Covid-19
Especial Covid-19
Descomplicamos a informação sobre o novo Coronavírus
Inês Silva
Inês Silva
31 Ago, 2020 - 08:46

Regresso às aulas: 10 dicas para motivar o seu filho

Inês Silva

As férias de verão estão a acabar e, em tempos de pandemia, encontrar estratégias para motivar o regresso às aulas assumem uma maior importância.

jovem com máscara na sala de aula

Se há crianças e jovens desejosos de regressar à escola, outros há que se angustiam com o fim das férias de verão. O calendário escolar anuncia o início do novo letivo para breve, por isso, está na altura de começar a preparar o regresso às aulas.

Este ano será diferente. A COVID-19 ainda cá está e é natural que pensar no início do novo ano escolar acrescente uma maior ansiedade e receios a alunos e pais. É, por isso, importante que comece a falar sobre isto com o seu filho, mas saiba como o motivar para o que o início seja tranquilo e com entusiasmo.

Siga as nossas dicas e estratégias para que tudo corra pelo melhor.

Saiba como motivar o seu filho para o regresso à escola

Pode demorar semanas até que os hábitos e o ritmo típicos das férias comecem a desaparecer, por isso não vale a pena insistir para que na primeira semana de aulas as crianças readquiram de imediato os antigos hábitos de sono, alimentação, estudo, entre outros.

Comece por introduzir pequenas mudanças para motivar o seu filho a voltar para a escola com alegria, e não com tristeza e ansiedade. Nesta conversa, para descanso de todos, também não poderá esquecer o tema COVID-19.

mãe a ajudar o filho a colocar a máscara no regresso às aulas

Regresso às aulas em tempos de pandemia

É essencial que reforce a importância de usar máscara, lavar as mãos ou usar gel desinfetante e evitar levar as mãos à cara. Mas também é importante que passe esta informação com calma e tranquilidade, ajude o seu filho a separar a realidade dos mitos e informe-o sobre o esforço e evolução registados no combate ao vírus.

O novo ano letivo arranca entre os dias 14 e 17 de setembro, a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) já definiu um conjunto de orientações para garantir um regresso à escola tranquilo e em segurança.

As escolas devem elaborar ou atualizar o Plano de Contingência para a COVID-19, de acordo com a Orientação nº 006/220 da Direção-Geral da Saúde, antes do início das aulas em regime presencial.

Para o ano letivo 2020/2021, além do uso obrigatório de máscara dentro dos recintos escolares, vão ser também asseguradas todas as condições para uma higienização recorrente das mãos e maximização do distanciamento físico.

As escolas e professores vão dar uma ajuda neste processo de adaptação, visto serem os responsáveis pela divulgação e implementação destas e outras ações preventivas.

Posto isto, a seguir, ficam as nossas sugestões de estratégias que ajudam a motivar o seu para filho para voltar à escola.

Regresso às aulas: guia para pais - mãe e filho de máscara a fazer trabalhos no computador
Veja também Regresso às aulas: guia para pais e encarregados de educação

10 DICAS MOTIVADORAS PARA O REGRESSO ÀS AULAS

1

Vá com o seu filho às compras de material escolar

O brio dos alunos começa muitas vezes na exibição do novo material escolar. Quem nunca teve vontade de estrear os cadernos e canetas? É indispensável que no começo do novo ano letivo o material escolar do seu filho seja alvo de renovação, dentro das possibilidades de cada família e atendendo à reciclagem, reutilização e decorrentes preocupações com o ambiente.

Não incorra no erro de querer fazer uma surpresa e aparecer em casa com material escolar inteiramente escolhido por si. É mesmo importante que as escolhas partam do seu filho. Visite algumas lojas e perceba o que ele quer, e, na medida do possível, tente corresponder aos seus desejos.

Adquira materiais escolares atraentes e de boa qualidade, começando pela mochila e passando pelos cadernos, lápis e canetas, equipamentos desportivos e outros.

2

Redecore o quarto do seu filho

Introduzir uma mudança no seu local de trabalho é uma forma de induzir um período de mudanças. É uma forma de dizer ao seu filho “vem aí ano novo, e vida nova também!”, sem ter que o verbalizar, apenas fazendo com que ele o sinta.

Por vezes basta fazer uma grande arrumação, e mudar a mobília de sítio para que consiga esse efeito. Pode ajudar investir um pouco mais na decoração do espaço de estudo, mudando ou melhorando a qualidade da luz, por exemplo.

3

Ajude-o a recordar aquilo em que é bom!

Sempre que as conversas o levarem para esse lado, tente lembrar o seu filho dos maiores feitos que ele conseguiu nos anos anteriores, na escola. Realce aquela vez em que tirou a melhor nota da turma, por exemplo.

Desta forma, ele irá olhar para a escola de forma positiva, encarando o regresso às aulas como algo excitante. Melhor ainda será focar-se no seu esforço, mais do que nos resultados obtidos.

4

Organize uma festa virtual com os colegas de escola do seu filho

Convença o seu filho a marcar uma festa virtual pelo zoom com os colegas mais chegados. Não é preciso dizer que se festeja alguma coisa, muito menos que a festa serve para assinalar o regresso à escola.

Só o simples facto de conviver com os colegas de escola, ainda que virtualmente, é meio caminho andado para que no subconsciente ele volte a pensar no regresso às aulas.

5

Vincule os objetivos de vida do seu filho à Educação

Em conversas casuais, puxe o assunto para este lado: faça-o ver para além da escola, e relacione a Educação diretamente com os objetivos de vida que ele já demonstrou ter para o seu futuro.

6

Durante o tempo de férias, crie condições para que haja fontes de aprendizagem a rodear o seu filho

As férias servem para descansar, mas evite que ele caia numa rotina de inatividade total. Leve livros para ele ler, leve-o ao cinema, ao teatro, visite um museu, encoraje-o a escrever.

Deixar de haver qualquer estímulo cognitivo durante muito tempo poderá torná-lo mais adverso à ideia de voltar à escola. Sempre que cumprir com alguma dessas tarefas, recompense-o de forma indireta.

7

Invista em brinquedos educativos durante as férias

Dê ao seu filho brinquedos educativos, que de alguma forma sejam uma ajuda para os seus estudos. Comece por um jogo popular como “Quem quer ser milionário”, que se trata de cultura geral, e depois avance para algo mais específico, como o Scrabble, por exemplo, que é um jogo que permite melhorar o vocabulário e a ortografia.

Não descure as emoções, principalmente em tempos de pandemia! Há muitos jogos e exercícios que visam promover o desenvolvimento da inteligência emocional de crianças e jovens.

Aprender a expressar emoções, a reconhecê-las e a canalizá-las de forma positiva ajudá-lo-á, e muito, a aprender como motivar o seu filho para regresso às aulas. Já para ele, a gestão das emoções é uma aprendizagem para a vida.

8

Defina as expectativas adequadas

Motivar um filho para voltar para a escola não é sinónimo de usar mentiras ou induzir-lhe pensamentos que não cabem na realidade. Por exemplo, não prometa uma recompensa muito alta, que provavelmente não irá conseguir cumprir, caso ele termine o ano com notas altas.

Por outro lado, as notas altas não são o único objetivo a alcançar. Aliás, é mais importante valorizar e recompensar o esforço do que os resultados.

O esforço é 100% dependente da vontade do seu filho, ao passo que os resultados podem ser influenciados por mil e um fatores. É sempre boa ideia ajudar o seu filho a investir no que depende diretamente dele.

9

Regule a hora de ir para a cama

Muitas vezes, a ausência de rotinas durante as férias de verão cria o hábito de esticar a hora de ir dormir. Se for esse o caso, à medida que o início das aulas vá ficando mais perto, faça com que o seu filho volte à hora “normal” de ir para a cama, sem forçar.

A melhor forma de o fazer não é, ao contrário do que possa pensar, mandá-lo para a cama, mas sim começar a acordá-lo progressivamente mais cedo. O horário de sono regula-se pelo despertar!

10

Seja o exemplo máximo a seguir pelo seu filho

Neste momento, mais do que nunca, seja uma pessoa inspiradora, o verdadeiro role model do seu filho. Mostre-lhe, de forma subtil, que alguns dos seus maiores feitos foram atingidos porque teve o privilégio de ter uma boa educação.

Seja um exemplo observável: se também é resistente no regresso ao trabalho, não pode exigir que o regresso às aulas do seu filho seja a sorrir e a cantar.

De igual forma, procure observar, você mesmo, as regras que instituiu ao seu filho. Por exemplo, cumpra os horários de sono, não fique agarrado ao smartphone pela noite dentro e seja grato por regressar à rotina!

Veja também

Aviso Legal

O Ekonomista disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento fiscal, jurídico ou financeiro. O Ekonomista não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral e abstrata, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui qualquer garantia nem dispensa a assistência profissional qualificada. Se pretender sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].