correção voluntária, através da correção postural, fortalecimento muscular dos extensores e dieta (em caso de excesso de peso).

Em qualquer um dos casos, é importante ter em conta que a hipercifose tende a piorar com a passagem do tempo e, sem tratamento, provoca:

  • dores nas costas;
  • deformidade na coluna;
  • dificuldade em manter o corpo ereto e a cabeça voltada para cima ou para trás;
  • problemas na respiração, por diminuir a expansão pulmonar e a flexibilidade da coluna.

Causas

Há vários fatores que podem levar ao aparecimento da hipercifose, tais como:

  • problemas psicológicos (baixa auto-estima ou depressão que podem conduzir a más posturas corporais);
  • maus hábitos posturais, como ficar sentado com o corpo curvado para a frente;
  • má condição física, com enfranquecimento dos músculos paravertebrais e abdominais;
  • traumatismo na coluna, devido a um acidente, por exemplo;
  • fratura por compensação vertebral;
  • doenças como espondilite anquilosante, osteoporose senil ou tumores;
  • defeitos congénitos (por exemplo, associados a síndromes neurológicas).

A hipercifose é particularmente frequente na adolescência, fruto de um crescimento rápido, ou entre os séniores, devido a doenças ósseas, como artrite ou osteoporose.

Diagnóstico e tratamento

Na maioria dos casos, a hipercifose é identificada a olho nu. Contudo, numa visita ao ortopedista, ele irá requisitar exames de imagem, como raio-x lateral, de modo a avaliar o ângulo de Cobb e a gravidade do problema de coluna. Quando existe mais de 50º de cifose, por exemplo, é necessário haver lugar a tratamento.

​O tratamento da hipercifose é variável, dependendo da gravidade da situação. Entre as terapias possíveis, estão: sessões de fisioterapia, prática regular de exercícios, manutenção da boa postura e, nos casos mais graves, cirurgia para alinhar as vértebras.

Além disso, o uso de colchões ortopédicos, coletes para postura e palmilhas à medida auxiliam no tratamento e são benéficos para a resolução ou melhoria deste problema de coluna.

Tipos de tratamento

Exercícios gerais

Para casos mais leves de hipercifose associados a dor ou desconforto no meio das costas, recomendam-se exercícios como natação, musculação ou hidroginástica, pois eles ajudam a fortalecer os músculos das costas e a melhorar a condição física.

Fisioterapia

Esta terapia envolve técnicas de alívio da dor, através do uso de compressas quentes e exercícios de alongamento, por exemplo, e, ainda, técnicas de manipulação da coluna vertebral.

Entre outros exercícios aconselhados, estão: reeducação postural global, pilates clínico e water pilates, isostretching e hidroterapia. Sob orientação do fisioterapeuta, estas técnicas pode ajudar na correção da cifose e da postura.

Cirurgia

A cirurgia é especialmente recomendada a indivíduos com hipercifose congénita ou que apresentem sintomas neurológicos, doença de Scheuermann, dor persistente no meio das costas ou mais de 70º de ângulo de cifose.

Veja também