ebook
Ebook Finanças (s)em Crise
Um guia para tempos complicados
Olga Teixeira
Olga Teixeira
16 Dez, 2020 - 16:16

10 conselhos para evitar contágios no Natal

Olga Teixeira

Em ano de pandemia a época festiva tem de ser diferente. Para evitar contágios no Natal, siga os conselhos deixados pela DGS. Proteja-se a si e aos seus.

conselhos para o natal

Paz, amor e… cuidados redobrados. O Natal 2020, já sabemos, não será igual aos outros. E para prevenir que o alívio das restrições provoque um aumento dos contágios, a DGS partilhou um conjunto de conselhos a seguir durante o Natal.

No final de um ano duro e verdadeiramente trágico para milhares de famílias, ainda não é desta que tudo volta ao normal. As grandes festas continuam a ter de ser evitadas e o número de contactos limitado.

Ainda assim, e apesar de ter de celebrar em grupos mais pequenos e com mais cuidados, pode ter uma quadra festiva com (quase) tudo o que gosta. Veja alguns conselhos e ideias para poder festejar o Natal em segurança e lembre-se que, este ano, a saúde vai ser certamente o melhor presente que a sua família pode ter.

Conselhos para o Natal: uma festa diferente

Máscara, lavagem de mãos, distanciamento físico. Foi assim que se viveu parte do ano de 2020 e será assim também no Natal. Principalmente se vai conviver com pessoas fora do seu agregado familiar, vai ter de manter estes cuidados.

O objetivo é minimizar as hipóteses de contágio, algo que em contexto familiar pode ser mais difícil. Mas há pequenos gestos que podem fazer a diferença.

natal família videochamada
1

Está doente? Não arrisque

Um dos maiores problemas da Covid-19 é que nem sempre a infeção se manifesta com sintomas. Ou seja, pode estar doente sem saber e contagiar outras pessoas.

Se estiver infetado, com sintomas ou em isolamento profilático cumpra todas as recomendações que lhe foram dadas, por muito que lhe custe. E sim, isso implica ficar em casa. E, quem sabe, adiar a celebração para o Ano Novo ou para o Dia de Reis.

2

Siga as regras em vigor no seu concelho

Apesar de as restrições serem um pouco mais leves no Natal (alargando, por exemplo, a hora do recolher obrigatório), o país continua em estado de emergência e existem proibições em vigor que são extensivas a todo o território continental.

Outras medidas diferem de concelho para concelho, de acordo com o número de casos verificados nas semanas anteriores e o consequente nível de risco.

Se vem de outro concelho, região ou país cumpra as regras em vigor no local onde está, nomeadamente as que dizem respeito à mobilidade e aos ajuntamentos.

Veja também Novas medidas para Natal e Ano Novo: saiba o que pode ou não fazer
3

Poucos, mas bons

Uma mesa de consoada repleta de familiares, uma jantarada com amigos, um almoço com o outro lado da família e mais um jantar para troca de presentes com os colegas de trabalho. Por muitas saudades que estas imagens lhe tragam, o melhor é adiar estes momentos.

Um dos conselhos da DGS para o Natal é “reduzir os contactos antes da quadra festiva e durante o mesmo período“. Estar com muita gente, embora em diferentes dias ou horas, aumenta o risco. Como tal, dividir-se entre dois jantares de família não é uma boa opção, já que vai duplicar as hipóteses de contágio.

4

Menos é mais

Da mesma forma que não é aconselhável estar com muita gente em simultâneo, também não é recomendável que estes contactos se prolonguem durante muito tempo. Não precisa de sair a correr mal acabe de chegar, mas pode tentar encurtar as visitas.

5

Vamos lá para fora

O clima pode não ajudar, é certo. E também não será boa ideia fazer a ceia de Natal na neve. Mas se puder, opte por fazer alguns encontros em espaços exteriores.

Vai encontrar-se com alguém para trocar presentes? Marque numa esplanada ou dê um passeio no jardim.

6

Natal com os de casa

Entre os conselhos para o Natal deixados pela DGS está o de limitar as celebrações fora do seu agregado familiar. Isto é, se possível, festeje apenas junto das pessoas com quem reside, evitando assim o contacto com outros grupos.

As reuniões familiares através de plataformas digitais, que se popularizaram durante o ano de 2020 podem ser a solução para, à distância, manter vivo o espírito natalício.

Caso passe o Natal com pessoas com quem não reside e o espaço não permita o distanciamento, considere usar máscara durante os momentos de maior proximidade física.

7

De longe se faz perto

A distância física é, aliás, outra das recomendações deixadas pelas entidades de saúde. Os lugares à mesa devem procurar manter esse distanciamento (de 1,5 a 2 metros). O mesmo deve acontecer nas deslocações, na preparação das refeições e durante os momentos de convívio.

Os cumprimentos tradicionais, pela proximidade que implicam, também são desaconselhados pela DGS.

8

Arejar e desinfetar

Optar por salas grandes e arejadas é outra forma de evitar que o vírus circule e se torne num convidado indesejado neste Natal. Abrir janelas em dezembro pode não ser muito apetecível, mas pode fazê-lo várias vezes e por períodos curtos, minimizando o desconforto.

As superfícies e objetos que possam ser mais utilizados e tocados – como os puxadores das portas, por exemplo – devem ser regularmente desinfetados.

Cozinhar em família é uma tradição natalícia, mas este ano não é aconselhável juntar muitas pessoas na cozinha, que é geralmente pouco arejada.

9

Mãos, máscara, etiqueta

O frasco do álcool gel e a máscara vão passar o Natal consigo, sobretudo se estiver com pessoas fora do seu agregado familiar e não for possível manter o distanciamento.

Às boas maneiras à mesa juntam-se este ano as regras de etiqueta respiratória para travar a propagação da COVID-19, mas também de vírus como a gripe. Ao tossir e espirrar deve colocar o braço à frente da boca.

E não basta lavar as mãos antes de ir para a mesa; deve fazê-lo regularmente.

10

O que é meu não se partilha

Por muito que o Natal seja tempo de partilha, há coisas que devem ficar mesmo só para si. Talheres e copos, por exemplo, não devem ser usados por mais do que uma pessoa. Evite partilhar estes objetos.

Fontes

Veja também