André Freitas
André Freitas
23 Fev, 2021 - 18:01

Condução defensiva: o que é, porquê e como manter a segurança

André Freitas

A condução defensiva é muito mais do que prever as ações dos outros condutores. Descubra como adotar uma condução mais segura com estas 7 dicas.

pessoa a praticar uma condução defensiva

A condução defensiva é um dos temas mais abordados quando se fala em condução e prevenção de sinistro rodoviários. Mas será que a sabemos praticar?

Uma condução defensiva é muito mais que tentar antecipar as ações dos outros condutores e “fugir” de situações de perigo. Implica também levar a cabo ações que contribuam para uma maior segurança na estrada.

O próprio condutor tem que executar procedimentos que contribuam para a sua segurança e para a dos outros, como o estar atento ao que o rodeia, sinalizar todos os seus movimentos e ir além do cumprimento de todas as regras de trânsito.

Infelizmente, cumprir todas as regras de trânsito não é suficiente para evitar situações de perigo, ou acidentes. Seja por falhas no automóvel, condições meteorológicas adversas ou mau estar súbito ao volante, são muitas as situações impossíveis de controlar.

Dessa forma, e para tornar a circulação automóvel o mais segura possível, o melhor é combinar as diversas técnicas de condução defensiva.

Para o ajudar a praticar uma condução mais segura, elaboramos o presente artigo onde apresentamos 7 técnicas de condução defensiva.

Condução defensiva: o que é e como praticar

A condução defensiva é uma forma de condução mais inteligente que contribui ativamente para a diminuição dos sinistros rodoviários.

Este tipo de condução é muito importante pois, quando praticada corretamente, aumenta a segurança ao volante e contribui para a proteção de todos os utentes da via e, ainda, para viagens mais serenas.

Conceito de condução defensiva

Condução defensiva é a designação dada a um conjunto de técnicas utilizadas para prevenir, evitar e não contribuir para acidentes de trânsito, independentemente de diversos fatores não controláveis pelo próprio condutor, tais como:

  • Condições do veículo;
  • Condições do trânsito;
  • Comportamentos dos restantes utentes da via;
  • Condições meteorológicas.

7 Técnicas de condução defensiva

São diversas as técnicas de condução defensiva. Quando combinadas, ou praticadas em simultâneo, aumentam exponencialmente a segurança ao volante.

Fique agora a conhecer 7 técnicas de condução defensiva. 

1

Concentração

O ponto número um para uma condução mais segura é a concentração.

É fundamental que se concentre totalmente em conduzir o automóvel e que não se deixe distrair por outros fatores como o telemóvel, conversas com outros passageiros, consultas no gps, elementos presentes na paisagem, entre outros.

2

Antecipar situações de perigo

Não se pode simplesmente assumir que todos os utentes da via vão cumprir as regras de trânsito, ou que não pode surgir, a qualquer momento, um obstáculo inesperado.

É preciso antecipar a possibilidade de que algo pode correr mal a qualquer momento. Dois exemplos:

  • Quando travar pois o veículo que circula à sua frente travou inesperadamente, não se esqueça de olhar pelo retrovisor para perceber se o carro que circula atrás de si consegue travar atempadamente;
  • Quando num entroncamento, antes de virar utilize o espelho lateral para garantir que nenhum veículo se prepara para o ultrapassar.
3

Prestar atenção aos restantes utentes da via

Uma condução defensiva implica estar atento aos comportamentos de todos os utentes da via e antecipar, sem tomar por garantido, os seus comportamentos.

Os utentes da via são os restantes condutores e passageiros, e também os peões. Ao prestar atenção aos seus comportamentos é possível prevê-los, e agir em conformidade.

4

Sinalizar todos os movimentos

Este ponto é fundamental para uma condução defensiva, mas é também obrigatório, de acordo com o Código da Estrada.

Antes de realizar qualquer manobra, o condutor tem que se certificar que existem condições de segurança para a sua realização, e que esta não causará qualquer problema no trânsito, ou colocará alguém em perigo.

Não sinalizar uma mudança de direção de faixa, ou saída de um parque de estacionamento, por exemplo, pode acarretar consequências muito graves, para além de serem infrações puníveis com coima.

5

Guardar a distância de segurança

Sendo um dos aspetos da condução defensiva a prevenção, guardar a correta distância de segurança dos veículos circundantes é fundamental.

Ao manter a distância dos restantes veículos é possível garantir que tem tempo para travar o automóvel, caso algum obstáculo surja de repente à sua frente.

Desta forma, evita acidentes que podem ter consequências muito graves, como acontece, por vezes, com os choques em autoestrada, ou menos graves como os pequenos “toques” no pára-arranca da cidade.

6

Adaptar a condução às condições climatéricas

O estilo de condução não pode ser sempre o mesmo, todos os dias, em todas as viagens.

É necessário adequar a velocidade, por exemplo, às condições climatéricas que se fazem sentir no momento.

Em dias de chuva torrencial, em que a visibilidade é reduzida, ou em situações em que existe nevoeiro, a velocidade tem obrigatoriamente que ser reduzida.

Em condições de má visibilidade, é mais difícil detetar eventuais obstáculos, pelo que circular mais devagar vai permitir controlar o carro mais facilmente.

Como pode ver, é crucial adequar o estilo de condução às condições climatéricas e até do próprio piso.

7

Respeitar todos os utentes da via

Ao respeitar os utentes da via, está, acima de tudo, a garantir que mantém a calma em todas as situações.

Reagir de forma intempestiva pode gerar mais confusão e pode, até, desviar a sua atenção de aspetos mais importantes.

Veja também