Mónica Carvalho
Mónica Carvalho
24 Mar, 2020 - 18:06

Em tempo de surto, saiba os cuidados a ter quando faz pagamentos

Mónica Carvalho

Manusear notas ou moedas pode colocá-lo em risco? E se pagar com cartão? Saiba tudo sobre a relação entre o coronavírus e os meios de pagamento, bem como os cuidados a ter.

Coronavírus: cuidados a ter com o dinheiro

Lavar frequentemente as mãos com água e sabão ou com uma solução alcoólica, manter distância física mínima de um metro entre pessoas, tossir ou espirrar para o cotovelo são algumas das recomendações que vamos enraizando por estes dias.

Numa altura em que muito se fala sobre ter um comportamento preventivo, para evitar a proliferação do novo coronavírus, todos os pequenos gestos do dia a dia contam, e até os meios de pagamento que utilizamos numa ida ao supermercado ou à farmácia devem ser tidos em consideração.

Claro está que o ideal é ficar em casa, mas se tiver mesmo de sair à rua para comprar bens essenciais como produtos alimentares ou medicamentos, saiba que cuidados deve ter, bem como quais as melhores opções na hora de pagar.

usar cartões em vez de dinheiro

Para desincentivar o uso de notas e moedas, o Governo anunciou medidas que passam, pelo fim da taxa de comissão de utilização do multibanco, aplicada aos comerciantes, e a diminuição do limite de pagamentos com cartão contactless que passa de 20 para 50 euros.

Alguns dos principais bancos portugueses já começaram a aplicar essas e outras medidas com o objetivo de desmaterializar os pagamentos, numa altura em que todo o mundo está a ser afetado pela doença COVID-19 e a economia não pode simplesmente parar.

Afinal, há serviços e estabelecimentos que estarão sempre disponíveis para a população, nomeadamente farmácias, supermercados, postos de abastecimento de combustível, correios, serviços do Estado e entidades bancárias. São locais onde por muito que se evite o contacto próximo, há outros fatores que podem ser perigosos.

Para minimizá-los, foram criadas barreiras físicas entre clientes e funcionários, bem como o estabelecimento de regras, entre as quais, estarem só presentes naquele espaço quem está, de facto, a ser atendido.

pagar com smartphone

Que meios de pagamento deve privilegiar?

Longe vão os tempos em que apenas podia pagar em dinheiro. Hoje há inúmeras formas de fazer pagamentos, algumas das quais não requerem sequer o uso de um cartão físico.

Do MB WAY às aplicações do supermercado onde costuma fazer as compras, o que não falta são novas opções. Para manter a sua segurança e a de outros, veja quais os meios de pagamento que deve privilegiar e aproveite esta altura para guardar as notas e moedas num mealheiro.

Coronavírus quanto tempo permanece nos objetos
Veja também Coronavírus: quanto tempo permanece nos objetos e superfícies?

Nunca é demais lembrar, no entanto, que nas compras presenciais, qualquer que seja o método de pagamento utilizado, há cuidados de higiene e segurança a ter em conta para evitar o contágio por coronavírus.

Assim, deve manter uma distância física mínima de um metro entre pessoas e lavar bem as mãos ou desinfetá-las após o pagamento .

Pergunte se pode pagar por MB WAY

Este sistema é uma das melhores opções a considerar para evitar o contacto físico nas compras presenciais e são cada vez mais os comerciantes que aceitam pagamentos por esta via.

O pagamento pode ser feito através do seu número de telefone, ficando o valor imediatamente disponível na conta do recetor, mas não só. Pode, também, pagar por QR Code, se o terminal de pagamento por multibanco do lojista o permitir. Basta aceder ao MB WAY no seu smartphone, clicar “Pagar com MB WAY”, ativar o acesso à câmara e ler o QR Code apresentado no terminal do comerciante.

O MB WAY disponibiliza também a tecnologia contactless, que permite a troca de informações entre dispositivos por aproximação, sem qualquer necessidade de configurações adicionais.

Em qualquer uma destas modalidades evita o contacto com os terminais de pagamento automático (TPA), podendo utilizar apenas e só o seu telemóvel.

Veja se o seu cartão é contactless

Os cartões contactless possuem tecnologia de leitura por aproximação, o que possibilita o pagamento sem ter de introduzir o PIN, bastando aproximar o cartão de um terminal de pagamento.

Há cartões de débito, cartões de crédito e cartões pré-pagos com tecnologia contactless, que também pode ser disponibilizada através do telemóvel, como já vimos com o MB WAY, bem como de smartwatches (relógios) ou pulseiras.

Se ainda não tem um, pondere pedir a substituição do seu cartão por outro que seja contactless. Há bancos que não estão a cobrar qualquer comissão por isso, como é o caso do Santander.

Prefira sempre os cartões ao dinheiro

O pagamento com cartões, seja de débito ou crédito, é sempre mais seguro do que manusear dinheiro, uma vez que na maioria dos casos só o utilizador terá de tocar no cartão. Além disso, diminui o contacto com a pessoa que esteja a receber o pagamento.

Ainda assim, não deixa de exigir alguns cuidados, uma vez que terá de inserir o código PIN no mesmo terminal de pagamento automático que é tocado por muitas outras pessoas. Como tal, no final da operação, não se esqueça de lavar ou desinfectar bem as mãos.

Opte por comprar online sempre que possível

As compras online são, em muitos casos, uma alternativa de acesso a bens ou serviços que não acarreta tantos riscos.

Mas até nestes casos há cuidados a ter em conta, nomeadamente no momento da entrega, afinal não deixa de ser um contacto humano próximo que pode e deve ser evitado.

Algumas empresas de entregas e transportes estão a assumir medidas de controlo e prevenção neste sentido, como deixar as encomendas à porta e abdicar da necessidade de assinar o comprovativo de receção da encomenda.

supermercados online
Veja também Supermercados online: são mesmo uma alternativa nesta altura?

Ative o débito direto para pagar as contas fixas

Se ainda não o faz, esta é uma boa altura. Coloque as contas fixas com débito direto, evitando assim, deslocações a papelarias ou quiosques para pagamento em Payshop ou até eventuais deslocações ao balcão físico da entidade prestadora do serviço a pagamento, o que pode acontecer, principalmente, no caso de faturas em atraso.

Se preferir, pode fazer estes pagamentos via homebanking, quer por transferência bancária, quer através da referência multibanco que vem juntamente com a fatura. Em ambos os casos, evita o uso das caixas multibanco.

Utilize as aplicações de supermercados e lojas (que dão para pagar)

O Continente permite o pagamento das compras através da app do cartão. A opção Continente Pay está agora disponível e só precisa de associar um cartão de pagamento. Na loja, selecione a opção “Usar Cartão” e apresente o número que aparece no ecrã.

Já se quiser optar por um supermercado onde não há caixas, nem filas, nem dinheiro, pode experimentar a Pingo Doce & Go no Campus da Nova School of Business and Economics, em Carcavelos.

Para fazer as suas compras só tem de instalar a app no telemóvel. Ao reconhecer que entrou na loja, o sistema abre a cancela para entrar e de seguida pode começar a usar a câmara do telemóvel para ler o código de barras dos produtos que vai comprar.

Na hora de pagar, tem duas hipóteses. Se associou um cartão de pagamentos à aplicação basta fazer o check out e o valor é debitado automaticamente da conta bancária. Senão, pode usar uma das duas torres de pagamento self-service que existem num dos cantos da loja. Nesse caso basta mostrar à máquina o código QR na aplicação, ou encostar o smartphone se tiver NFC, e depois finalizar a compra fazendo o pagamento num terminal Multibanco.

Veja também

Para descomplicar a informação

As informações sobre os temas que envolvem o impacto social do novo Coronavírus são dinâmicas e constantemente atualizadas. Por isso, os conteúdos publicados nesta secção não devem substituir a consulta com profissionais e especialistas, tanto da saúde como do direito e temas afins. Neste projeto, contamos com a parceria da Fidelidade e da Multicare. Saiba mais sobre a parceria.